Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 793 / 2014

21/10/2014 - 13:37:00

Enganaram nosso ilustre prefeito

José Arnaldo Lisboa Martins [email protected]

Todas as atividades humanas, dependem diretamente dos transportes para se locomoverem, sejam eles os mais rudimentares, como o cavalo, ou os mais sofisticados que levaram o homem à lua. O homem utilizou-se do cavalo, como transporte para levar seus Comandantes e seus Soldados para as guerras. Através do transporte dele já fez várias visitas à lua e a outros corpos celestes. Em todas as situações, utilizou-se do transporte, para todas as suas locomoções.  Com o passar do tempo, as distâncias se multiplicaram, o povoamento do planeta exigiu novos tipos de transportes e novas cargas tiveram que ser transportadas.

Assim, o homem também inventou o conforto e com ele inventou, o trânsito que nada mais é, do que, uma tentativa de organizar seus transportes, de maneira mais eficiente, mais veloz e que transporte mais gente, em conforto. Precisamos muito dos transportes, porém, quando eles criam problemas para todos nós, deixam de ser eficientes, transformando-se em TRÂNSITO, às vezes caótico, problemático e deficiente. É o que está acontecendo com Maceió, onde as soluções têm sido de grandes prejuízos para os carros e para os pedestres. Falamos que Maceió é uma cidade mal traçada, mas, grande culpa dos nossos problemas, são vindos devido planejamentos malucos e improvisados, onde os “chutes” são enormes. 

Nós, seres humanos, sempre estamos dependendo de transporte e de trânsito. Neles estão implícitas três grandezas que são, o espaço ou distância, a velocidade e o tempo. Muitos dos nossos planejadores não sabem, nem o que sejam essas grandezas e o que elas representam no dia-dia da humanidade. Em Maceió, estamos diante de um grande problema que vem se arrastando a cada dia que passa e, que vai ficando maior, por falta de um planejamento sério, Alguém deve ter achado bonito o termo de “zona verde”, sem saber o que isso representa na prática.

O Prefeito Rui Palmeira, deve ter gasto uma fortuna para comprar semáforos novos e modernos, para a Av. Fernandes Lima e Durval de Gois Monteiro. É uma pena que o dinheiro gasto tenha sido jogado no lixo, com tanta propaganda cansativa e inútil. Não deve ter havido nenhum planejamento, pois, o sistema só deve ser usado em rodovias e, nunca em ruas e avenidas mal traçadas. Eu vi isso na Suiça, na França e na Bélgica, como pode ser usado o sistema, em qualquer rodovia do mundo, mas, não na Avenida Fernandes Lima.

Aqui nunca vai dar certo, porque os trechos são para velocidades constantes de 50 km/h, com diversas acelerações e desacelerações, diversas potências dos veículos, mudanças de velocidades e de direções, entre dois semáforos vizinhos, etc. etc. À propósito, eu fiz várias tentativas para chegar aos 50 km/h e nunca cheguei a ser beneficiado. Foi uma grande verba gasta, sem necessidade. Se fosse somente assim, não haveriam congestionamentos em São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Recife etc, mesmo em avenidas. Nossos improvisos, sempre irão deixar Maceió, com um transito infernal, mas, as empresas vendedoras só querem é faturar. Aí está o nosso grande problema, da falta de gestão.  


Em tempo – Eu tenho uma excelente leitora dos meus artigos que é a sra. Maria Luiza Nunes, frequentadora e ouvinte da Banda da Policia Militar, aos domingos, na Praia da Pajuçara. Os turistas gostam da iniciativa da Polícia Militar.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia