Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 818 / 2015

29/04/2015 - 09:31:00

MEIO AMBIENTE

Desertos gerando energia limpa 

Uma ideia visada por cientistas propõe o aproveitamento dos desertos para gerar eletricidade através do sol, porque opções como o vento e o efeito fotovoltaico são muito instáveis e requerem grandes extensões de terreno. A planta funciona de forma que os raios do sol se concentram mediante espelhos que atingem enormes temperaturas, um calor que se utiliza para gerar vapor, que movimenta uma turbina e produz a eletricidade. O acúmulo de pó nos espelhos e a escassez de água para limpá-los, seria o principal problema a solucionar, já que a eficiência do sistema diminui com a sujeira.Carona VirtualA Tripda é uma plataforma online de compartilhamento de caronas que tem como proposta, oferecer uma alternativa de transporte sustentável e acessível para todos os viajantes do Brasil. A empresa tem como objetivo compartilhar e reduzir custos com transporte; conectar pessoas e gerar vínculos de amizade; ter menos veículos nas ruas, consumindo menos combustível. Os motoristas e passageiros recebem benefícios usando o aplicativo, como vale gasolina e sorteio de ingressos de shows, fora o benefício usual. Fundada no Brasil, está presente em  mais 11 países: Argentina, Chile, Colômbia, EUA, Filipinas, Índia, Malásia, México, Paquistão, Singapura e Taiwan.

Maior ameaça ao planeta

O presidente americano, Barack Obama, afirmou que as alterações climáticas são “a maior ameaça ao planeta”, acrescentando que espera que os piores efeitos disso possam ser evitados pela união das maiores economias do mundo em torno do tema, citando a reunião de cúpula que será realizada em dezembro, na cidade de paris, seis anos após o fracasso da Cúpula de Copenhague. De acordo com levantamentos, o ano de 2014 foi o mais quente da história desde que os registros de temperaturas começaram a ser feitos, em 1880. O presidente lembrou de sua aposta nas “energias limpas” e exaltou o fato de as emissões de carbono nos EUA terem caído 10% desde 2007. 

Vistoria nas piscinas naturais

O IMA realizou vistoria e monitoramento das Piscinas Naturais da Pajuçara e os estudos para transformar as piscinas em uma zona de exclusão serão apresessssntados na próxima reunião do Conselho Estadual de Proteção Ambiental (Cepram). A área de recifes tem cerca de 42 hectares e dependendo do resultado, pesca, visitas e mergulhos serão proibidos. Isso deve facilitar a reprodução de organismos marinhos que ali habitam e um possível repovoamento de outras piscinas localizadas na enseada da Pajuçara. A equipe verificou se os usuários estão respeitando as orientações de não atracar embarcações nos recifes, não levar organismos como souvenir e não alimentar os peixes.


Barreiras contra tsunamis

Pesquisadores japoneses desenvolveram uma barreira que se eleva automaticamente sobre as estruturas tradicionais, através da força das ondas e proporciona uma altura adicional, amortecendo o impacto. O sistema é acionado quando o nível do mar sobe e a força da água é suficiente para a formação do novo bloqueio. Os muros construídos com esse objetivo no litoral japonês são eficazes para suportar ondas de até 10 metros, mas geraram certa rejeição da população por causa do impacto sobre a paisagem. Apesar dos testes positivos, os pesquisadores japoneses afirmaram que ainda não contam com nenhum projeto concreto para instalar as novas estruturas.

Ambientalistas em perigo 

O relatório da organização Global Witness publicado nesta semana conclui que o Brasil é o país com maior número de assassinatos de ativistas do meio ambiente, com 29 homicídios só em 2014. A América Latina lidera o ranking com 87 homicídios. Além do Brasil, a Colômbia ocupa o segundo lugar, com 25 mortos e Honduras o quarto, com 12 assassinatos. Em terceiro lugar estão as Filipinas, com 15 mortes. No total, 116 pessoas morreram em todo o mundo por lutar contra projetos que ameaçam a preservação da Terra, 20% a mais que em 2013.


Proteção das nascentes

A organização ambiental WWF-Brasil lançou uma petição pedindo a adesão da população à proposta de criação do Plano Nacional para a Proteção de Nascentes. As soluções de infraestrutura apresentadas pelos governos para a crise, não contemplam a proteção das nascentes e a recuperação das que estão degradadas. Temos visto que só chuva não enche reservatório, porque as nascentes dos rios que abastecem os mesmos, já foram todas degradadas. A petição ficará à disposição da população até junho. A meta é garantir, pelo menos, 50 mil adesões. 


Sereias

As fotógrafas Angelina Venturella e Chiara Salomoni viajam pelo mundo transformando ativistas, celebridades e gente comum em criaturas míticas do oceano. Segundo o site do projeto, o objetivo do Project Mermaids (projeto sereias) é a conscientização da importância das praias e dos oceanos, para que mantenhamos esse ambiente limpo e saudável. Metade dos lucros com as fotos será destinada ao projeto Save Our Beach (salve nossa praia), uma pequena organização sem fins lucrativos que há 16 anos limpa praias e leitos de rios na Califórnia. As imagens são feitas em piscinas, oceanos, praias, árvores e cachoeiras.


Inovação

O projeto do casal de engenheiros americano Julie e Scott Brusaw, Solar Roadways, propõe a instalação de painéis solares super resistentes no lugar do asfalto para captar a energia e transformá-la em eletricidade. Além de dar suporte à sinalização e descartar o uso de pinturas de forma eficiente, a energia gerada iluminaria as casas e abasteceria carros elétricos.  Com isso, postes de energia perderiam importância e em dias de neve, os painéis aqueceriam e resolveriam o problema do acúmulo de gelo. Segundo o site Indie GoGo, até junho do ano passado, eles arrecadaram mais de US$2 milhões para custear a próxima fase do projeto. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia