Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 800 / 2014

10/12/2014 - 07:38:00

Eles nada viam nem desconfiavam ...!!!!

José Arnaldo Lisboa - [email protected]

Eu já estava com um bigodinho, embora acanhado, quando tive o prazer de ver o foguetório da inauguração de Brasília. Lembro-me do seu idealizador, que com base no histórico sonho de Dom Bosco, tocou a obra para frente, nos deixando orgulhosos por sermos brasileiros.

Lembro-me bem do nosso presidente da República, o dr. Juscelino Kubtschek, um competente médico, dinâmico, honesto, simples e com todas as boas qualidades para ser um Presidente. Depois dele, eu acompanhei a história e as estórias sobre ele, como testemunha-viva, de tudo que já aconteceu e está acontecendo no Brasil, principalmente, depois do sr. Lula e, agora, da sra. Dilma.

Acompanhei a deposição do dr. João Goulart, vi tropas do Exército Brasileiro nas ruas, durante o golpe militar e, com muita satisfação, acompanhei o governo do austero marechal Castelo Branco. Fui para as ruas e praças, para gritar pelas “diretas já”, e vi um Brasil querendo melhorar e progredir, mas, as nossas esperanças morreram, quando num julgamento político injusto, depuseram o presidente Fernando Collor, só porque ele recebeu como presente, uma simples caminhoneta Elba e, porque deixou que reformassem os jardins da “Casa da Dinda”, a sua casa residencial.

 Hoje, o Brasil é outro, totalmente diferente, misturado com homens de bem, vendo corruptos pelas calçadas, nas esquinas, nos bancos, nos ministérios, nos aviões e em todas as atividades políticas. Hoje, passamos a ver corruptos nas repartições públicas, nos corredores e nos gabinetes, depositando milhões nos bancos estrangeiros.

Vejo que eles já não querem só os milhões, carros, mansões e aviões. Querem a alma dos brasileiros, com gosto de propina, para saciarem suas ambições e se verem com pacotes de dinheiro vivo. Estamos numa “ilha”, denominada de “Petrobras”, cercados de corruptos e onde as plataformas de petróleo e as refinarias se transformaram em bodegas imorais.

Hoje, o nosso País está mergulhado num oceano, com o pré-sal da corrupção que vem salgando e corroendo as nossas reservas, morais e econômicas. Roubaram e continuam roubando a nossa Petrobras, a companhia que nos deixava com orgulho e, que ninguém sabe quanto roubaram, quem assinou os cheques e quem ficou com o dinheiro para dar aos senhores senadores e deputados.

Passaram anos e mais anos, nos enganando e enganando o ex-presidente Lula e a sra. Dilma, dentro de um esquema que ninguém via quem entrava e quem saía com pacotes de dinheiro, do Palácio do Planalto e do suntuoso prédio da Petrobras. Tudo faz crer que, durante anos, esconderam do sr. Lula, da presidenta do Conselho Administrativo e da presidenta  Dilma, todas as camuflagens, de modo que eles nunca desconfiaram de ninguém.

O sr. Lula e a sra. Dilma, certamente, estão decepcionados com seus pupilos. Agora, eles devem pedir as suas condenações e prisões, não em “prisões domiciliares” como está na moda e sim na petroleira “Papuda”. 


Em tempo – O meu amigo, sr. Orlando Ferreira Amorim, é um dos meus leitores e diz que na sexta-feira lê meu artigo e o EXTRA de “cabo a rabo”.        

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia