Acompanhe nas redes sociais:

22 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 816 / 2015

15/04/2015 - 06:51:00

Deixem-nos morrer em paz!

Alari Romariz Torres Aposentada da Assembleia Legislativa.

O servidor público trabalha 30 anos ou mais e adquire o direito à aposentadoria. Aí, pensa: “Vou descansar” ou vou realizar outro tipo de trabalho.”Doce ilusão! No Legislativo Estadual existe uma raivaescondida contra os inativos, chegando às raias da perseguição.A Mesa anterior fez o possível e o impossível para prejudicar pessoas que serviram à ALE durante 40 anos ou mais: cortou salários, criou um sub teto inconstitucional, excluiu gente da folha de pagamento, emperrou processos e gerou um verdadeiro “stress” entre os velhinhos.

Desabou uma verdadeira onda de doenças no seio da categoria de pessoas com mais de 60 anos. Câncer, cardiopatia, hepatologia e outras moléstias graves que resultaram em óbito. Ainda servíamos de piadas para alguns parlamentares que diziam assim: “Existem aposentados que nem saem mais de casa”. Fico pensando: “Será que os monstros têm pais?”Resolvi contar a meus leitores o sofrimento dos aposentados da ALE. Somos sofredores públicos.

Cada medida negativa vem com toda força em cima de pessoas com anos e anos de serviço público.Precisamos renovar nossa Associação, criamos um grupo forte que nos deu apoio. Estávamos humilhados, muitas vezes não recebíamos salário no mesmo dia dos ativos e até o 13º salário de 2014 foi pago completamente fora do padrão: metade em dezembro e o resto em 4 vezes no ano de 2015.

Um dos motivos citados pela Mesa do Fernandinho e sua turma era o seguinte: o valor descontado do salário dos aposentados não cobre o total da folha deles. Uma verdadeira piada! E o dinheiro que descontamos por mais de 40 anos foi para onde? Voltamos a pagar a previdência e, mesmo assim, os patrões alegam a falta de recursos para a folha dos velhinhos da ALE.

Não dá para entender!!!Aparece o ano novo de 2015! Assume uma nova Mesa Diretora! Começamos a acreditar em nosso descanso na melhor idade! Agora podemos morrer em paz, os novos patrões vão tentar consertar o Legislativo. Veio a primeira medida: restante do décimo terceiro em quatro vezes, sem juros, sem correção. Haja remédio para pressão, para o coração, para acalmar os ânimos.Veio a segunda medida: o mês de dezembro seria pago em 14 vezes, Inacreditável! Muitos nem sentirão na conta o valor recebido.

E haja lexotan!Outro grande buraco da Mesa anterior: os processos administrativosdormiam durante anos na pasta do 1º secretário ou nas gavetas de outros membros da Mesa. Corríamos à Justiça e quando as liminares chegavam era outra luta para serem implantadas. De 2014 para 2015 ficaram quatro ações judiciais ganhas em novembro sem a devida implantação.

Aí os amigos me perguntam: Se você não faz parte de nenhuma das três entidades representativas de sua classe, por que se empenha tanto em defesa de ativos e inativos? Respondo eu: “A Mesa anterior se reunia com nossos representantes e nada resolvia; só tínhamos uma arma: falar, falar e falar”.

Fui chamada de velha louca, tive meu salário cortado, minha pasta funcional foi mexida e remexida, meus processos administrativos dormiram por até três anos no Departamento de Pessoal ou na Primeira Secretaria.

Ativos e inativos tiveram um processo de enquadramento aprovado em 2009. Seis anos depois, apenas parte dos servidores que ainda trabalham foi enquadrada. Os aposentados dormem eternamente em berço esplêndido e do lugar não saem.É impossível curtir a velhice em paz, pois não sabemos o que acontecerá amanhã. A nova ameaça é uma auditoria na folha de pagamento com a Fundação Getúlio Vargas. Cuidado: o feitiço vai virar contra o feiticeiro!!!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia