Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 798 / 2014

25/11/2014 - 13:28:00

Brasil limpo

JORGE MORAIS Jornalista

Deixei passar o dia do movimento “Brasil Limpo” para fazer um comentário a respeito do movimento. O dia 15 de novembro, data da Proclamação da República, foi o momento escolhido para que as pessoas de boa índole, coerentes, sensatas, experientes, inteligentes, se manifestassem contra uma série de aberrações que estão ocorrendo no país.

Diferentemente de movimentos anarquistas, nesse não tivemos arruaças, quebra-quebra, agressões, prejuízos ao patrimônio público e privado. Foi um movimento em todo o Brasil avesso a política e sem o envolvimento de políticos. Bandeiras de partidos, palavras de ordem, pedido de impeachment, nada disso foi tolerado ou aceito durante a passeata e nas concentrações.

Foi um movimento encabeçado por médicos, advogados, outros profissionais, empresários, comerciantes e o povo, independente de classe social e de prestígio, que seja maior ou menor, preto ou branco. No entanto, o que mais me chamou a atenção foi saber que uma das cobranças feitas por toda essa gente, está direcionada a que se tenha uma mídia livre. Uma mídia que deveria estar comprometida com o movimento, mas não foi nada disso que consegui enxergar depois.Não posso imaginar que um movimento pedindo uma mídia livre, ela não participe ou não se manifeste depois.

Não posso cobrar também que, a mídia imprensa, tivesse tido tempo de divulgar em suas páginas o ato do dia 15. Mas, onde foram parar as imagens e fotos do ato?  Esperei até o primeiro dia útil de circulação, dia 18, e nada. Sabe quem registrou os atos do “Brasil Limpo”? O jornal americano The New York Times. No Brasil poucas linhas foram lidas e vistas com destaque.No Estado de São Paulo, o cantor Lobão é quem vem comandando o movimento, inclusive desmentindo comentários de que gostaria da volta dos militares ao Poder. Mas, o Brasil, tem dessas coisas. Quem não está a favor, está contra e ainda trabalha contra.

Não tenho nenhuma procuração para defender o Lobão. Não pediu, nem faria isso se pedisse. Mas enquanto ele está nas ruas, o Chico Buarque de Holanda, dito homem de esquerda no passado e hoje mamando nas tetas do governo, estava em Paris tomando cafezinho na Avenida Champs Élysées.

O que mais me impressiona é que, mesmo com as várias denúncias envolvendo a Petrobras e as principais construtoras do país, com seus diretores presos, e empresários de outros segmentos envolvidos, o povo brasileiro ainda não se deu conta do problemão em que estamos metidos. Estamos, porque quem vai pagar toda essa conta somos nós assalariados. Para diminuir o rombo da Petrobras, o governo vai anunciar, em dezembro, outro aumento de combustível, porque esse último não foi suficiente. E mesmo, assim, o rombo é, extraordinariamente, imenso.

Até o final do ano, teremos um novo aumento na taxa de energia elétrica. Recentemente, foram trinta por cento, e vem mais vinte por cento logo, logo. Sabem o que essas duas coisas significam? Aumento de tudo. Gás de cozinha, comida, vestuário, calçados, transportes. Enfim, tudo.

Com o aumento da conta de energia, o consumidor vai tentar gastar menos, para tentar pagar menos e não sofrer no bolso. Sabe, também, porque o governo vai fazer isso? Para evitar cortes seletivos de energia, principalmente no Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo, a região sudeste que não tem mais água, mas o país todo vai pagar a conta.Mesmo com as benesses dadas pelo governo aos chamados pobres, a classe dos miseráveis deve crescer.

É por isso que não podemos ficar de braços cruzados. Finalizando, para que não se deixe nenhuma dúvida em relação ao movimento, você sabe o que é o “Brasil Limpo”? É uma manifestação popular pacífica, que cobra dos governos e das autoridades policiais e jurídicas, o combate contra a corrupção, a favor da educação, da segurança, da saúde e da manutenção do estado democrático que devem ser discutidos pela sociedade livre e abertamente. Resumindo, é isso o que queremos.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia