Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 816 / 2015

15/04/2015 - 06:05:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

Do Bananal para a mesa

Há mais de dois séculos, o Bananal da Viçosa, era uma imensa área de terras sem dono,  onde predominava a bananeira, fruta que os índios e negros cultivavam para alimento diário, aliado ainda as lavouras de subsistência. Com a fundação do engenho, em 1835, toda a área ficou coberta de canaviais, mas sempre se reservando alguma área para se plantar banana, inhame, batata, macaxeira, milho e outras lavouras. A cana sumiu com o fechamento da Usina Boa Sorte na década de 1970, mas a roça continua, garantindo o sustento de pequenos agricultores, que plantam, colhem, consomem e comerrcializam seus produtos, reunidos em sistema de cooperativa através da Associação dos Agricultores, entidade comandada pelo jovem Otoniel Pimentel.É esse bananazeiro, que vem conseguindo mudar o cenário da região, que até pouco tempo era coberto de capim para a engorda do gado, enriquecendo o fazendeiro e empobrecendo o trabalhador e pequeno agricultor, que agora recebem assistência técnica, sementes e são conscientes de que a agricultura familiar é um bom negócio. A terra é propícia para o plantio de qualquer tipo de lavoura. Fica na zona da Mata alagoana, com um riacho garantindo água em abundância, por quase todo o ano, quando obviamente chove no tempo certo, como agora. Ele vem conseguindo muitos benefícios, treinando jovens para se fixar no campo e construindo a sede da associação, um marco para o soerguimento do Bananal como terra viçosa onde “em se plantando, tudo dá”.

Venda garantida

É através da Associação dos Agricultores que toda a produção tem venda garantida. Com as últimas chuvas caídas na região, eles já iniciaram o plantio de inhame, macaxeira, batata, feijão e milho. É a certeza de que terão mesa farta para a família e dinheiro no bolso para as demais despesas do dia a dia e ainda juntar um bom dinheiro para realizar algum sonho de consumo. 


Terra repartida

Quem não possui terra própria para plantio, consegue uma área de algum proprietário para plantar, colher, consumir e repartir meio a meio com o dono, ficando com uma parte para vender. Também participam dos benefícios dados pela associação, podendo até mesmo  conseguir o crédito rural do Banco do Nordeste, comprando uma vaca, por exemplo, que garante o leite da família. 


Bom exemplo

A Associação dos Agricultores do Povoado Bananal foi considerada um exemplo de produção e eficiência, por técnicos da Secretaria de Agricultura, Senar e patrocinadores do programa Jovem Cidadão, que incentiva a agricultura familiar, através de cursos de treinamento e noções de cidadania a quem quer continuar trabalhando no campo, ao invés de tentar a vida na cidade grande. 


Inhame

Viçosa é o maior centro produtor de inhame de Alagoas. E o Povoado Bananal, e seu entorno, garante boa parte dessa produção. Na cidade, uma padaria produz pão, bolacha e pizza dessa raiz rica em proteínas, que nos últimos anos vem se constituindo na preferência dos consumidores. Daqui a uns três meses, os plantadores terão a garantia de uma grande produção, já que as chuvas contribuiram para o plantio no tempo certo. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia