Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 808 / 2015

11/02/2015 - 18:49:00

Gabriel Mousinho

Será a vez de Alagoas?

O Estado de Alagoas não pode reclamar de sua proximidade com o Poder Central nas últimas décadas, mesmo que não tenha usufruído o bastante do governo federal.Para aguçar a memória dos alagoanos, nós já tivemos um presidente da República, Fernando Collor de Mello, um governador, o Téo Vilela, amigo de outro presidente, o Fernando Henrique Cardoso e o senador Renan Calheiros, quatro vezes presidente do Senado Federal, afora outros cargos de grande relevância por influência direta da bancada federal.Mas existem muitos questionamentos a fazer durante todo esse tempo. Por exemplo: porque até agora não foi resolvida a duplicação da Al-101 Norte prometida e cantada em prosas e versos? Porque ainda está no papel a construção do aeroporto de Maragogi que oxigenaria o turismo em toda a região? Porque a duplicação da BR-101 trecho de Alagoas que vem se arrastando há anos? Porque o Estado nunca conseguiu a instalação de uma montadora a exemplo de Pernambuco e outras unidades da Federação para produzir milhares de empregos para os alagoanos carentes de tudo? Cadê o estaleiro de Coruripe anunciado e reivindicado por boa parte da classe política? Porque não resolveram até agora a situação deplorável do Vale do Reginaldo que tantos transtornos têm criado para o povo? Qual, finalmente, o grande projeto realizado em Alagoas, com exceção do Canal do Sertão, que não só contempla o Estado e a construção de milhares de residências do projeto Minha Casa, Minha Vida, através do Ministério das Cidades no governo passado,Será, agora, a vez de Alagoas?

Ridículo

Montado em um boi nelore, o deputado eleito Tarcísio Freire, de Arapiraca, foi até a Assembleia Legislativa para tomar posse. Ridículo. É por isso e por outras coisas que essa instituição é cada vez mais desacreditada. Pela atitude do deputado, que fez o bonito boi passar algumas privações, o que será mesmo que ele irá fazer na Assembleia Legislativa?

É o cara

O senador Renan Calheiros mostrou que tem força politicamente, tanto no PMDB, como no governo federal. Foi reeleito presidente do Senado sem grande esforço. A oposição mostrou incompetência durante a campanha, já que, somente nos últimos dias, apresentou o nome do senador Luiz Henrique para concorrer com Renan.

Lava a Jato

A política brasileira pode mudar a partir do próximo mês, quando o processo da Laja Jato estará em pleno vapor. Além de grandes figuras da República que estão no olho do furacão, deputados e senadores irão amargar as denúncias dos corruptos envolvidos na deleção premiada.

Cobrança

As cobranças por espaços no governo se não chegam ao próprio Renan Filho, chegam ao pai. Quem não dorme esperando um telefonema é o ex-prefeito de São Luiz do Quitunde, o suplente Cícero Cavalcante. A tropa do governo estuda uma fórmula para não desagradar Cavalcante, um gigante nas várias campanhas políticas de Renanzinho e Renanzão.

Sem perdão

O PMDB parece que tomou conta mesmo de uma banda do Estado. Tem o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, o governador Renan Filho, o vice Luciano Barbosa, o presidente da Assembleia Legislativa, Luiz Dantas e o presidente da Câmara de Maceió, Kelman Vieira.Mas já dizia um velho político alagoano que toda ´´unanimidade é burra´´.

Será se aguenta?

O deputado Luiz Dantas que ganhou de lavada para a presidência da Assembleia Legislativa, com o dedo do colega Olavo Calheiros, iniciou o mandato com gosto de gás. Reuniu servidores, determinou o corte de excessos na Assembleia e prometeu muito trabalho para resgatar a imagem desgastada da instituição. Para consertar a Casa de Tavares Bastos, Luiz Dantas vai precisar de muito preparo físico.

Até tu?

Muitas mensagens de parabéns foram publicadas na Gazeta de Alagoas sobre a posse de Fernando Collor e a vitória de Renan Calheiros para a presidência do Senado da República. Até a família Pereira que tradicionalmente vota em Biu de Lira entrou na dança.

Demonstração 1

Mesmo que a grande imprensa se faça de indiferente, o senador Biu de Lira começa nova legislatura liderando um bloco de dezesseis senadores, dando uma demonstração de força no Senado Federal.

Demonstração 2

Já o deputado federal Arthur Lira, mostrou por que foi líder meses atrás da bancada do Partido Progressista na Câmara. Demonstrando grande poder de articulação e sendo um dos principais parlamentares que tocaram a campanha de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara, Arthur foi indicado para a presidência da Comissão de Constituição e Justiça – CCJ, a mais importante da Casa. Os dois acontecimentos, parecem, não foram digeridos pelos seus adversários políticos em Alagoas.

Alto lá

Parece que não será tão fácil o ministro Gilberto Kassab fundar o novo partido, o PL, que já está trabalhando para conseguir o número exigido de assinaturas pelo Tribunal Superior Eleitoral. A Câmara dos Deputados, logo no segundo dia, já anunciou que a criação de novos partidos não vai ser como muita gente está pensando.

Ameaça ao PMDB

Fundando o Partido Liberal e trazendo alguns deputados federais para a legenda, Gilberto Kassab aposta que, na fusão com o PSD, ultrapasse o PMDB, o que significaria a implosão do partido de Michel Temer, que perderia espaço considerável no governo federal. Pelo andar da carruagem, o PL vai demorar a ser criado.

Deixa a vida me levar

O ex-deputado federal João Lyra confidenciou a um amigo, que está acostumado com traição, tanto na vida empresarial como na política. Ele tem revelado que não se deve confiar em ninguém, nem em muita gente da própria família.

Testando o governo

A Câmara deve instalar a CPI da Petrobras e terá uma contribuição, pelo menos até o momento de quatro deputados federais que já se manifestaram a favor. JHC, Ronaldo Lessa, Marx Beltrão e Pedro Vilela, estão entre as 186 assinaturas. A surpresa foi à assinatura de Beltrão e Lessa, considerados da base governista. Poderia ser um aviso ao governo de que precisariam de um melhor tratamento daqui pra frente.

Cansaço

Alguns amigos do secretário do Gabinete Civil, Fábio Farias, temem pela sua saúde. Mergulhado nos assuntos do governo, Farias, mesmo que a família lhe dê respaldo nos seus negócios particulares, se desdobra para atender a dois senhores. Com a experiência de quem já passou pela Secretaria de Educação de Alagoas, mas que lhe custou muitas noites de sono, Fábio é incógnita se continuará até o fim do governo na pasta que ocupa.

Rosa Pink

A secretária de Saúde de Rio Largo, Kátia Born, virtual candidata à prefeita apoiada por Toninho Lins, está dando um banho de rosa nos prédios municipais que estão sob a sua batuta. É a marca registrada para uma campanha que já começa a tomar corpo.  Insatisfeito com a escolha feita, onde achava que era sua vez, o líder do prefeito, na Câmara, Roberto Menezes, entregou o cargo. 

Aí, tem

A ausência do deputado estadual Marcelo Victor da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa tem alguma coisa de estranho nisso tudo. Victor é cobra criada, um gênio, ninguém sabe para o bem ou para o mal. Mergulhando no anonimato, sem chiar, parece coisa articulada com a atual Mesa Diretora.

Cobrança

O governador Renan Filho tem sido cobrado muito por cargos comissionados, mas através de seus auxiliares. Ele não tem dado muita bola aos ´´pedintes´´ de cargos que achavam que teriam facilidades no governo. Como não soube quanto custou à eleição, Renan Filho joga duro. E vai jogar mais duro ainda até quando o governo se encontrar em dificuldades financeiras e no limite da Responsabilidade Fiscal.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia