Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 815 / 2015

08/04/2015 - 20:50:00

Oposição prega transparência na Assembleia Legislativa

Deputados estaduais Rodrigo Cunha e Bruno Toledo apresentaram sua despesas

João Mousinho [email protected]

As últimas legislaturas na Casa de Tavares Bastos foram marcadas por uma série de escândalos de corrupção. Há mais de 10 anos uma crise institucional paira sobre a Assembleia após denúncias da Polícia Federal e do Ministério Público Estadual. Indo na contramão dos desmandos já cometidos na Assembleia, os deputados Rodrigo Cunha (PSDB) e Bruno Toledo (PSDB) divulgaram essa semana as prestações de contas referentes aos meses de fevereiro e março. Rodrigo disponibilizou além das prestações de conta, a lista dos servidores lotados em seus gabinetes.

Os dados dos gastos são minuciosos e conta com discriminação das despesas indenizáveis e também a relação das notas fiscais dos estabelecimentos. O deputado de primeiro mandado, filho da ex-deputada federal Ceci Cunha, afirmou que já economizou R$ 25 mil de verba de gabinete. O outro tucano, Bruno Toledo, filho do ex-deputado estadual Fernando Toledo, requereu à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa o espaço no Diário Oficial do Estado (DOE), na área destinada ao Poder Legislativo, para publicar as despesas indenizáveis do gabinete.

“Ninguém nunca publicou despesas de gabinete no DOE, mas eu quero publicar. Inclusive, todo material como notas fiscais, recibos e contratos encontram-se disponíveis desde a semana passada no gabinete”, enfatizou o parlamentar. Com o discurso de transparência, Toledo destacou que enquanto os números que interessam à sociedade não forem divulgados no DOE, a população alagoana pode requerer esses dados a partir do seu email pessoal ([email protected]). O parlamentar ainda adiantou que a publicidade dos seus gastos será “rotina em seu mandato”.

 A estratégia de Cunha foi diferente para divulgar seus gastos. “Todos os meus gastos estão disponíveis em minhas redes sociais e no portal www.rodrigocunhaal.com.br. A postura do meu mandato é norteada pela gestão estratégica e isso é um trabalho que fazemos da prestação de contas à equipe. O uso racional do dinheiro permitiu uma grande economia e estou prestando contas à sociedade do que foi gasto até o momento”, explicou.

 Sobre os gastos Cada deputado estadual tem disponível um valor de R$ 39.149,13 para as despesas indenizatórias, desde que apresentadas as notas e os recibos referentes aos serviços e produtos adquiridos; além de 25 assessores parlamentares.  Os deputados tucanos revelaram o nome, a função e o salário de seus assessores. “Não preenchi todos os cargos e não pretendo fazer isso sem conhecer as reais demandas de trabalho da Casa.

Esse foi apenas o primeiro mês de quatro anos de mandato. Hoje tenho uma equipe que não representa nem 50% do que é permitido no quadro funcional de cada gabinete. Vou realizar a seleção pública para os cargos técnicos de maneira segura, madura, tendo a clareza do papel que cada um pode desempenhar para fazer a transformação social que nosso estado precisa”, destacou Rodrigo em nota encaminha a imprensa. 

Quais os gastos discriminados?O documento que discrimina gastos indenizáveis do exercício da atividade parlamentar e dos servidores lotados em seu gabinete engloba uso de telefone fixo ou móvel, locomoção – compreendendo passagens, hospedagens e alimentação – , locação de automóveis, aquisição de material de expediente, contratação de empresas de consultoria e de assessoria, divulgação da atividade parlamentar em todo tipo de mídia,

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia