Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 817 / 2015

21/04/2015 - 16:11:00

Se mudar de sigla, Cícero Almeida responderá por infidelidade partidária

Deputado federal do PRTB não esconde o desejo de voltar a comandar a Prefeitura de Maceió

João Mousinho [email protected]

O ano de 2015 é marcado pelas articulações que vislumbram o pleito de 2016 para prefeito e vereador. Os bastidores da política enumeram candidatos e possibilidades num xadrez que se move dia após dia. Quem nunca escondeu o desejo de voltar a ser prefeito de Maceió é o deputado federal Cícero Almeida (PRTB), que na própria eleição de 2014 pedia votos para deputado destacando: “Vou voltar a ser prefeito dessa cidade”.

Mas para essa candidatura se concretizar o deputado precisa se articular partidariamente. No começo da semana o presidente do PRTB em Alagoas, Adeilson Bezerra, solicitou ao deputado federal Cícero Almeida as indicações do diretório municipal da sigla para trabalhar em favor do ex-prefeito.“O PRTB apoia a decisão se Almeida realmente quiser ser candidato a prefeito. Nós apoiaríamos até se ele almejasse ser candidato ao governo.

O partido sempre esteve à disposição do Almeida, ele sabe disso. O tempo passa rápido, precisamos nos reunir o quanto antes para definir o futuro do PRTB em 2016”. Ainda segundo o presidente do PRTB, as siglas aguardam a decisão para saber se vai haver o fim das coligações proporcionas. “O PRTB sempre construiu suas candidaturas sozinho para proporcional, mas para disputa do executivo as articulações são diferentes. Hoje temos a vereadora Aparecida do Luiz Pedro na Câmara de Maceió, queremos ampliar nossa representatividade”, salientou o presidente da sigla. 


O risco  

O PL pode ser uma nova sigla criada no Brasil. A medida é estratégica, pois aglutinaria velhas e novas forças para bancada da presidenta Dilma Rousseff. De olho na criação do PL estão muitos políticos interessados em possuir “seu próprio partido” e ter a autonomia para decidir seu futuro político. Corre a boca miúda o interesse de Almeida em comandar o PL ou até uma sigla de menor expressão no cenário nacional e local, já que nos últimos pleitos não teve a voz final para se lançar candidato devido às composições e as necessidades do grupo que integrou. Mas Almeida esbarra no fator fidelidade partidária.

E o presidente nacional do PRTB, Levy Fidelix, sinalizou e expressou por inúmeras oportunidades que se o deputado federal mudar de partido, sem qualquer motivação, a executiva nacional da sigla irá acionar a justiça para reaver o mandato que ele entende ser do partido. “Acredito que Almeida não irá incorrer nessa insegurança jurídica para ser candidato em 2016. Nós temos uma ótima relação dentro do PRTB com o deputado Cícero Almeida. A posição do nosso presidente nacional é clara e nós do diretório estadual respeitamos e apoiamos”, salientou Bezerra. 


Novo cenário


O ex-prefeito de Maceió se elegeu deputado federal graças à soma do quociente eleitoral. Especialistas em marketing político acreditavam que Almeida seria um “estouro de votos”, mas o que se viu foi uma candidatura difícil com apenas 64.435 votos (4.65%), número abaixo do que as pesquisas indicavam, o que o descredenciou de certa forma para volta ao comando da prefeitura da capital alagoana.

 Outros nomes além de Almeida são ventilados para disputa em 2016 para concorrer contra o prefeito Rui Palmeira (PSDB), mas nada ainda concreto, como é o caso do deputado federal mais votado de Alagoas, João Henrique Caldas (Solidariedade), o do ex-prefeito de Arapiraca, Luciano Barbosa (PMDB), e até do presidente da Câmara de Maceió, Kelman Vieira (PMDB). 

Figurão político conhecido do grande público que pode vir a disputar o pleito é o ex-governador, ex-prefeito de Maceió e hoje deputado federal Ronaldo Lessa (PDT). Se o “Chapão” composto para eleger Renan Filho (PMDB) governador se mantiver unido, o nome de Lessa ganha força para 2016. Difícil é manter um grupo tão heterogêneo por tanto tempo unido. Só as futuras articulações vão dizer. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia