Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 812 / 2015

16/03/2015 - 09:10:00

SURURU

Pode ficar pior!

DA REDAÇÃO

Nada é tão ruim que não possa piorar. É o caso de Alagoas, que certamente será a maior vítima dessa briga entre o Congresso e a presidente Dilma. Eleito para comandar o estado mais pobre do país, Renan Filho nutria a esperança de que a reeleição de Dilma - aliada dos senadores Renan e Collor – iria alavancar recursos para tirar Alagoas da miséria endêmica. Atropelada pela crise política gerada pela Lava Jato, a bancada alagoana no Senado entrou em linha de colisão com o Planalto e o sonho do governador virou pesadelo.A menos que aconteça um milagre – que não existe – Renan Filho corre o risco de passar quatro anos administrando a folha de pagamento de um estado falido. Nada mais lamentável.... 

Tô fora!

“Não é independência, é oposição. E é um movimento sem volta. Não existe a hipótese de voltar a apoiar esse governo”. Renan Calheiros 

Culpa do sofá

O desembargador José Carlos Malta vai abrir sindicância interna para investigar quem passou ao jornal EXTRA a denúncia de que seu filho Abdon Neto ganhou um contrato milionário para reformar os fóruns do Estado. Melhor seria investigar as possíveis irregularidades praticadas nesse processo para favorecer a empresa vencedora, da qual o filho é sócio. 

Esperteza

Ao apresentar a documentação pessoal, Abdon Neto anexou apenas a certidão eleitoral onde só consta o nome da mãe. Isto para preservar a identidade do pai-desembargador, o que certamente o impediria de participar da licitação do tribunal. 

Sabe nada, inocente....

O desembargador José Carlos Malta Marques disse ao EXTRA que desconhecia o fato de seu filho Abdon Neto estar disputando uma licitação milionária para reformar os fóruns da justiça. Acredite, se quiser!

Tumulto em Rio Largo 

Acabou em tumulto a sessão da Câmara de Rio Largo que discutia nessa quinta-feira, 12, a cassação do prefeito Toninho Lins (E). Uma liminar concedida pelo desembargador Washington Luiz (C) suspendeu os trabalhos alegando irregularidade na escolha dos membros da Comissão Especial de Investigação (CEI), que recomendou a cassação do prefeito. 


2 Por pouco a sessão da Câmara não acabou em pancadaria entre aliados do prefeito e pessoas do povo que aguardavam o resultado da pendenga entre prefeito e vereadores. 


3 Esta não é a primeira atuação do desembargador Washington Luiz para manter Toninho Lins no cargo, apesar das inúmeras ações de improbidade administrativa que pesam contra o prefeito.  4Outro protegido de Washington Luiz é o prefeito de Joaquim Gomes, Toinho Batista (D) acusado de corromper vereadores e de desviar recursos do município. Afastado pela Câmara, Batista voltou ao cargo graças a uma liminar concedida pelo desembargador. Após a posse, o prefeito foi imediatamente afastado pelos vereadores. 


Fábricas de diploma    

O juiz federal Sebastião José Vasques de Moraes suspendeu a portaria do MEC que exige do aluno nota mínima de 450 pontos na Redação do ENEM para ter direito ao Fies – Fundo de Financiamento Estudantil. Cabe recurso. A decisão do MEC visa moralizar o ensino superior privado, cuja maioria das faculdades viraram verdadeiras fábricas de diploma, incentivadas pelo crédito fácil do Fies. 

Documento histórico

“O impeachment não é uma pena ordinária contra criminosos comuns. É a sanção extrema contra o abuso e a perversão do poder político. Por isso mesmo, pela condição eminente do cargo do denunciado e pela gravidade excepcional dos delitos ora imputados, o processo de impeachment deita raízes nas grandes exigências da ética política e da moral pública, à luz das quais hão ser interpretadas as normas do direito positivo”. 

“Nos regimes democráticos, o grande juiz dos governantes é o próprio povo, é a consciência ética popular. O gover-nante eleito que se assenhoreia do poder em seu próprio interesse, ou no de seus amigos e familiares, não pratica apenas atos de corrupção pessoal, de apropriação indébita ou desvio da coisa pública: mais do que isso, ele escarnece e vilipendia a soberania popular.”

“É por essa razão que a melhor tradição política ocidental atribui competência, para o juízo de pronúncia dos acusados de crime de responsabilidade, precisamente ao órgão de representação popular.

Representar o povo significa, nos processos de impeachment, interpretar e exprimir o sentido ético dominante, diante dos atos de abuso ou traição da confiança nacional.

A suprema prevaricação que podem cometer os representantes do povo, em processos de crime de responsabilidade, consiste em atuar sob pressão de influências espúrias ou para a satisfação de interesses pessoais ou partidários”.

Para quem não se lembra desse texto, trata-se do pedido de impeachment do presidente Fernando Collor de Mello, que foi absolvido no STF de todos os crimes a ele imputados. Hoje, basta trocar o nome do acusado e usar a mesma petição contra a presidente Dilma Rousseff. 

Socialismo

Nesta sexta-feira, 13, às 9 h, no teatro Linda Mascarenhas, no Cepa, vai acontecer um ato de adesão de representantes do movimento sindical de vários estados à Unidade Popular pelo Socialismo. Cerca de cem sindicalistas confirmaram presença. Trata-se de um partido político em processo de legalização, formado por trabalhadoras e trabalhadores, estudantes, jovens e diversos movimentos populares, defendendo um projeto socialista e de apoio à luta social. 


Socialismo 2

O novo partido busca assinaturas de apoio para a legalização da sigla. O presidente nacional é Leonardo Péricles, coordenador do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas, em Minas Gerais. Em Alagoas, o partido é representado por Magno Francisco, professor universitário. Leonardo Péricles vai compare-cer ao ato no Cepa.


TRE em nova sede

A partir da próxima segunda-feira (16), as sessões plenárias do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) acontecerão na nova sede do regional, localizada à rua Aristeu de Andrade, no Farol. Alguns setores da Secretaria também funcionarão, precariamente, a partir da mesma data, no mesmo local.De acordo com o desembargador Sebastião Costa Filho, presidente do TRE, a mudança de todos os setores se dará aos poucos.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia