Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 807 / 2015

04/02/2015 - 07:23:00

Intervenção já

Alari Romariz Torres Aposentada da Assembleia Legislativa.

Desde 2003, a Assembleia Legislativa de Alagoas vem gastando os duodécimos do ano todo até o mês de novembro. Começa, então, o tal pedido de verba suplementar.

Se nós estamos em 2015, faz exatamente doze anos que a história se repete.Durante todo esse tempo aparecem denúncias sérias a respeito de desvio de dinheiro público, servidores fantasmas, laranjas que recebem verdadeiras fortunas e as devolvem para os parlamentares.

Sem falar no excesso de comissionados, cujo total chegou a 900. Ninguém resolve nada! A Justiça calada, o MP depois do corte de seu duodécimo, recuou. As loucuras cometidas pelos parlamentares não cessam!Taturanas I e II não foram condenadas e o presidente acusado virou conselheiro do Tribunal de Contas.

Pobre Fernandinho!!!!!!Fico impressionada com a insensatez de alguns deputados: andam pelas ruas, restaurantes, como se nada tivessem praticado. Encaram os familiares sem a menor noção de atos irregulares que praticaram e praticam.

Em 2014, logo cedo, a Mesa Diretora da ALE prometeu às entidades que pagaria o mês de dezembro e o 13º salário. “Fiquem tranquilos, afirmava o Fernandinho, está tudo certo; só sairei quando deixar tudo em dia; pagarei aos servidores e sairei pela porta da frente.”Pura piada! Fernandinho gastou fortunas com advogados, mais ainda para eleger o filho deputado, usando inclusive, assessores como cabos eleitorais e fugiu! Não pagou nada, não fez festa de despedida e foi!!!

Os servidores, tontos, estarrecidos, ficaram a ver navios! Assume o vice-presidente, que já dirigiu a Casa por duas vezes e não deixou boas lembranças. Aí, o governo deu a entender que nada devia ao Legislativo e só repassaria o duodécimo de janeiro para a nova Mesa Diretora. Mais uma vez as vítimas são os ativos e inativos que não desviaram dinheiro público.

Passaram Natal e Ano Novo sem salário, olhando para o céu e pedindo a ajuda de Deus.O atual presidente ciscou, ciscou e viu que não viriam recursos para sua mão. Resolveu conceder entrevista coletiva e “denunciar”. Puro jogo de cena: os 200 comissionados que foram introduzidos na folha como servidores estáveis, vinham, há muito tempo, fazendo parte dos laranjas que recebiam dinheiro e devolviam grande parte aos patrões.

E, na tal lista há assessores do atual presidente.Notícias surgem: vem aí uma nova Mesa, resultante de acordo com o governador! Vai consertar tudo, vai pagar tudo. Será uma nova ALE!Nós procuramos ver quem fará parte da nova diretoria da casa: Luiz Dantas, presidente (vem da legislatura anterior).

Ronaldo Medeiros, vice-presidente (vem da legislatura anterior). Ricardo Nezinho, primeiro-secretário (vem da legislatura anterior), Marcos Madeira (fazia parte da mesa anterior). E ainda dizem que Marcelo Vitor, mentor intelectual dos malfeitos praticados pela mesa que sai, fará parte do novo grupo.Indignada fico pensando: todos esses deputados nunca denunciaram os crimes dos companheiros; como vão corrigir algo? Depois de tantas denúncias, de tantos desacertos, como pessoas que participaram de outros carnavais surgem agora como salvadores da pátria?Tomamos como exemplo o possível primeiro-secretário: moço de Arapiraca, cujo pai já foi deputado.

Toda sua família com poucas e honrosas exceções, é funcionária do Legislativo e não trabalha, nem aparece por lá. Ele vai corrigir o quê?Se fôssemos analisar um por um os novos membros da Mesa, poucos escapariam dos deslizes cometidos pelos dirigentes passados. Sem falar na divisão de cotas mensais para os srs. deputados, fato que assusta a sociedade alagoana.Deduzimos então, que não há saída para a Assembleia Legislativa de Alagoas se levarmos em conta os nomes escolhidos pelo governador.Só há uma solução definitiva, honrosa e verdadeira: intervenção já!!!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia