Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 816 / 2015

15/04/2015 - 06:47:00

Brasil, o país dos impostos

Brasil, o país dos impostos

Isso todo mundo sabe. O que muita gente questiona é: como com uma fortuna arrecadada em impostos ainda pode o povo brasileiro sofrer com a falta de educação, de saúde e de segurança, apenas para citar três segmentos, entre os muitos benefícios que poderiam chegar à população. O nosso país é rico em tudo, desde o turismo as mais diversas atividades profissionais.No entanto, as escolas são de péssima qualidade no seu ensino, o ambiente interno é o pior possível, falta à merenda e os professores são miseravelmente remunerados.

Na saúde, morrem centenas de pessoas pela falta de leitos, remédios e médicos, mesmo com essa enganação da vinda de médicos estrangeiros, principalmente os de Cuba, onde a ditadura Castro fica com setenta por cento do dinheiro que deveria ser destinado aos profissionais.

E o pior: os médicos cubanos aceitam esse sacrifício, calados, porque na ilha de Fidel não existe mais trabalho, a miséria é total, e suas famílias são mantidas sob a vigilância do governo, como garantia do envio da verba recebida mensalmente, no Brasil. Só por isso é que eles não deserdam. Além disso, os irmãos Castro contam com o apoio incondicional da presidenta Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula.

O Brasil é um país cínico diante dessa aberração e faz de conta que não está acontecendo nada.Finalmente, o terceiro item que considero importante de nosso artigo, é a segurança pública. Diariamente, a grande mídia nacional estampa em seus programas de rádio e televisão, e vendem muitos jornais com as manchetes sobre crimes de toda ordem e assuntos miseráveis, com cheiro e cor de sangue.

Falar de descobertas científicas, curas e coisas positivas não dão ibope, merecendo, apenas, um canto de página e alguns segundos de televisão.Mas, voltando ao assunto principal, cadê o dinheiro dos nossos impostos? Com certeza, está sendo desviado pelos governantes e seus asseclas, que prometem tudo durante as eleições, ou melhor, mentem muito, e, depois, não sobra nada para o cumprimento de suas promessas.

Em qualquer parte do mundo, se você relacionar e explicar direitinho o quanto nós pagamos de impostos, as pessoas vão imaginar que vivemos em um país de maravilhas. Quando, na verdade, vivemos mais próximos do inferno do que do céu.Um “espirro” dado, paga-se imposto.

Em outros países as pessoas também pagam impostos, a única fonte de arrecadação do poder público. Por sinal, na Europa, o imposto é único para a população nativa. Os turistas ainda pagam um pouco mais, tudo às claras e com destino certo. Acho até que o problema não é o imposto que se paga, mas o que é feito com essa arrecadação, o destino de tudo isso.Recentemente, um amigo pediu para que eu escrevesse sobre o assunto.

Tentei justificar que não era do ramo e que um economista poderia explicar melhor. Mas ele disse: “não quero conversa de economia, quero que você explique e dê a sua opinião porque, no Brasil, é assim. Para qualquer lado que a gente se vira tem gente roubando”. Entendi o desabafo do amigo e resolvi falar sobre essa cobrança de impostos.

E o assunto surgiu porque, segundo ele, o governo incentiva e obriga o cidadão a comprar carro com uso do etanol, e não baixa o valor do combustível. Cria o programa de incentivo ao gás automotivo, e não tem controle sobre o preço, e, ainda, cobra uma taxa extra na hora do emplacamento.

Diz que não vai aumentar o preço da gasolina, e aumenta. Para finalizar ele foi taxativo: “Se você não escrever sobre esse assunto, nunca mais leio os seus artigos”. Como penso igual a ele e não quero perde-lo como leitor, seja feita e sua e a nossa vontade.     

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia