Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 793 / 2014

21/10/2014 - 13:33:00

GABRIEL MOUSINHO

Renan aposta em Dilma

O objetivo do senador Renan Calheiros é ser reeleito para a presidência do Senado a partir do próximo ano. E ele tem trabalhado muito para isso. É competente, cobra criada na política brasileira, mas tem um componente que pode barrar sua pretensão. É a possível eleição de Aécio Neves para a presidência do Brasil.Calheiros teria mais tranquilidade se Dilma continuar no Planalto, uma vez que o PMDB, o maior partido do Brasil, está lado a lado com a presidenta, desde os tempos de Lula. Ganhando Dilma, Renan parte acelerado para sua reeleição. Ganhando Aécio, os tucanos farão tudo que é possível para impedir que o PMDB continue mandando no Senado da República. É uma luta de gigantes que só o povo vai definir no dia 26 de outubro.

Missão de Renan Pai

O suplente de deputado estadual, Cícero Cavalcante, não dorme enquanto Renan Calheiros não disser quem vai convocar da futura bandada de apoio na Assembleia Legislativa, para ocupar uma secretaria no governo de Renan Filho e Cícero, enfim, assumir o mandato. Desse jeito, como será que o futuro governador vai fazer para montar um secretariado de técnicos?


Na mira

A tropa de choque do governador eleito, Renan Filho, já entrou em campo para acalmar os ânimos e a ansiedade do suplente de deputado, Cícero Cavalcante. Ela deve propor a saída do deputado eleito Luiz Dantas para uma secretaria de Estado, o que permitiria Cavalcante assumir o mandato. Ninguém sabe é se Luiz Dantas quer.


Comemoração

Desde a noite do dia 5 de outubro quando saiu o resultado dos deputados estaduais eleitos e que Cícero Cavalcante figurou como primeiro suplente, que o ex-prefeito de São Luiz do Quitunde, João Cordeiro, não para de comemorar. Já soltou mais fogos do que toda a campanha de governador.


Goela abaixo

Apesar do vice-governador eleito, Luciano Barbosa, ter torcido abertamente para a derrota do vereador por Arapiraca, Tarciso Freire para a eleição de deputado estadual, teve que engolir a vitória expressiva do pessedista, que obteve quase trinta mil votos em Alagoas. Freire mostrou prestígio na terra do fumo com cerca de vinte e três mil votos, superando o desempenho de Ricardo Nezinho, candidato da prefeita Célia Rocha.


Agora vai

Horas depois de concluída a apuração dos votos para governador, o senador Renan Calheiros concedeu entrevista à imprensa e anunciou que o projeto de indexação da dívida dos Estados, que estava engavetado no seu gabinete há meses, será pauta do Senado nos próximos dias. E garantiu que o projeto será sancionado pela presidente Dilma Rousseff.

Fim de governo

Téo Vilela não gostou do que o coronel Marco Aurélio Pinheiro, comandante da Polícia Militar, fez nos últimos dias e resolver afastá-lo do cargo. Isso é próprio e final de governo, onde alguns auxiliares acham que podem e devem fazer, sem consultar o chefe. Como Téo está em baixa politicamente, não quis passar recibo de que suas ordens não estão lá sendo levadas em consideração. Quem pagou o pato foi o coronel. Aliás, um recado para outros assessores.


A aposta de Téo

Todo mundo sabe que numa eleição presidencial, principalmente no segundo turno, pouca gente é influenciada por lideranças políticas. E é o que vai acontecer no dia 26 de outubro, em Alagoas. Como Aécio Neves deverá ter uma grande votação no Estado, com certeza o governador Vilela deve faturar politicamente e se aproximar cada vez mais do tucano. Se Aécio vencer, Téo deverá colher um pouco os louros da vitória. Se Dilma ganhar, o governador deve esquecer a política partidária por um bom tempo.


Aliados sempre

Ninguém espere que haja oposição cerrada em Alagoas, na Assembleia Legislativa, ou no Congresso Nacional. Aos poucos os governos vão aparando arestas, porque tem gente que não sabe ser oposição seja qual for o resultado das eleições. 
Nomes fortesFábio Farias, José Wanderley Neto, Ricardo Santa Rita, Augusto Farias e mais alguns, são os nomes fortes do próximo governo de Renan Filho. Augusto, entretanto, que sempre esteve junto do senador Renan Calheiros, já avisou muito antes que não aceita cargos no governo. Está muito bem na iniciativa privada, a não ser que seja ´´intimado´´ a colaborar com Renan.


Sumiu

Para montar um governo parcialmente técnico, sem muita interferência política, Renan Filho vai ter que desagradar velhos aliados. Para não ser assediado, preferiu descansar alguns dias depois de um encontro amistoso com o governador Téo Vilela, para que a transição seja feita com certa tranqüilidade. Renan já pensa em trazer especialista em segurança de outros Estados para assumir a Defesa Social e outros cargos que acha relevante.

Alto lá

1Quem convive de perto com Renan Filho sabe que ele não admitirá muita influência no seu governo, nem tampouco compromissos acertados sem sua presença. O futuro governador vai trabalhar com aliados, mas com escolha pessoal. Pode ser um problema a mais a ser administrado pelo seu pai, o senador Renan.


2Quem pensar que tem cargo garantido no próximo governo somente porque deu uma ajudazinha na campanha, é melhor ir recolhendo os trens de pousos. Renan Filho não vai dar colher de chá para algumas figuras carimbadas e que já fazem plantão no portão de seu edifício. Afinal de contas, alguns compromissos se foram prometidos, foi pelo pai, não pelo filho.


Passando por cima

Quem pensava que o ex-prefeito Cícero Almeida iria se constranger com a votação que teve para deputado federal, se enganou. Almeida confidenciou a amigos, que vários fatores fizeram com que ele tivesse um pouco mais de 64 mil votos, o que ele não esperava. Mas está firme no seu propósito de se destacar na Câmara Federal, com um olho na prefeitura de Maceió em 2016.


Crise, sempre

Não é de agora que os prefeitos alagoanos estão de pires na mão. O Fundo de Participação dos Municípios não resolve todos os problemas e a tendência é paralisar as administrações. Os prefeitos, agora, querem uma solução urgente, sob pena de corte nas despesas e de cargos comissionados, o que seria muito bem feito. Para se ter uma ideia, o que os prefeitos irão receber em outubro do FPM, são 8% a menos do que o repassado em outubro. É por isso que na quarta-feira eles fizeram uma paralisação de advertência.


Restaurando 

O município de Maceió pavimentou o ano passado mais de 100 quilômetros de ruas e avenidas. Em 2014 espera repetir o feito de 2013, embora o secretário de Infraestrutura, Roberto Fernandes, tenham dito e repetido de que as chuvas atrasaram muito o cronograma de obras. Nunca caiu tanta chuva nos últimos anos como neste mês de outubro.


Oposição mediana

Ninguém espere muita coisa da oposição ao governo na Assembleia Legislativa a partir do próximo ano. Pelas contas, cerca de 90% dos deputados irão apoiar Renan Filho. Para a oposição, a notícia interessante é que o deputado Antônio Albuquerque está sendo escalado para se contrapor ao governo.

Convocação

O deputado Judson Cabral, do PT e muito ligado ao Senador Renan Calheiros, que não conseguiu se reeleger pode fazer parte da equipe de Renan Filho. Homem sério, Cabral ganha o apoio de todos para continuar na vida pública.

Promessa

O deputado federal eleito, Cícero Almeida, quer botar pra quebrar na Câmara Federal e chegar mais junto da população na periferia de Maceió. Não sai de sua cabeça que poderá disputar a prefeitura da capital com o prefeito Rui Palmeira. Almeida acredita no apoio de Renan pai, Renan filho, Ronaldo Lessa e outros companheiros que participaram de sua coligação.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia