Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 803 / 2015

07/01/2015 - 08:26:00

PEDRO OLIVEIRA

O poema de Guevara

Ernesto Che Guevara, comunista, ateu e guerrilheiro, nos últimos momentos de sua vida, na certeza de que tudo tinha acabado. Antes de ser entrincheirado, capturado e morto pelo exército boliviano, em La Higuera, perto de Vallegrande (Santa Cruz), em 9 de outubro de 1967, haveria escrito este poema que foi encontrado em sua mochila.É um dos textos que mais me toca e o publico para reflexão neste Natal.
“Cristo, te amo não porque desceste de uma estrela mas porque me revelaste que o homem tem lágrimas e angústias e chaves para abrir as portas fechadas da luz. Sim, tu me ensinaste que o homem é Deus eum pobre Deus crucificado como tu. E aquele que está à tua esquerda no Gólgota o mau ladrão também é um Deus”.Che Guevara

Um ano sem comemorações para o Brasil

Por certo e tradicional no últimodia 24 em comemoração à véspera de Natal as famílias e os amigos se encontraram para confraternização e celebrar fraternalmente o amor, as conquistas e a esperança. O brasileiro é assim mesmo, comemora tudo e muitas vezes até velório vira festa. Por falar nisso vocês já prestaram atenção o quanto se fofoca e se confraterniza antes dos enterros? São amigos que há muito não se encontram, sempre as boas ações do morto (morreu acabou os defeitos) .

Cochichos e gargalhadas discretas ( e as vezes nem tão discretas) pelos cantos transformam o velório num encontro social. Fiz essa comparação de propósito, pois embora estejamos comemorando entre amigos e famílias o Nata e as festas de fim de ano, quantos não estiveram impossibilitados de fazê-lo? Os doentes, os miseráveis, os infortunados, os famintos de justiça? Vejam os contrastes com os quais nos deparamos no país.

Milhares de crianças e jovens foram privados de uma refeição digna durante o ano porque lhes roubaram a merenda escolar. Ainda recentemente a Policia Federal desbaratou uma gangue formada por diretores de escolas, agentes da administração pública e empresas marginais. Foram presos, mas já estão soltos e certamente tiveram o dinheiro da propina para comprar peru e champanhe. É um crime perverso, mas aqui é considerado “sabedoria”. 

Permanecendo na pauta dos contrastes assistimos em uma aberração humana senadores e deputados aprovarem polpudos aumentos de salários para a presidente da República, ministros, os próprios senadores e deputados, membros do Poder Judiciário e procuradores. Este aumento afrontoso para a sociedade e criminoso diante da miséria vem “em cascata” para os juízes, procuradores e promotores dos estados. A média do aumento concedida a estas autoridades foi de 30 por cento. Estes sim, poderam com suas mesas cheias de perus, whisky importado , caviar e presentes caros para os filhos e adjacentes.

E os miseráveis que são milhões neste país desgraçado pela corrupção, o corporativismo e roubo descarado do seu dinheiro? Com certeza não apenas nada tiveram a comemorar e muito mais: não terão o direito a prato de comida em, suas mesas, se é que possuem mesas ou um local onde morar.Será que existem dois Cristos diferentes? Um para os políticos e abastados e outro para os pobres miseráveis? Houveno Brasil quem comemorou o Natal com todas as regalias, mas certamente tambémum Brasil muito maior que nada teve a comemorar, porque lhes roubaram todos os direitos e lhes deram como presente a fome, a miséria e o desencanto de não ser gente. Este é o Brasil real que muitos fingem não conhecer.

Honesto, criativo e transparente

De um leitor qualificado que prefiro não identificar recebi uma bela mensagem de Natal na qual continha exagerados elogios a este velho escriba. No meio uma pergunta: “sua opinião sobre o futuro governo Renan Filho”. Como não deixo nada sem resposta aqui vai: Pouco conheço o futuro governador, nunca tivemos uma conversa olho no olho nem temos nenhuma convivência. Posso dizer que votei nele porque fui talvez o único jornalista que anunciou publicamente o voto. Não acredito que fará uma administração “revolucionária” até pela circunstância em que recebe um estado pobre, endividado, carente de grandes investimentos e com setores vitais em situação caótica. Mas recebe um estado diferente do que seu antecessor recebeu. Alagoas hoje tem respeito aqui e lá fora embora falte muito que fazer. Pode fazer uma administração de resultados e não decepcionar os alagoanos que o elegeram. Para que isto aconteça basta que o governo seja: honesto, criativo e transparente. Sobre isto falarei seis meses após começar a nova administração. 


Um juiz exemplar

Aos 45 anos, Márlon Reis é um juiz que não se limita a falar pelos autos. Coordenador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa, o magistrado virou alvo de representação da Câmara no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) este ano após lançar um livro (O nobre deputado) em que um parlamentar corrupto fictício revela suas artimanhas para conquistar e se perpetuar no poder. Sem recuar, o juiz promete incomodar mais o Congresso em 2015, com a apresentação de uma proposta de reforma política de iniciativa popular, respaldada por 1,5 milhão de assinaturas, a exemplo da Lei da Ficha Limpa. Conta, para isso, com a adesão de dezenas de entidades.Entre as inovações sugeridas, proibição de doações eleitorais por empresas, teto para gastos de campanha e eleição em dois turnos para deputado e vereador. Mudanças capazes, segundo o juiz, de corrigir as distorções que impedem o Parlamento de representar o “rosto” da sociedade e de devolver ao eleitor o poder que lhe foi confiscado pelos grandes grupos econômicos: o de decidir o resultado da eleição.

Incentivo à improbidade

A Polícia Federal prendeu recentemente vários diretores de escolas públicas, servidores e pessoas ligadas a empresas que fraudaram criminosamente licitações e o fornecimento de merenda escolar que deveriam alimentar crianças e jovens carentes em Alagoas. Fazem parte de uma quadrilha que desviou mais de quatro milhões de verbas do Programa Nacional de Alimentação Escolar. Não me surpreendi com a notícia de que já estavam soltos, mas me estarreceu a informação de que continuam trabalhando em suas funções como se nada tivesse acontecido. Irresponsavelmente a Secretaria Estadual de Educação informa que “ainda não afastou os gestores por não ter sido oficialmente notificada pela Polícia Federal”. O crime cometido pelo comando da pasta é da mesma dimensão dos envolvidos e pode ser levado a uma ação de conivênciacom os criminosos autores materiais. Falta autoridade em Alagoas, ou falta mesmo vontade de fazer acontecer? 


Política é uma piada

Em Paris, no réveillon de 91, Mauritonio Meira, consagrado jornalista político, estava desanimado com o ano de 1992. Não ia haver eleição e não era mais o primeiro ano do governo: - No Brasil só presta ano de eleição ou primeiro ano de governo. No ano da eleição, fazem alguma coisa para ganharem o voto. No primeiro ano, também fazem alguma coisa porque ainda não esqueceram o que prometeram.  A partir daí, esquecem tudo e ainda não sabem em que mentir de novo. (Do Folclore Político de Sebastião Nery).


As transformações de Mellina

A futura secretária de Cultura do governo Renan Filho, Mellina Freitas,não é uma neófita na área e conhece como poucos o caminho das pedras. Como prefeita de Piranhas promoveu uma revolução na cultura regional, não apenas incentivando, mas construindo equipamentos culturais, espaços turísticos, gruposde artes e atrações populares. Fez Piranhas ser conhecida nacionalmente e sua administração levou milhares de pessoas de todo o Brasil a visitar e se encantar pela “cidade presépio”. Integra a Academia Maceioense de Letras e tem um texto narrativo impecável, mostrado em duas obras que publicou. Tem tudo para fazer uma boa administração na cultura alagoana, independente das divergências burras e preconceituosas de pessoas e grupos que pensam muito pequeno. Se é que pensam..

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia