Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 789 / 2014

24/09/2014 - 14:45:00

Jornalista Jair Pimentel lança o livro “O Rapto da Sinhazinha”

Romance remete ao período da invasão holandesa em Alagoas, na primeira metade do século XVII

Maria Salésia [email protected]

Após 15 anos de pesquisas, o jornalista e escritor Jair Barbosa Pimentel presenteia seu público com mais uma obra. Dessa vez, o leitor vai enveredar pela história de Alagoas, precisamente fatos ocorridos na metade do século XVII, período conturbado e tumultuado quando o estado ainda pertencia à Capitania de Pernambuco.

O livro, “O Rapto da Sinhazinha”, é um misto de intrigas, amor, perseguição, ódio, traição e outros fatos típicos da época.Em seu primeiro romance histórico, o autor contou com a ajuda dos processos daquela época, fatos passados, de lembranças conscientes ou não, além de depoimentos.

De leitura atrativa, a ponto de prender o leitor do começo ao fim, “O Rapto da Sinhazinha” realmente existiu e se passou durante a invasão Holandesa em Alagoas. Trata-se do amor de uma das filhas do então capitão-mor de Porto Calvo, Rodrigo de Barros Pimemntel, com seu algoz- um sargento do Exército Holandês.São 114 páginas recheadas com um misto de realidade e ficção.

Jair aproveitou o rapto contado em livros escritos pelos holandeses e criou os momentos de romantismo, a captura, o sofrimento e ainda deu asas à imaginação do leitor que tem o poder de aceitar ou não os fatos e buscar também criar o seu final, feliz ou não. “Aos 18 anos, linda, loira, sempre vestida impecavelmente..., a sinhazinha sonhava com seu príncipe encantado, que finalmente chegou...” diz um fragmento da obra.

O capítulo dedicado a sinhazinha se desenrola com o namoro, a fuga, sofrimento e outros atrativos que só lendo o livro para saber o desfecho dessa história intrigante, porém comovente. Humilhação, guerrilhas, destruição e restauração da economia do Estado, com final feliz para os senhores de engenho também fazem parte da obra.

O livro remete o leitor a um passeio pela História. E foi nestas andanças pelo mundo das letras e outras pesquisas que Jair percebeu que aos poucos escrevia a história de um grande homem: Rodrigo de Barros Pimentel- o pai da sinhazinha. O enredo se passa na prisão do Forte do Brum em Recife, onde o capitão foi levado pelos holandeses por ficar ao lado dos portugueses. Porém, o desenrolar do romance acontece na noite em que antecede sua morte.

O romancista vai mais longe e dedica a segunda parte do livro a genealogia completa e documentada da família Pimentel, fundada na Espanha, passando por Portugal e chegando ao Brasil na segunda metade do século XVI. “A genealogia é como uma colcha de retalhos. Vai se juntando as informações documentadas, com nome e sobrenome, época em que essas pessoas viveram, tudo de trás para a frente, até chegar a sua geração”, ensina Jair Pimentel ao acrescentar que dedicou um capítulo do livro com agradecimentos e fontes de pesquisa.

Quem quiser adquirir O Rapto da Sinhazinha basta acessar facebook de Jair Pimentel ou enviar e-mail para [email protected] Também encontra-se à venda na Banca da Cultura, próximo a Unimed, Farol, e na portaria do prédio em que reside com direito a dedicatória. O valor é de R$ 20,00.


O AUTOR

Jair Barbosa Pimentel nasceu em Viçosa-Alagoas- no dia 20 de março de 1951. Primeiro filho de Joel Pimentel Victal e Leonilda Barbosa, começou no jornalismo aos 14 anos incentivado pelo pai, também jornalista. São 47 anos dedicados à profissão com passagem pelos principais veículos de comunicação de Alagoas.

Atualmente, colabora nos jornais EXTRA e o Dia, Tribuna Independente e site repórteralagoas. Jair também trabalhou como professor de História, Sociologia, Economia e Atualidades em colégios e cursinhos preparatórios para vestibular de Maceió. Na literatura, publicou os livros Família Pimentel- De Portugal ao Bananal (genealogia) e História de Alagoas- dos Caétes aos Marajás (livro-reportagem, No Tempo do Brucutu (memória) e A Índia Engaiolada (memórias), Diário de um Jornalista Sessentão e agora, O Rapto da Sinhazinha.


Espaço cultural Jair Pimentel aproveitou seu tampo livre, de aposentado, para criar no Povoado Bananal,  Zona Rural de Viçosa, um Espaço Cultural, como ponto de leitura. Lá, o jornalista e escritor instalou todo o acervo que existia em sua casa, em Maceió e, agora, disponibiliza para a comunidade, tudo gratuitamente.

A iniciativa encontra-se  registrada no Ministério da Cultura e não se trata de ONG ou Ocip.Uma das atividades do espaço é a Escola dos Sábados intitulada Professora Maroca Pimentel, onde Jair dar aula sobre os mais diversos temas. Também funciona o Clube do Livro Professora Julita Pimentel (empréstimo de livros), trazendo e levando, para devolver na semana seguinte. “A cada dia de sábado, venho recebendo novos alunos. Esse é meu objetivo: trazer a cultura, o hábito de ler a essa comunidade, carente do saber.

Quero transformar todos em verdadeiros cidadãos intelectualizados”, afirmou Pimentel.O espaço, que ocupa dois armazéns construídos na década de 1890, que serviam de loja de tecidos e chapéus, armazém de secos e molhados é o mais novo ponto turístico cultural, aberto ao público de quinta a sábado. Trata-se de um ambiente completamente diferente da sala de aula com: Biblioteca, Clube do Livro, Hemeroteca, Espaço Folclórico e Museu.

Vale a pena conhecer o mais novo endereço da cultura alagoana. O espaço fica localizado no Povoado Bananal, saída de Viçosa, com destino a Paulo Jacinto. Voluntariamente, Jair espera a todos de braços abertos.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia