Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 790 / 2014

01/10/2014 - 23:01:00

Tucanos e aliados do PP “fecham” com Renan Filho

Postulante ao governo pelo PMDB tem campanha reforçada após a debandada de candidatos das coligações que apoiam Benedito de Lira, do PP, e o tucano Júlio Cezar

Redação

Acordos não fechados, desprestígio e desconfiança. Esses parecem ser os principais motivos para o abandono a que o candidato ao governo de Alagoas Benedito de Lira (PP) vem sendo relegado por alguns postulantes à Assembleia Legislativa e Câmara Federal. A prova da insatisfação começou com o vereador e candidato a deputado estadual Pastor João Luiz (DEM) que utilizou o twitter para fazer cobranças a Benedito de Lira.

Na primeira postagem, ele tentou um acordo, mas ao continuar se sentindo ignorado, ele “foi gou às vias de fato” e postou: “Estou fora do ar no horário eleitoral porque não quis pedir voto para governador”, enfatizou o vereador. A mensagem de João Luiz expõe uma das dificuldades que a campanha do senador do PP estaria enfrentando: a escassez de recursos.Outro democrata que explicitou sua revolta contra Biu foi o deputado estadual Jeferson Morais, que tenta a reeleição.

Ele teria se negado a pedir votos para Benedito de Lira, o que acabou impedindo que sua propaganda eleitoral fosse veiculada. Com isso, Jeferson publicou uma foto ao lado candidato ao governo pelo PMDB, Renan Filho em seu Facebook, declarando apoio ao filho do senador Renan Calheiros (PMDB). 

Tanto Jeferson quanto o Pastor João Luiz entraram com representação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra a Coligação “Juntos com o Povo pela Melhoria de Alagoas”, de Benedito de Lira. Ambos alegam que se negaram a pedir votos para o aspirante ao cargo de governador no guia eleitoral e, por isso, não estão tendo suas inserções veiculadas na propaganda eleitoral do rádio e da TV. João Luiz também declarou apoio a Renan Filho. 


CANDIDATOS FLERTANDO 

Outros candidatos da coligação de Benedito de Lira já declararam apoio a Renan Filho, e há também os que estão flertando. Estão fechados com Renan: Inácio Loiola (PSB) e Marcos Barbosa e Severino Pessoa, ambos do PPS. O que circula nos bastidores da política é de que Alberto Sextafeira pode também “pular” para o lado do peemedebista.

Só estaria esperando o não cumprimento de acerto financeiro por parte de Arthur Lira (PP), filho do Biu.  O que chamou a atenção nos últimos dias também, foi uma foto em que o candidato à reeleição de deputado federal Mauricio Quintela Lessa (PR) aparece ao lado de Renan Filho. O que se comenta nos bastidores da política é que, mesmo com seu partindo pertencendo à coligação de Biu, o candidato não usa o botton do candidato  pepista ao governo e nem pede voto para o mesmo. 


O LADO TUCANO 

Desde a renúncia de Eduardo Tavares (PSDB), quando o governador Teotonio Vilela Filho lançou o nome do vereador de Palmeira dos Índios Júlio Cezar para a disputa ao governo de Alagoas apenas para ter palanque para o presidenciável Aécio Neves, a debandada tem sido geral do lado tucano. Os candidatos Gilvan Barros Filho (PSDB), que deve substituir o pai Gilvan Barros na Assembleia,  EdvalGaia(PSDB), Marcelo Gouveia (PRB) e Galba Novaes (PRB) decidiram apoiar Renan Filho para governador. E para a Câmara dos Deputados, o principal nome e aposta do governador, Pedro Vilela, seu sobrinho, também é visto com frequência nas caminhadas do peemedebista.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia