Acompanhe nas redes sociais:

18 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 796 / 2014

12/11/2014 - 21:18:00

Sindicalista afirma que as acusações são eleitoreiras

Segundo ele, os “responsáveis pelas mentiras irão responder criminalmente”

João Mousinho [email protected]

O presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de Alagoas (Serjal), Ednor da Costa Gonzaga Júnior, afirmou à reportagem do jornal EXTRA que as acusações envolvendo seu nome e os de outros diretores da instituição são meramente eleitoreiras e mentirosas, já que na próxima semana Raquel Faião, diretora citada, tentará se reeleger pelo grupo de situação. “Espero que o Ministério Público apure com rigar qualquer denúncia.

Temos todas as contas aprovadas em meus seis anos de mandato”, assegurou. Ednor ainda acrescentou que quaisquer documentos sobre as contas do Serjal que estejam sendo divulgados ou sendo “artifício para denúncias vazias” é fruto de furto. “Em  toda minha gestão como presidente nenhum documento foi solicitado por nenhum servidor. Tudo sempre esteve nas mãos dos diretores”, disse o presidente.O presidente ainda revelou que os “surrupiadores” de documentos irão responder criminalmente. Ednor preferiu não citar nomes, mas adiantou que um Boletim de Ocorrência foi registrado narrando os fatos.

 Sobre a as acusações de consultorias irregulares, afirmou que o estatuto permite o ressarcimento de determinadas atividades dos diretores. “Não há qualquer ilegalidade no ressarcimento por parte dos diretores.

O artigo 77 e 78 do nosso estatuo é claro quanto a isso e ainda fala na quantia de até três salários mínimos para tal quesito”. Ednor Gozaga negou ter dois CPFs: “O que pode haver é um engano porque tenho o mesmo nome do meu pai”. “Tenho como provar toda e qualquer leviandade levantada contra mim.

Meu imposto de renda descreve que não enriqueci ilicitamente. Todas as despesas, investimentos, qualquer quantia do Serjal foi aprovada em assembleia com toda transparência”, ressaltou.Ainda segundo ele, o desespero de quem faz oposição ao sindicato leva a medidas sujas. “Sempre trabalhei em prol dos trabalhadores da Justiça.

Apoio Raquel para eleição. Ela é um nome limpo e é de minha extrema confiança e de todo um grupo.Não será uma minoria que irá colocar o processo eleitoral e o nome de pessoas sérias na lama”. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia