Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 800 / 2014

10/12/2014 - 19:09:00

Jornalista alagoano é destaque no marketing político nacional

Colunista do EXTRA, Jorge Oliveira tem trabalho consolidado com vitória de Paulo Hartung ao governo do Espírito Santo

DA REDAÇÃO

Nas duas últimas eleições em que participou como marqueteiro político no Espírito Santo, o jornalista alagoano Jorge Oliveira saiu vitorioso. Na mais recente, em uma disputa acirrada, conseguiu eleger Paulo Hartung (PMDB) governador dos capixabas. Um dado que chama a atenção é que Oliveira montou a campanha em pouco mais de uma semana.

A estratégia deu certo.Atuando como marqueteiro há algumas décadas, Jorge Oliveira foi o responsável pelo “gesto da mudança” que conduziu ao cargo de prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS). Agora, o sucesso veio com o slogan “abrace o Paulo”  em alusão ao governador eleito do ES. “Existem alguns ingredientes que facilitam uma campanha: um candidato aplicado, com bom desempenho na televisão, um gingle de gosto popular aliado a um bom gesto, uma estratégia traçada desde o início da eleição”, ensinou.Apesar das recentes conquistas, Jorge Oliveira diz que “não há marqueteiro cem por cento vitorioso” e que não há uma fórmula mágica para tornar uma campanha bem sucedida. E ensina: “quem ganha ou perde uma eleição é o candidato com seus atributos.

Ao marqueteiro cabe traçar a estratégia política, criar os programas de TV e do rádio e preparar o candidato para a longa jornada de uma campanha.”O marqueteiro não esconde o jogo e diz que o seu trabalho começa com a leitura das pesquisas qualitativas, que o ajudam a traçar o perfil do candidato. Dessa vez, inovou e ao invés de contar a história do candidato, resolveu fazer uma música com refrão e melodia revolucionária. Para este trabalho, se inspirou no cantor e compositor Geraldo Vandré. Mas Oliveira adverte que é importante não transformar o candidato em super-homem e sim aproximá-lo do eleitor.A carreira de Jorge Oliveira começou faz um bom tempo.

Em 1962 trabalhou como colaborador de Leonel Brizola em sua campanha ao governo do Rio de Janeiro. Tomou gosto pela coisa e de lá pra cá não parou mais. Prova disso é que já participou de várias campanhas de candidatos pelo Brasil a fora.Talvez o segredo de tanto sucesso na vida de Jorge se deva ao fato de trabalhar em família. Ele divide a responsabilidade com a esposa e também jornalista Ana Maria Rocha e os filhos Zoca e Tuca Oliveira, formados em cinema.


ESPÍRITO

INQUIETO Colunista do jornal Extra de Alagoas, o jornalista, escritor e cineastra do Bairro do Prado, em Maceió, Jorge Oliveira, se aventurou por outras áreas. Inquieto e desafiador, Oliveira, navega por vários caminhos e assim vai acumulando sucesso. O primeiro de tantos outros  foi  em 1973 ao ganhar o prêmio DER de reportagem, quando trabalhava no jornal O Globo. Também ganhou dois prêmios Esso de Jornalismo.  Mas Jorge se enveredou para o mundo da Literatura e lançou algumas obras como: “Curral da Morte”, Eu não Matei Delmiro Gouveia, “Campanha Política”, que é fruto da experiência de Jorge Oliveira no marketing político no Brasil.

O trabalho mais recente foi a publicação de “Muito prazer, eu sou a morte”.Como cineasta, dirigiu vários documentários, entre eles “Mestre Graça”, “A Esfinge – Floriano Peixoto”, “O Poeta e o Capitão. O último que dirigiu, “Perdão, Mister Fiel”, conta a história do operário alagoano Manuel Fiel Filho, morto pela ditadura em São Paulo. No momento, Oliveira produz o documentário “Olhar de Nise” sobre a psiquiatra alagoana Nise da Silveira.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia