Acompanhe nas redes sociais:

21 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 797 / 2014

19/11/2014 - 00:19:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

Esperando o décimo

Até o próximo dia 30, as empresas devem pagar a primeira parcela do décimo terceiro salário de seus empregados, e a última até 20 de dezembro. Os servidores públicos federais e aposentados do INSS, já receberam a primeira. Mas quem tem ainda o total a receber, pode esperar o prazo findo e fazer o que quiser com esse dinheiro, que vale um salário, mais os descontos de praxe: previdência e imposto de renda. Quem se encontra envididado, a primeira providência é quitar o que deve, jurando nunca mais se endividar. Mas quem tem ele livre, pode comprar o que quiser, à vista, claro. O restante, poupar, aumentando sua reserva financeira para uma emergência ou realizar o sonho de algum bem de consumo durável e fazer uma viagem. Esse benefício é pago a todos os empregados, inclusive os que têm cargo comissionado no serviço público.


Sem exageros

O comércio já vem investindo nas festas de final de ano, pensando no décimo terceiro salário, um dinheiro que geralmente é utilizado nas compras, principalmente aquelas realizadas à vista. Assim os lojistas investem em promoções. Também tentam atrair consumidores para os planos de venda a prazo, até mesmo para pagar a primeira prestação depois do carnaval, em fevereiro. Não caia nessa tentação! 

Pesquisando

Continue pesquisando preços, indo às compras com tempo livre para essa prática, saulutar ao seu bolso. Converse com os vendedores, peça descontos, compre apenas o que realmente necessite, jamais por impulso, mesmo sendo uma promoção. A concorrência é muito acirrada no comércio lojista. Qualquer dinheiro economizado, é um bom negócio.

“Dinheiro fácil”

As financeiras já estão emprestando dinheiro para pagamento em até seis anos, com prestações cujos valores, os consumidores ingênuos, podem achar que são baixos,esquecendo que o prazo é muito longo e o valor emprestado, no final é triplicado. E mais: pode ocorrer algum problema no meio do caminho: perder o emprego, doença, etc.

Fuja disso!Consigando

Já existem bancos, que emprestam dinheiro pelo crédito consignado em até 120 meses para pagar. Um exagero, que induz o sofrido servidor público a ter o dinheiro na hora, sem burocracia e não imaginar quanto vai ter que pagar num prazo de 10 anos. A prestação é descontada do salário em todo esse período. Prejuízo total para o orçamento do devedor. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia