Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 795 / 2014

04/11/2014 - 19:12:00

SURURU

DA REDAÇÃO

Último bastião

Caiu o último bastião do combate aos malfeitos praticados no Tribunal de Contas de Alagoas, mais conhecido como “Tribunal Faz de Conta”.  Desde que passou a integrar a cúpula do TC, o conselheiro Anselmo Brito encarnou a figura do Dom Quixote contra tudo e todos, mas não resistiu ao canto da sereia do auxílio-moradia mais plano de saúde e outras mordomias. Caiu na mesma vala comum dos desmandos que sempre denunciou e perdeu sua condição de paladino da moralidade na gestão da coisa pública. Sua justificativa para receber o disfarçado aumento de salário não é convincente, principalmente em um estado pobre como Alagoas onde dois terços da população vivem abaixo da linha de pobreza. E nem adianta usar como anteparo legal a recente liminar do STF que estendeu o benefício imoral a todos os juízes e procuradores. Em conversa pública com o procurador do MP de Contas, Gustavo Santos, o conselheiro Anselmo Brito já defendia em 2012 o direito a essa verba indenizatória. Mais do que ninguém, o conselheiro sabe que auxílio-moradia para quem tem casa própria – mesmo sendo legal – é indecente, imoral e indefensável.  

PT ressuscita a direita 

O petismo remanescente deixa um grande saldo de mistificação e rancor. Foi recorrente nessa campanha eleitoral o apelo de partidários do PT à indulgência com a corrupção no governo em nome de programas sociais e o repúdio às críticas à presidente Dilma em nome de seu passado na resistência à ditadura. (Paulo Plácido)

Receio

Em Arapiraca, a prefeita Célia Rocha (PTB) perdeu de vez o comando da prefeitura. Anunciou uma série de modificações para tentar reduzir o custo do município e quem sente na pele é o servidor que trabalha. Profissionais que atuam na saúde souberam de uma lista de demitidos, no entanto, outros servidores que não atuam estão muito bem lotados na Saúde. A lista de demissões deve sair na próxima terça-feira, quando a prefeita dará uma coletiva.

Vai ou fica?

A secretária de Comunicação de Arapiraca, Mônica Nunes, está um pouco preocupada com o cargo que ocupa. Esta semana chegou aos ouvidos dela que o jornalista Joaldo Cavalcante deve assumir a pasta em seu lugar. No entanto, ainda que não seja oficial, Joaldo iria para a pasta cuidar do Marketing, que não está muito bem avaliado pela gestão. Caso Joaldo seja mesmo o secretário, uma nova equipe para a comunicação deve ser constituída.

Devagar

Até agora, com raras exceções, somente o Sindicato dos Médicos – sem rabo preso –  escancara através do espaço pago na imprensa local a indignação com o estilo devagar de ser do prefeito Rui Palmeira. A coluna do SINMED já disse que o “cara” dorme num sono profundo desde que venceu as eleições de 2012, sem fazer nada de bom pela saúde pública, pasta que ele próprio alardeou como prioridade da gestão. Segundo o Sinmed, enquanto Rui hiberna, o atendimento à população só piora e sua única atitude à frente da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) foi a nomeação de três secretários em menos de dois anos. 


Nada bom

Na SMS foram três secretários em menos de dois anos porque Palmeira pediu, por tudo, para a atual titular aguentar-se no cargo e assim evitar maior desgaste à sua gestão. Não fosse isso poderíamos dizer que a fila de sucessores seria enorme, pois quem aguenta sobreviver a tanta falta de resolutividade? Já tá provado que o “cara” tá longe de ser bom.

Estilo PSDB

Na prática, Rui Palmeira é devagar até demais. Na relação com os servidores, por exemplo, ele  não negocia reajustes e nem a concessão de direitos (bem ao estilo PSDB). Foge, alega que a arreca-dação é insuficiente e ainda joga a culpa para o Ministério Público. Ora, se a Secretaria Municipal de Finanças não sabe mais arrecadar, alguém lá dentro tem que aprender a fazer isso ou cair fora. Outra prova de incompetência é a tal reforma administrativa: passou um ano para ficar pronta, e só depois de publicada no Diário Oficial se descobriu um turbilhão de desacertos. Assim não dá!


Pela culatra

Vale lembrar que o prefeito de Maceió teve sim uma atitude rápida: foi quando divulgou em propaganda institucional ter celebrado um acordo histórico com o Sindicato dos Servidores concedendo reajuste e outros direitos. O marketing hoje é usado contra ele, pois nunca cumpriu o que foi acordado e se mantém inflexível na negociação.  

Traição

E já tem secretário falando que a prefeita Célia Rocha não está agindo corretamente, mesmo diante desta crise. Alguns comentam que durante a campanha, muitos deles estiveram no front, evitando assim o desgaste de Célia que disputava o cargo com o ex-deputado Rogério Teófilo.


Mero observador

Quem apenas observa a crise em Arapiraca é o ex-prefeito Luciano Barbosa. Ele foi eleito vice-governador de Alagoas na chapa de Renan Filho e quando questionado sobre a crise municipal pede logo para mudar de assunto.


Erro de análise 1

O analista político e professor Marcelo Bastos apostava na vitória de Aécio Neves  com uma margem de 7% a 8% de diferença sobre Dilma Rousseff, o que não aconteceu. A atual presidente do País foi reeleita com 3,28% de votos a mais que o tucano.
Erro de análise 2Marcelo Bastos também disse  que os institutos Datafolha e o Ibope haviam errado de forma grosseira no 1º turno. Mas no

2º turno o instituto ligado ao jornal Folha de S.Paulo foi o que mais se aproximou do resultado. No sábado, o Datafolha apontou uma diferença de 4% entre Dilma e Aécio. O professor acertou os eleitos em Alagoas no primeiro turno, mas nacionalmente fica para próxima. A coluna agradece sua colaboração.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia