Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 801 / 2014

17/12/2014 - 09:24:00

Após cortar verba para albergues Prefeitura quer fim das esmolas

Medida é para evitar que mendigos transformem dinheiro em drogas; abrigos perderam quase R$ 1 milhão

Odilon Rios Especial para o EXTRA

Após o corte de parte das verbas para ações sociais- incluindo a gestão do programa Bolsa Família e albergues para atender a população de rua- a Prefeitura de Maceió quer suspender a distribuição de esmolas. No próximo dia 19 será lançada a campanha “Promova a Cidadania, Não dê Esmola”.

O objetivo, de acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social, é evitar que a população não dê esmolas “sobretudo devido às relações entre mendicância, criminalidade e drogas”, diz a convocação, assinada pela secretária de Assistência Social, Celiany Rocha Appelt.“Mesmo com ações de intervenção da Secretaria, a participação da comunidade é inteiramente indispensável. Se a população ajuda dando esmola perpetua a permanência das pessoas na rua e dificulta o convencimento às ações de reinserção social”, explica.

A proposta é que entidades socioassistenciais interessadas em fazer parte da lista de instituições para o recebimento de doações (antes direcionadas a população de rua) se dirijam à Secretaria de Assistência Social CNPJ, inscrição do Conselho Municipal de Assistência Social e Estatuto da instituição.


Abrigos

A Prefeitura cortou R$ 49,5 milhões que seriam destinados a obras e projetos na capital para destinar o dinheiro à saúde e ao trânsito. R$ 27 milhões vão para a saúde.Para garantir isso, a capital cortou- também- dinheiro para áreas sociais. Os albergues- que recebem mendigos ou sem teto- tiveram corte de R$ 335 mil.

Outros R$ 478.590,00 em outros serviços que atendiam esta população de rua também foram cortados. Até a verba para a gestão do Bolsa Família- sempre alvo de crítica dos petistas contra tucanos- foi tirada: exatos R$ 292 mil. O plano da Prefeitura não é levado adiante por acaso.

Os postos vão receber mais dinheiro, porém, o temor é que as “doenças do verão”- na lista, dengue e, em especial, a febre chikungunya (com sintomas parecidos com o dengue)- derrubem a popularidade do prefeito. Neste começo de verão, os hotéis estão lotados e a imagem de Maceió (e os problemas na infraestrutura) estão à mostra em todo o Brasil.

Para conseguir parte do dinheiro, cortou, por exemplo, R$ 30,6 milhões da Secretaria de Infraestrutura e Urbanização. O alvo foram nove emendas populares- reivindicações do povo nas sessões públicas durante construção do orçamento na capital.Destas nove emendas populares, sete foram de bairros pobres- com infraestrutura historicamente mais precária.Apenas uma é de uma região considerada nobre: a orla de Cruz das Almas e Jacarecica, com cinco hotéis de luxo. 

Cortes na máquinaAo justificar os cortes em áreas sociais para investimentos na saúde, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) classificou a situação como um problema nacional.Disse que estados e municípios arcam com obrigações que deveriam ser da União e, até o final deste ano, dois postos de saúde serão entregues, reformados.As outras 70 unidades- essa é a meta, segundo informou- ficam para o próximo ano.“A saúde é um problema crônico em todo o Brasil.

Existe um sub financiamento por parte do Governo Federal, que encaminha menos recursos do que deveria a estados e municípios enquanto obrigações destes entes federativos (estados e municípios) crescem a cada dia. É um problema difícil mas temos enfrentado. Estamos neste momento reformando metade da nossa rede de postos de saúde pela primeira vez na história de Maceió uma reforma dessa amplitude.

Então, metade da nossa rede está passando por uma grande reforma, inclusive este ano entregamos duas unidades reformadas e esperamos no próximo ano termos 100%, 70 unidades. Infelizmente é impossível fazê-las ao mesmo tempo. Estamos enfrentando este problema que é grave em Maceió e em todo o Brasil”, explicou.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia