Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 813 / 2015

08/04/2015 - 07:38:00

Biu de Lira é denunciado no MPF por dar calote em campanha

Candidato derrotado ao governo é acusado de ter débito de quase R$ 2 mi com prestadores de serviço

Carlos Victor Costa [email protected]

Além de derrotado nas urnas, o senador e candidato ao governo de Alagoas na última eleição, Benedito de Lira (PP), terminou a campanha com a fama de caloteiro. Há quase 200 dias o empresário Cristiano Dorta, que foi responsável pela contratação de carros de som,vem cobrando por direito o que tem para receber do senador pelos serviços prestados no último pleito.

 Tendo que vender até o próprio veículo para arcar com as despesas, Cristiano decidiu denunciar Biu de Lira pelo suposto “calote”. O empresário esteve na Procuradoria da República para solicitar uma investigação na prestação de contas do senador, a qual, segundo Cristiano, estaria errada, devido ao débito com ele e outros prestadores de serviço. “Em contrato assinado para a campanha do Biu, disponibilizei através de prestação de serviço 15 carros de som, show pirotécnico e um caminhão F-4000.

O débito comigo chega a quase R$ 150 mil. Desde setembro do ano passado venho cobrando e nada de ser pago”. Além dele, Cristiano ressaltou que o calote se estende a outros empresários. “ O Ednaldo da Gráfica, João Ulisses, da produtora que gravou os programas eleitorais do Biu, uma agência de marketing e outros empresários do ramo de som automotivo.

Juntando o débito de todos, chega a quase R$ 2 mi. Estou representando todos eles nesta luta pelos nossos direitos, pois trabalhamos e merecemos receber”, disse. Questionado sobre o porquê de fazer a denúncia após cinco meses da eleição, o empresário disse que não aguentava mais ir atrás dos responsáveis pelo pagamento e ser “enrolado”. “Resolvi denunciar porque estava cansado de ser enrolado.

O antigo coordenador financeiro da campanha era Gustavo Medeiros, que acabou saindo do Estado, porque não estava aguentando a pressão das cobranças dos prestadores de serviço, pois muita gente está sem receber. Logo após o Gustavo ter ido embora, quem assumiu a frente dos pagamentos foi o sobrinho do senador, o secretário de Habitação de Maceió, Mac Lira, que prometeu nos pagar, mas só ficou na promessa mesmo”. 

Nos próximos dias, a Procuradoria deve pedir ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que inclua e analise novos documentos no processo de prestação de contas do senador Benedito de Lira. Outro fato que chama a atenção é que na consulta dos doadores e fornecedores da campanha de Benedito de Lira, o que parece é que os débitos com os prestadores de serviços citados na reportagem foram omitidos pelo senador. 


TAL PAI, TAL FILHOO deputado federal Arthur Lira (PP), filho do senador, também deu um calote em dezenas de funcionários de uma fábrica da qual era proprietário no Distrito Industrial, em Maceió, chamada de PetNort. Segundo informações, até hoje os antigos funcionários nunca viram a cor do dinheiro das indenizações trabalhistas.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia