Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 804 / 2015

14/01/2015 - 07:20:00

Pinto de Luna renuncia à verba de gabinete e vai doar parte de seu salário

Delegado federal assume vaga deixada na Câmara pelo agora governador de Alagoas Renan Filho

Carlos Victor Costa [email protected]

Com a saída dos parlamentares que assumiram mandatos de governador e de vice ou cargos nos governos estaduais e federal, a Câmara deu posse a 23 novos deputados federais. Entre eles estão dois alagoanos: Pinto de Luna e Gilberto Coutinho, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT). Mesmo sem uma única sessão marcada, eles terão direito ao salário integral de R$ 26,7 mil e a usar R$ 78 mil para montar gabinete e contratar assessores.

Ou seja, R$ 104,7 mil por menos de 30 dias na Casa.O delegado aposentado da Polícia Federal Pinto de Luna, que assumiu a vaga deixada pelo governador Renan Filho (PMDB), deixou claro em coletiva para imprensa realizada na terça-feira (6) que apesar de achar imoral ganhar sem trabalhar, resolveu assumir o cargo principalmente por conta dos 24.100 votos que teve. “Assumo essa responsabilidade pelos meus eleitores. Irei honrar cada voto nesses 30 dias”. 

Luna disse também que tentará entrar em acordo com a Câmara para que ele não precise nomear assessores, o que seria uma exigência da Câmara, e nem gastar os R$ 100 mil a que tem direito em verbas. “Eu teria direito a nomear até 25 pessoas para me assessorar, mas não farei isso. Preocupo-me com o dinheiro público e não seria correto fazer isso.

Mesmo assim irei trabalhar nesses 30 dias e o salário que vou receber usarei apenas para pagar minha estadia e passagem e uma outra parte vou doar para alguma instituição”, disse. De acordo com o agora deputado federal, sua decisão em assumir o curto mandato também tem o objetivo de ajudar a bancada do PT em Brasília a eleger o deputado petista Arlindo Chinaglia presidente da Casa e poder ter acesso livre na Câmara Federal.

“Após ter o broche colocado no peito, o deputado começa a ter livre acesso ao parlamento, o que pode facilitar nas questões de interesse dos alagoanos. Como no caso dos agentes penitenciários que lutam por melhorias para a categoria. Se eu tivesse mais tempo como deputado, iria também trabalhar por uma divisão correta dos royalties, pois o que acontece hoje é um absurdo”.


“SOU DEPUTADO”

Procurado pela reportagem, Gilberto Coutinho afirmou que é tão deputado como qualquer outro e que vai usar o dinheiro para exercer sua função. “Sou tão deputado como qualquer outro; tive mais de 12 mil votos e não estou me aproveitando dos recursos públicos. Se vou trabalhar, não tem porque abrir mão desse recurso que tenho garantido por lei”. Coutinho disse ainda que não tem carro e, por isso, vai alugar um veículo para se locomover e “ir onde o povo está”.

“Sou professor, não tenho automóvel e terei que estar viajando sempre para resolver questões relacionadas a demandas de Brasília. Estou trabalhando e tenho audiências no interior”, acrescentou. A Câmara só retomará os trabalhos em 1º de fevereiro, quando serão empossados os parlamentares eleitos em outubro do ano passado e ocorrerá a eleição da Mesa Diretora para o biênio 2015-2016. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia