Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 805 / 2015

20/01/2015 - 18:29:00

Gabriel Mousinho

Começo de Governo

Corte em cargos comissionados, aumento da arrecadação, Lei da Responsabilidade Fiscal, volta dos militares aos quartéis, extinção de secretarias. Este filme todos nós estamos cansados de ver quando termina um governo e assume outro.Para se ter uma ideia da eficácia dessas medidas adotadas por Renan Filho, só mesmo nos seis primeiros meses de administração. Até lá, quem sabe, as contratações de comissionados voltarão aos poucos, as secretarias passarão a gastar mais, o governador mude de ideia e convoque as reservas técnicas de diversas instituições e o reforço policial nos municípios deve perder o ímpeto inicial.

Alguma coisa de diferente de governos anteriores? Que nada. Ninguém muda um governo com seus velhos hábitos enraizados na cultura local, numa simples canetada. Além disso, Renan vai ter que conviver com a pressão de servidores por reajustes salariais, pedidos inusitados da classe política e espaço generoso para os deputados que formarem o grupo de sustentação na Casa de Tavares, o que é quase a unanimidade, para que garantam a provação de seus projetos.O começo de governo é assim mesmo. Tomara que este seja diferente dos demais que se alojaram no Palácio República dos Palmares durante as últimas décadas.

Gazeta x Pajuçara

A relação entre as emissoras de TV da Gazeta e Pajuçara nunca foi tão ruim como nos últimos meses. O tempo esquentou quando a TV Gazeta convenceu o presidente da Federação Alagoas de Futebol, Gustavo Feijó a assinar contrato com a Organização Arnon de Mello para transmitir o campeonato alagoanos de futebol, deixando a TV Pajuçara na mão. Como troco, a Pajuçara contratou a apresentadora da Gazeta, Gilka Mafra para ser âncora do Pajuçara Noite. Como se vê, novos lances devem acontecer nos próximos meses.


Sinal de alerta?

A disposição com que as policiais têm combatido o crime em Alagoas, nos últimos dias, pelo menos até agora não se observa divisão entre os que comandam a segurança pública. Os muxoxos de bastidores são comuns quando se contrariam grupos internos nas instituições. Mas não custa nada o governo ficar alerta.


Bem cercado

Pode parecer muita coincidência, mas o governador Renan Filho está bem situado em todos os poderes. Na Polícia Militar, o comandante Lima Júnior é irmão do desembargador Domingos Neto. Já a Secretária de Cultura, Mellina Freitas, é filha do também desembargador e presidente do Tribunal de Justiça, Washington Luiz. O Secretário do Trabalho, Rafael Brito é genro do presidente do Tribunal de Contas do Estado, Lessa e o tio, deputado Olavo Calheiros, será o mais influente parlamentar na Casa de Tavares Bastos.

Opinião

De um observador político sobre o secretariado de Renan Filho: ´´foi um dos mais ruins dos últimos tempos, salvo algumas raríssimas exceções´´.

Oportunidade

O suplente de deputado Cícero Cavalcante está cobrando a fatura do seu trabalho na campanha de Renan. Não diz publicamente, mas anda queixoso do tratamento que até agora lhe foi dispensado. Peemedebista de carteirinha, Cavalcante não vai admitir ficar no banco de reserva.


Reação

Pessoas muitas ligadas ao governador Renan Filho e que pegaram na asa do caixão durante a campanha, estão insatisfeitos. Reclamam que não foram lembrados pelo governador e parece que não irão ser mesmo.


Caso de polícia

Vivendo à míngua, com uma população carente e inclusa em situação de emergência por causa da seca, a prefeitura de Poço das Trincheiras preferiu, em vez de água e comida, dar alegria ao povo fazendo uma festa de arromba nos dias 2, 3 e 4 de janeiro, que custou à bagatela de 360 mil e 24 reais aos combalidos cofres públicos. Um acinte para quem vive na miséria.

O governador é outro

Muitos ´´artistas´´ que vivem à sombra do senador Renan Calheiros, acham que o governador é ele, quando quemfoi eleito foi o filho. Renan Filho tem dado demonstração de fazer um governo independente, sem influências, nem do seu pai, para não assumir compromissos que possam lhe trazer problemas futuramente. 


Nos ares

Depois de mandar um helicóptero da época de Geraldo Bulhões para o Agreste, devidamente recuperado, é claro, o governador deve se posicionar sobre o contrato de um jatinho que custa 400 mil reais por mês e 6 milhões por ano.


Ostentação

Um secretário de Estado recém-empossado se deliciava com os quitutes do Massarella na última quarta-feira, enquanto o motorista em um Línea prata oficial esperavam pela autoridade. Começou fazendo exatamente o contrário do que tem pregado o governador Renan Filho.


´´Esqueceram de mim´´

O clima não é lá esse ouro 18 da turma que ficou na linha de frente na campanha de Renan Filho. Até agora o Diário Oficial do Estado não deu sinal de vida a nenhum nome das pessoas próximas ao governador, ou mesmo do senador Renan, a exemplo de Horácio Aguiar, Sabino, Ademir Cabral, Marco Toledo, Rebson Cavalcante, Fátima Borges, Ricardo Santa Rita e outros.


Decidido

O senador Biu de Lira esteve com o Ministro Aloísio Mercadante e recebeu a confirmação de que ninguém mexe no segundo escalão do Governo sem o aprove-se do Palácio do Planalto. A notícia colocou uma pá de cal nos boatos plantados na imprensa.No PlanaltoA partir de fevereiro e de quinze em quinze dias, o senador Biu de Lira estará em reunião com a presidente Dilma Roussef. Lira, líder do PP no Senado, faz parte do seleto grupo que conversará com a presidente sobre os problemas nacionais.


A pão e água

A Assembleia Legislativa nem vá pensando que encontrará facilidade no repasse de mais dinheiro do que o duodécimo pelo governo do Estado. Renan Filho já mandou o recado de que não tem nada com isso, mesmo que precise agora dos deputados para manter o veto sobre a 17ª Vara. Com maioria folgada na Assembleia a partir de 1º de fevereiro, pouquíssimos deputados farão oposição ao governo.


O troco é agora

Vários deputados têm se reunido às escondidos para tratar do veto do governador ao projeto da 17ª Vara que eles derrubarão. Uns acham que será uma desmoralização ser mantido o veto de Renan Filho, principalmente depois que ele deu às costas para conseguir mais verbas para pagar servidores da Assembleia. A prova de fogo acontecerá por esses dias.


Troca na Casal

O engenheiro Clécio Falcão será o novo presidente da Casal, cargo que vinha sendo exercido pelo também engenheiro Álvaro Costa, especialista na área. Costa, inclusive, passou alguns anos à disposição do setor de águas do vizinho Governo de Pernambuco, sendo considerado um dos técnicos mais competentes do setor. Alguns servidores da Casal acreditam que não foi uma boa troca.

Na Arsal

O fiel escudeiro do senador Renan Calheiros, Marcus Vasconcelos, está sonhando com a presidência da Arsal. Mas seu nome terá que passar pelo crivo da Assembleia Legislativa. Como tem muitas outras pessoas que trabalharam pesado na campanha de Renan Filho, o governador está receoso de desagradar à maioria.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia