Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 813 / 2015

08/04/2015 - 07:52:00

S.O.S ALAGOAS

Cunha Pinto

Tempos de “gatos”

A política de reajuste no setor energético e em vigor desde começo deste mês causa preocupação a quem vive na classe média. Outra questão levantada tem a ver com os preços dos combustíveis e custos de uma feira nos supermercados.   

São notórios

O quilo do queijo tipo mais comum, que até início do ano era em média R$ 19,00 para o consumidor, hoje não custa menos que R$ 26,00. Isso a não ser que o prazo de validade esteja próximo da data do vencimento. O do Reino, se não bate, fica perto dos R$ 90,00.


Milagre das urnas

Propostas sociais dos governos federal e estaduais não necessitam de avaliação? O Bolsa Família em especial? Questão foi levantada no Gazetaweb citando Alagoas hoje com mais de 400 mil inscritos. Já o cidadão observa que no prédio da entidade, no Poço, é diária a multidão na porta. A dúvida é se para primeira inscrição ou renovação.


E tem mais

“Estatísticas sobre a violência urbana é comum nas manchetes diárias da mídia”. Questão teve atenção pela divulgação em um dos sites de maior acesso no Estado com a maioria das chamadas de capa citando casos policiais. Foram 8 das 13 inseridas.


No limite

Apitaço do domingo passado teve como itens de pauta a paciência dos brasileiros começando a se esgotar. A maioria dos que desabafaram problemas teve a ver com o forte movimento das ruas e cobrança maior foi pelo fim da corrupção. Em Maceió o ato ocorreu na Ponta Verde

.
Outro lado

“A AGU insiste na defesa do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e das investigações na época dele no Planalto”. Comentário foi do ministro Luís Inácio Adams feito na Revista IstoÉ de 4 de março. Ele também defendeu “acordo com empreiteiras permitindo rápido ressarcimento”.  Adams é advogado-geral da União.


Ponto de vista

O momento conturbado, que começa a retratar um quadro difícil de controle, e não havendo mudança de rumo na forma como é administrado, não produz risco de radicalizar? Isso se levado em conta o próximo ano ser de eleições municipais e na sequência as de 2018?

Lava jato 

Depoimentos tomados no inquérito da Operação Lava Jato são “contraditórios”. Já nomes citados na mídia nacional e base das denúncias depoimentos têm figuras importantes listadas. Algumas: Edson Lobão (PMDB-MA), Humberto Costa (PT-PE) Linderg Farias (PT-RJ),  Roseana Sarney (PMDB-MA) e o ex-ministro Antônio Palloci (PT). 


Ocupação

Ocupação do calçadão pelos ambulantes é aceita pelos maceioenses em compras. Acham não haver concorrência com lojistas. Já na Praça dos Palmares reconhecem haver risco de acidente ante a baixa altura na coberta de algumas barracas e som alto em áreas com venda de CDs.


Do outro lado

Já os lojistas são divergentes quanto à ocupação do calçadão pelos ambulantes. Uns se habituaram, mas outros pregam o princípio de “cada um no seu lugar”. Suspeitam que entre os camelôs no calçadão haja terceirizados por comerciantes de bairros em Maceió e de cidades próximas.


E do povo

“Eles, os ambulantes não incomodam e às vezes as mercadorias que oferecem são mais em conta”. Comentário é de frequentadores do calçadão, mas defendem disciplina na ocupação de espaço, uso de crachá e o  consumidor ter certeza de não ter encrenca depois.


Caiu na rotina

Operação Lava Jato tem ações transmitidas pela imprensa e dos depoimentos que chamaram atenção constou o do deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal. Foi na quinta, dia 12, e ele, ao deixar a sala, disse: “Não estou aqui em busca de aplausos, mas para esclarecer”.


Temperatura

Maceioenses habituados ao sol forte e ventos brandos nesta época não reclamam do calor, mas da “dor no bolso”. Algo a ver com ar condicionado, ventilador e protetores do corponas esticadas à praia para pegar bronze. A temperatura média bate nos 32 graus, natural para a época.


Timidamente

Pré-candidatos nas eleições municipais de 2016 (prefeito e vereador) não devem se precipitar na pré-campanha. Advertência é de advogados e tem a ver com a distribuição de “santinhos”, mesmo sem citação direta da candidatura. A legislação eleitoral é rigorosa e convenções estão com meses de distância.


Dor no bolso

Lixo jogado na rua, habitual em Maceió, vai doer no bolso com aprovação de lei na Câmara de Vereadores. Proposta a princípio é educativa, daí a multa ser de R$ 50,00. Mas ocorrendo insistência os valores vão ser revistos. Aí, lembra Zacarias (Trapalhões): “Toma...nojentos”.

Abandono

Em Ibateguara, na Rua Miguel Alves, as caixas de coleta de dejetos (fezes mesmo) estão destampadas e se transformam em criatório de mosquitos. O problema é antigo e moradores estão apreensivos pelo risco de contraírem doenças. Dengue principalmente.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia