Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 792 / 2014

14/10/2014 - 18:49:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

Cuidado com o “dinheiro fácil”

Os bancos e financerias estão fazendo de tudo para endividar o consumidor, já sufocado com a inflação que teima em crescer nos últimos meses. Os últimos reajustes - a exemplo da energia, em 30%, que gera consequentemente - mexem no bolso de todos, principalmente que já se encontra com “a corda no pescoço” com dívidas em financeiras, cartão de crédito, crediário de lojas e cheque especial. Todo cuidado é pouco, devendo agora, mais do que nunca, procurar não mais se endividar, mudar hábitos de consumo e comprar somente o necessário, nunca comprando por impulso, mesmo sendo promoção. Quem já se habituou a tomar empréstimos a longo prazo, e ainda fica esperando uma margem para renovar, nunca vai conseguir se ver livre desse tipo de débito. É como aqueles que devem a agiotas. Paga apenas o juro e fica o capital, lá esperando um dia ser quitado. Os juros são acima de 10% ao mês, percentual até mesmo inferior ao que é cobrado pelas administradoras de cartão de crédito (parcelamento) e cheque especial. Fuja disso! Evite chegar ao “fundo do poço.” 


Pesquisando

Continue pesquisando preços, jamais comprando na primeira parada. Se sair de casa com a intenção de comprar um eletrodoméstico, por exemplo, visite todas as lojas, converse com os vendedores, pechinche, peça descontos e compre sempre à vista, evitando as facilidades do crédito, que embutem juros absurdos, podendo levar você aos atrasos no pagemento mensal, entrando mais juros e multas. 


Poupando

Reserve, no mínimo, 10% de sua renda para depositar numa caderneta de poupança, formando uma reserva financeira para alguma emergência ou realizar o sonho de uma viagem de turismo, ainda comprar à vista um eletroeletrônico e dar entrada na compra de um carro ou da casa própria. 

Economizando

Com a conta de energia 30% mais cara, habitue-se a economizar ao máximo nesse ítem de consumo essencial ao dia a dia. Assim, apague a luz no momento em que deixar o ambiente; os que mais consomem, são pela ordem: chuveiro elétrico, ferro de engomar, ar condicionado, máquina de lavar. 

Prestação

Se você adquiriu um produto pagando em carnê mensalmente, só compre outro quando liquidar o que comprou. Jamais acumule duas ou mais prestações. Isso vai mexer no seu orçamento doméstico, chegando ao ponto de começar a atrasar, pagar multas e juros e ter seu nome no cadastro da Serasa, cortando o crédito. Evite isso!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia