Acompanhe nas redes sociais:

18 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 804 / 2015

13/01/2015 - 06:51:00

JORGE OLIVEIRA

Record aplica golpe na Globo

Rio - Ao saber que o Palácio do Planalto pretendia reanalisar a indicação do deputado pastor George Hilton para o Ministério do Esporte, o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, soltou os cachorros em cima da Dilma. Disse, entre outras coisas, que ela não se atrevesse a fazer tal coisa porque corria o risco dele levar seus 21 deputados para a oposição.

Pereira não quer ser contrariado com o provável recuo da presidente com quem ele despachou para garantir o ministério para seu partido. Como se sabe, Hilton é um velho conhecido da Polícia Federal. Foi detido em 2005 no aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, com 600 mil reais, acomodados em onze caixas. Além disso, responde a processo de execução fiscal na Justiça Federal.

O repúdio ao novo ministro surge de todo lugar. A ONG Atletas do Brasil, que reúne 61 desportistas e medalhistas olímpicos, reagiu à indicação que chamou de “vergonha” para o esporte brasileiro.A advertência de Marcos Pereira fez tremer os alicerces do Planalto agora sob a batuta de Aloizio Mercadante que tem como meta limpar do mapa os ex-auxi-liares de Lula que ainda permaneciam como olheiros lá dentro. O partido do Pereira, que reúne os pastores da Igreja Universal, descobriu o filé mignon do gover-no: o esporte. É o PRB que vai administrar os Jogos Olímpicos em 2016.

Por isso, ao saber que a nomeação do seu pupilo corria o risco de não se concretizar, Pereira ameaçou desestabilizar o governo juntando-se à oposição. Dilma, que acaba de escolher o ministério mais desqualificado da história do país, calou-se. Não deu sequer um pio para não contrariar o aliado.O PRB não tem nada de bobo. O partido, que tem entre seus integrantes o ex-ministro da Pesca, Marcelo Crivela, senador e pastor da Igreja Universal, sabe da importância do Ministério do Esporte nos Jogos Olímpicos. Sabe também que a TV Record do bispo Edir Mace-do pretende fazer

um ataque frontal à TV Globo, a emissora que detém a maior fatia dos direitos de transmissão de esporte no Brasil, um negócio bilionário, ocupando os espaços na área esportiva. Para quem não se lembra, os últimos Jogos Olímpicos de Inverno e Verão foram transmitidos pela Record com exclusividade.A estratégia, portanto, da tevê do bispo está dando certo. O PRB, além do ministério, começa 2015 ocupando mais quatro secretarias de Esporte no Brasil.

Em São Paulo indicou o vereador Jean Madeira; em Minas Gerais,  o deputado estadual Carlos Henrique; no Ceará, o deputado estadual David Durand; e no Distrito Federal, Leila Barros, a medalhista olímpica de vôlei.É claro que a TV Globo está observando as artima-nhas do bispo Macedo. E mais cedo ou mais tarde vai cobrar caro do governo esse privilégio da Universal de ocupar a área do esporte sem nenhum critério de qualidade dos indicados, como é o caso do deputado George que entra no ministério como Marcelo Crivela na Pesca: sem conhecer patavinas do assunto. 

Sepultura

Pois é, assim a Dilma está cavando a própria sepultura. Despreparada para administrar o país, ela simplesmente não sabe o que ocorre a sua volta. Sem interlocutor confiável para discutir os problemas do país, a presidente ignora seus assessores e faz vista grossa para o que ocorre nos bastidores da política.O caso do Ministério do Esporte não é apenas uma mudança de titular, mas a manipulação de um orçamento de R$ 1,3 bilhão para os Jogos Olímpicos, de um total de R$ 2,5 bilhões disponíveis para o esporte.  Além disso, põe  a TV Record no centro de um dos eventos mais importantes do mundo.


O troco

Como o PT é um partido vingativo, há quem afirme que a Dilma está dando o troco na organização dos Marinho. A presidente teria armado pra cima da TV Globo insatisfeita com o comportamento da emissora durante a campanha que não lhe deu colher de chá nas entrevistas ao vivo nos telejornais a ponto dela ter cancelado um desses encontros no Jornal da Globo. CapachosAlguns ministros da Dilma não são apenas medíocres. Ele são, acima de tudo, capachos, subservientes. É o caso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa. Como esse senhor, de hoje por diante, vai encarar seus subordinados no Ministério do Planejamento depois que a Dilma o esculachou publicamente, descredenciando-o de falar sobre o salario mínimo?


Vergonha

O ministro nem bem tinha assumido o cargo, quando recebeu um pito da presidente que passava férias na Bahia. Ela o desautorizou a falar sobre o salário mínimo. Disse que as suas declarações não representavam necessariamente o pensamento do governo. Nelson Barbosa curvou-se diante da chefe e de hoje por diante tudo que falar tem de ser filtrado antes por ela. Trata-se de um ministro desmoralizado que já começa os trabalhos abaixando as calças. Portanto, fica difícil para esse senhor planejar o país sem que seus projetos passem antes pelas mãos da Dilma e seus assessores mais diretos.

Vaidade

O que leva uma pessoa como Nelson Barbosa a se submeter a tão vexatória humilhação? O poder? O dinheiro? Ou os arranjos que fará no ministérios para os apaziguados?  Para o ministro não importa o grau de humilhação a que se submeteu. O que importa, na verdade, é estar pendurado ao poder e dele fazer seu pé de meia lá na frente, como fizeram todos os ministros que serviram ao governo do PT até agora.

O ladrão? 

Atenção, muita atenção Brasil, Gilberto Carvalho, o espião do Lula dentro do Palácio do Planalto, fez uma declaração “estarrecedora”, para usar o pobre vocabulário da Dilma, ao deixar o cargo de secretário-Geral da Presidência da República: “Não sou ladrão”. Pobre de um país que o principal ministro da corte deixa o poder dizendo que não faz parte da “organização criminosa” denunciada pelo senador Aécio Neves.

Acredita?

Ao deixar o cargo de secretário-Geral da Presidência da República, o ex-seminarista Gilberto Carvalho desabafou diante da plateia que foi assistir a sua despedida no Palácio do Planalto: “Não somos ladrões, não somos ladrões”.  Carvalho defendia-se das acusações de Aécio Neves de que o Brasil é administrado por uma “organização criminosa”. Pois bem, agora com esses esclarecimentos, pede-se encarecidamente aos brasileiros que não acusem mais os petistas de roubarem o país. Fica decidido por decreto presidencial que não houve roubo na Petrobras e que os mensaleiros são uma invenção dessa oposição derrotista e invejosa.

 
O olheiro

Gilberto Carvalho, que foi deixado no Planalto por Lula para vigiar os passos da Dilma, agora vai se juntar aos lulistas que não colaboram mais com a Dilma, que, com a formação desse novo governo, se afasta mais ainda do seu criador. Esses dissidentes certamente vão bater ponto agora no Instituto Lula, o quartel-general da conspiração contra a Dilma. Carvalho não tem do que se queixar. O Lula arrumou um boquinha para ele na presidência do Conselho do Sesi, um salário que beira os quase 50 mil reais por mês. Se fosse disputar o mercado de trabalho, certamente teria dificuldade para encontrar uma função com essa remuneração. Quem sabe, talvez um emprego de coroinha em um bairro distante de São Paulo. 


Digitais
Carvalho também foi aplaudido pelos militantes petistas quando fez outra revelação importante: “Nós temos dignidade”. Esses esclarecimentos de Carvalho são importantes para evitar que brasileiros maldosos espalhem que a petezada aparelhou o estado e vive dilapidando o patrimônio nacional. Por razões óbvias, ele deixou de fora os escândalos da Petrobras, onde estão as digitais dos militantes petistas que durante muito tempo enfeitaram a coroa do rei e da rainha do Planalto. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia