Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 802 / 2014

28/12/2014 - 09:46:00

POR DENTRO DO ESPORTE

João de deus [email protected]

Recomeço do futebol
CRB, Coruripe e ASA estão de plantéis praticamente definidos para 2015, jogos nacionais principalmente. Contratações foram melhores pensadas e maioria já conhecida reforça a confiança. A meninada promovida das bases é de boa safra e avaliza também o planejamento.

Thallyson

O ASA, na voz de torcedor movido pela paixão, é no Estado o que mais tem revelado jogador para o futebol brasileiro. Lembraram como aval a afirmação Júnior Viçosa, Lúcio Maranhão, Valdivia e agora Thallyson no Flamengo. Positivo ainda para opinantes é não haver no clube tanto rodízio de técnico. 


Paciência

Jogador e quem mais faz o dia a dia do futebol alagoano não devem se chatear com torcedor “cabeça quente. Opinião é de “analistas das arquibancadas” que qualificam os aborrecimentos como fazendo também parte do dia a dia futebol. É do clima e comum até entre jogadores.


Mais que certo

Cai na rotina jogadores deixando o ASA para reforçarem clubes de centros com futebol mais evoluído. Uns chegam desconhecidos em Arapiraca, outros preparados nas bases, mas dão certo também nos novos clubes.Thallyson e Jorginho, os mais recentes, lembram Junior Viçosa e Lúcio Maranhão.


Fala de torcedor

“Vica, treinando o ASA, cria em Arapiraca um celeiro de craques para o Nordeste, mas com boas entradas nas demais regiões do País”. Observação, merecida de atenção, é de Oswaldo Emanoel, torcedor satisfeito com o trabalho nas bases e presença marcante em competições oficiais.

Thallyson

O ASA, na voz de torcedor movido pela paixão, é no Estado o que mais tem revelado jogador para o futebol brasileiro. Lembraram como aval a afirmação Júnior Viçosa, Lúcio Maranhão, Valdivia e agora Thallyson no Flamengo. Positivo ainda para opinantes é não haver no clube tanto rodízio de técnico. 


Paciência

Jogador e quem mais faz o dia a dia do futebol alagoano não devem se chatear com torcedor “cabeça quente. Opinião é de “analistas das arquibancadas” que qualificam os aborrecimentos como fazendo também parte do dia a dia futebol. É do clima e comum até entre jogadores.


Mais que certo

Cai na rotina jogadores deixando o ASA para reforçarem clubes de centros com futebol mais evoluído. Uns chegam desconhecidos em Arapiraca, outros preparados nas bases, mas dão certo também nos novos clubes.Thallyson e Jorginho, os mais recentes, lembram Junior Viçosa e Lúcio Maranhão.


Fala de torcedor

“Vica, treinando o ASA, cria em Arapiraca um celeiro de craques para o Nordeste, mas com boas entradas nas demais regiões do País”. Observação, merecida de atenção, é de Oswaldo Emanoel, torcedor satisfeito com o trabalho nas bases e presença marcante em competições oficiais.

Vale lembra

Roberto Mendes, presidente do CSA, já tirou o clube da situação de naufrágio e navega hoje no otimismo do apoio da torcida participando no quadro do Sócio Torcedor, principal fonte de receita do clube. Estreia no Estadual é dia 18 de janeiro, no Rei Pelé, contra o Sport Atalaia.


“É o momento”

Abnegação. Essa é a razão de Roberto Mendes ter aceito a presidência do CSA numa época que ninguém quis. É do sangue a paixão pelo clube a que serviu em épocas passadas, inclusive como jogador. Está confiante na volta por cima. “Nós somos o maior clube do estado, temos a maior torcida e este é o momento em que mais precisamos deles”. 

Prata da casa

Luís Guilherme, técnico do infantil do CRB é prata da casa, tempos de Oswaldo Gomes de Barros na presidência. Com ele o Galo foi bi-campeão da 26ª edição do Campeonato Sesi/TV Gazeta com 100% de aproveitamento. O CRB “papou” ainda os títulos do Sub-15 e Sub-17.


Começa a pesar

Custos do futebol pesam no bolso. Queixa é de torcedor chamando atenção para a temporada de 2015 haver queda nas cortesias expostas nos borderôs dos jogos. Exemplo: Internacional 3x 1 Cruzeiro em Porto Alegre com público acima de 40 mil, mas só 32 mil eram pagantes.

Tudo pronto

O ASA antecipou apresentação de 18 jogadores do plantel para a temporada 2015 e a maioria jogou na temporada deste ano. A solenidade foi festiva e teve o ginásio aberto aos torcedores. “O entusiasmo foi natural; estamos confiantes”, comentou quem conhece paixão do torcedor.


Satisfeito

Kaká, xará do meia da seleção brasileira, volta a jogar em Alagoas, agora no Coruripe. Em conversa relembrou 2011, vestindo a camisa do ASA quando foi campeão e vice artilheiro do estadual com onze gols. Otimista, quer reeditar a boa fase.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia