Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 799 / 2014

03/12/2014 - 09:33:00

Gecoc assume o papel da Polícia Civil

Falta de aparelhamento e de tecnologia impede policiais de executarem suas funções, afirma presidente da Adepol

Carlos Victor Costa [email protected]

Destaque nos noticiários dos últimos meses, a atuação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL) esconde na realidade a falta de investimento do governo do Estado em um dos setores mais importantes para a sociedade: a segurança pública. Apreensão de drogas, prisões de traficantes e assaltantes viraram uma rotina para o grupo especial formado por promotores de Justiça.

Para o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Alagoas (Adepol), Antônio Carlos Lessa, o fato de o Gecoc ter praticamente assumido o papel da Polícia Civil no estado se dá pela “falência” da PC. “Isso acontece porque não temos tecnologia na nossa polícia para que façamos uma investigação a fundo. Falta estrutura e um melhor aparelhamento. Enquanto não tivermos isso, ficaremos de mãos atadas”. 


POSIÇÃO DO GECOC

Coordenador-substituto do Gecoc, o promotor de Justiça Hamilton Carneiro Junior se posicionou sobre a alegação de que o grupo especial do MP estaria extrapolando suas funções e substituindo o serviço da Polícia Civil, mais especificamente da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico e da Delegacia de Roubos.

 Através da assessoria do MP, o promotor disse que o Grupo tem o poder de planejar e executar operações com o objetivo de desarticular organizações criminosas que matam, roubam e se apropriam ilicitamente do dinheiro público. “Com o poder investigatório lhe é atribuído através de legislação própria, não há usurpação do trabalho da polícia judiciária. Pelo contrário, o que existe é a parceria durante a apuração de crimes, estando o Gecoc e os órgãos ligados à Secretaria de Estado da Defesa Social trabalhando em perfeita harmonia”.

 Hamilton Carneiro explicou também que o MP possui poder investigatório e pode fazer uso dele através de diferentes instrumentos, como a instauração de procedimentos preparatórios e inquéritos civis. “No caso do Gecoc, o instrumento utilizado para apuração é o procedimento investigatório criminal. Portanto, é através dessa atribuição que lhe foi conferida por meio de normal legal que ele dá início à investigação”. 

Saiba mais sobre o Gecoc e quem o integra

O Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) é composto hoje pelos promotores de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça Neto - coordenador do Grupo-, Luiz Tenório de Almeida, Hamilton Carneiro Júnior e Antônio Luiz dos Santos Filho.

 O Gecoc foi criado através da Resolução nº 03/2006 do Colégio de Procuradores de Justiça e tem como especialidade o combate às organizações criminosas que cometem os mais diferentes tipos de ilícitos penais, a exemplo de roubo, tráfico de entorpecentes, pistolagem e crimes contra a administração pública.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia