Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 807 / 2015

04/02/2015 - 19:24:00

Codevasf firma termo de cooperação para preservar nascentes do rio São Francisco

Proposta é criar um modelo de remuneração aos proprietários que executarem essas ações ambientais

DA REDAÇÃO COM ASSESSORIA

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) vai somar esforços com outros órgãos públicos para fortalecer o trabalho de revitalização do rio São Francisco no estado de Sergipe. Por meio de um termo de cooperação técnica firmado com a prefeitura de Canindé de São Francisco, a Codevasf aderiu ao projeto “Nascentes do São Francisco”, desenvolvido pelo Ministério Público de Sergipe.

O projeto busca fomentar ações de longo prazo para reverter a degradação ambiental no Baixo São Francisco. O acordo de cooperação técnica terá vigência inicial de cinco anos e estabelece que, entre outras ações, caberá à Codevasf oferecer apoio técnico para a verificação da qualidade da água do rio São Francisco e a participação em projetos de recomposição vegetal, o que inclui o fornecimento de mudas e a construção e manutenção de um banco de sementes. O município de Canindé de São Francisco, por sua vez, será responsável pelo apoio à equipe técnica Codevasf, entre outras obrigações. 

 As primeiras ações do projeto serão implantadas nos assentamentos Mandacaru I e II, na bacia do rio Curituba. O objetivo é ampliar a disponibilidade e melhorar a qualidade da água nessas comunidades por meio de serviços ambientais prestados por proprietários rurais que aderirem voluntariamente ao “Nascentes do São Francisco”.

A proposta é criar um modelo de remuneração aos proprietários que executarem essas ações ambientais. A comunidade também receberá ações de educação ambiental.  Nessa primeira etapa, está previsto o fornecimento de 10 mil mudas e a implantação de um viveiro de mudas nos assentamentos contemplados. A Codevasf também irá fornecer acompanhamento técnico durante o plantio das mudas, com orientações para o combate a formigas e para o manejo da vegetação.

A coleta de sementes também está incluída entre as ações que serão executadas nos assentamentos Mandacaru I e II. O projeto “Nascentes do São Francisco” é coordenado pelo Centro de Apoio Operacional ao Rio São Francisco e Nascentes do Ministério Público de Sergipe.

Além da Codevasf, a iniciativa envolve também a participação do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) e do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec).

Recuperar nascentes

A presidente da República deveria dar uma grande missão ao Ministério do Meio Ambiente: mapear todas as nascentes e fontes de água e recuperá-las e protegê-las com matas e ensinando consciência às populações locais. Um programa que custará até um bilhão de reais para recuperar mais de um milhão de nascedouros, mas que certamente salvará o futuro do Brasil, o futuro de nossos filhos e netos.

Não é um programa que exigirá muito planejamento, é algo que deve ser construído nas três esferas de poder, governo federal, estadual e municipal. A execução é no local com assessoria federal ou estadual, cientistas que já estão alocados em universidades e institutos de pesquisa.

A recuperação das matas nos nascedouros e das matas ciliares ao longo dos rios é um projeto mais que republicano, haja vista a crise que hoje enfrentamos. E não é um projeto novo, diversas ações estão acontecendo nos estados, talvez a inovação esteja em agir a partir de um plano nacional.No Paraná, por exemplo, o projeto Água Viva, da cooperativa Coopavel com apoio da Syngenta, completou dez anos e recuperou oito mil nascentes em 70 municípios.

Para os próximos dez anos, o programa, que criou um método simples de revitalizar fontes naturais de água em propriedades rurais, será expandido, tendo como meta recuperar 1,5 mil nascentes por ano.Para recuperar uma nascente, gasta-se entre R$ 500 e R$ 1 mil. O projeto Água Viva arca com parte desses custos. No Brasil ainda não existe nenhum tipo de remuneração para os produtores por serviços ambientais, a preservação de nascentes é uma obrigação dos proprietários dos imóveis. Algo a ser mudado, senhores e senhoras deputados e senadores.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia