Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 808 / 2015

11/02/2015 - 19:00:00

Tucson já é linha 2016

Antecipação da linha é legal; o próximo 2016 será o Civic 2016, que chega antes do Carnaval. Mas a estratégia prejudica o mercado de usados

AUTOINFORMES

Quando a montadora lança a linha 2016 você supõe que o carro vem com mudanças, certo? Principalmente se essa mudança ocorre logo no início do ano, como foi o caso do Tuscson. Isso mesmo, o utilitário esportivo fabricado pela Hyundai Caoa em Anápolis, Goiás, é o primeiro do mercado brasileiro que já linha 2016.

No entanto, ele é exatamente idêntico ao modelo 2015.Então por que lançar a linha nova com tanta antecipação? Trata-se de uma estratégia de marketing, e que funciona, tanto que outras montadoras vão fazer o mesmo já já. A Honda já anunciou que o Civic 2016, nesse caso com mudanças na linha, será modelo 2016 já na segunda semana de fevereiro.

A legislação brasileira – ao contrário de outros países - permite o lançamento da linha referente ao ano seguinte a partir de primeiro de janeiro. Isso cria um problema com os carros exportados para a Argentina, que permite a linha 2016 somente no segundo semestre, por isso, durante o primeiro semestre, os carros 2016 vendidos no Brasil vão para a Argentina como modelo 2015. Além disso, a Argentina prevê a mudança do ano modelo apenas um ano após a última modificação.

Nesse período o carro terá que permanecer o mesmo, sem qualquer alteração estética ou tecnológica. Por que esse modelo é mais adequado aos interesses do consumidor? Porque ele compra o carro sabendo quanto tempo ele permanecerá em linha da mesma forma.Portanto, lançar o 2016 em janeiro não é ilegal e nem novidade. Todos os anos um ou outro carro já aparece como linha do ano seguinte já no início do ano.

Para quem vai comprar o carro zero é uma tremenda vantagem, daí ser uma boa estratégia de vendas. Afinal, o comprador vai ficar com um carro “novo” por mais tempo. Se ele vender o carro em 2017, estará vendendo um carro com dois anos de uso mas oficialmente com apenas um ano de idade.

O prejuízo fica com o comprador do usado, que vai pagar mais cario por um carro mais velho. Explico: o que vale no Mercado de usado é o ano modelo e não o ano de fabricação. Assim, daqui dois ou três anos, esse Tucson 2016 terá um valor maior do que o seu concorrente modelo 2015.

O diretor de uma grande montadora disse que não vê problema na antecipação do ano modelo:“A chegada da linha do ano seguinte no início do ano já está na cultura do consumidor brasileiro”, disse o dirigente, que considera a estratégia válida. Para ele, trata-se de um instrumento de competitividade.“Não podemos perder mercado para o concorrente. Se ele se antecipou, vamos nos antecipar também”, disse. Um indicativo de que novas levas de modelos 2016 devem estar chegando por aí.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia