Acompanhe nas redes sociais:

18 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 789 / 2014

24/09/2014 - 15:06:00

Benedito de Lira é campeão nacional em censura à imprensa e redes sociais

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo e Google acompanham ações judiciais em todo o País

Vera Alves [email protected]

Há um antigo ditado popular que diz que “o peixe morre pela boca” e ele bem parece se aplicar a determinadas situações nas eleições deste ano em Alagoas. Há quatro anos, quando concorreu a uma vaga ao Senado tendo como maior adversária Heloísa Helena (PSOL), o agora candidato a governador Benedito de Lira (PP) soube como ninguém tirar proveito das redes sociais e, graças a animações, ainda hoje disponíveis no Youtube, derrotou a vereadora de Maceió. Pois bem: atualmente, Biu de Lira é o campeão nacional de ações judiciais que tentam retirar contéudos sobre sua pessoa das redes sociais, inclusive do Youtube.

Até a noite da quarta, 17 de setembro, Biu era o autor de 10% das 121 ações computadas pelo site Eleição Transparente (www.eleicaotransparente.com.br) lançado no dia 27 de agosto último pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e Google com o objetivo de monitorar a censura judicial à imprensa.

A maior parte dos processos (59%) é de candidatos a governador do Estado; 72 em números absolutos, sendo que 13 patrocinadas pelo candidato do PP em Alagoas, ao passo que o segundo colocado em censura era Flávio Dino de Castro e Costa, candidato ao governo do Maranhão pelo PC do B, com 9 ações (7% do total), empatado com Expedito Gonçalves Ferreira Júnior, candidato do PSDB em Rondônia.No ranking de unidades da federação, Alagoas desponta como o segundo estado em número de ações de censura.

A liderança, pelo menos até a noite da quarta, pertencia ao Paraná, com 19 ações (15% do total), enquanto a Terra dos Marechais despontava com 18 processos (14%). Além de Benedito de Lira, são igualmente censores o filho dele e candidato à reeleição de deputado federal Arthur Cesar Pereira de Lira (PP), o candidato também à reeleição na Câmara Federal Maurício Quintella Malta Lessa (PR), os candidatos a deputado estadual Galba Novais de Castro Junior (PRB) e Carlos Alberto da Silva Albuquerque (PTC) e o PP (Partido Progressista), que se insurgiu contra o Ibope sobre pesquisa realizada ainda durante o período pré-eleitoral.

A maior parte das demandas de Benedito de Lira é contra as redes sociais, mais especificamente contra a empresa Google Brasil Internet Ltda. por postagens no Youtube (a tal dancinha), contra oInstagram, Facebook Serviços OnLinedo Brasile o Twitter. Há, ainda, demandas contra o jornal EXTRA e o site do semanário (www.extralagoas.com.br).

O campeão de ações judiciais em Alagoas nas eleições deste ano (veja box ao lado) tem também outros processos contra empresas de comunicação ainda não computados pela Abraji e Google. É o caso dos processos contra o portal de notícias Gazetaweb, de propriedade do senador e candidato à reeleição Fernando Collor (PTB), integrante da coligação Com o Povo pra Alagoas Mudar e que tem como candidato ao governo Renan Filho (PMDB).

O www.eleicaotransparente.com.br possibilita ao visitante filtrar os dados e visualizar os pedidos de censura por candidato, unidade da federac?a?o, partido ou, ainda, por empresas que foram alvo das notificac?o?es. E o que é mais importante, permite conferir os detalhes das ações no próprio portal da Justiça Eleitoral.Como os dados são alimentados diariamente, é comum a oscilação de posição no ranking. No caso dos candidatos, Benedito de Lira já despontava como líder em ações para remoção de conteúdo quando do lançamento do portal, a 27 de agosto, havia caído duas posições na terça-feira, 16, mas um dia depois já havia retornado à condição de campeão.

Com suas ações, o senador do PP conseguiu colocar Alagoas à frente inclusive dos maiores colégios eleitorais do país, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro que detinham, respectivamente, 9, 3 e 7 processos de censura contra a mídia até a noite do dia 17. 

Candidato do PP é o recordista em ações na Justiça Eleitoral

Vencendo ou não as eleições de 5 de outubro, o senador Benedito de Lira já entra para a história como o recordista em ações na Justiça Eleitoral. Só este ano, em que pleiteia a cadeira hoje ocupada pelo tucano Teotonio Vilela Filho, Biu de Lira já ingressou com 461 processos contra adversários, número que se sobrepõe ao da sua própria coligação, a Juntos com o Povo pela Melhoria de Alagoas (PPS, PP, PSDC, PRP, PR, PSL, PSB, DEM e SD), que contabiliza 236 processos judiciais, números válidos até a última quarta-feira, 17 de setembro.

Incluindo-se os processos ajuizados em 2010, quando Benedito de Lira conquistou o atual mandato de senador, são 568 ações por ele impetradas na Justiça Eleitoral, a maioria contra adversários políticos e pedindo direito de resposta na propaganda eleitoral.Na segunda posição, com 118 processos, está a coligação Com o Povo pra Alagoas Mudar (PV, PT do B, PMDB, PROS, PC do B, PSC, PHS, PTB, PSD, PDT e PT), cujo candidato ao governo do Estado, portanto adversário direto de Biu, é o deputado federal e ex-prefeito de Murici Renan Filho (PMDB).

O filho do presidente do Senado, Renan Calheiros, havia ajuizado de forma individual, até então, apenas 4 ações, nenhuma de censura a redes sociais ou veículos de comunicação, algo que também se explica pelo fato de estar sendo apoiado pelos detentores dos principais meios de comunicação do estado, a começar pelos integrantes da Organização Arnon de Mello, de propriedade do senador Fernando Collor (PTB).Na terceira posição em quantitativo de ações ajuizadas até   o dia 17, está a coligação Frente de Esquerda de Alagoas, composta pelo PSOL e PSTU, com 21 processos, seguida por Um Novo Jeito de Fazer, a coligação que reúne PSDB e PRB e que tem por candidato ao governo do Estado o vereador tucano de Palmeira dos Índios Júlio Cezar da Silva, com 6 ações.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia