Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 789 / 2014

24/09/2014 - 07:28:00

Gabriel Mousinho

A guerra da comunicação

Nunca, em tempo algum, o Tribunal Regional Eleitoral trabalhou tanto como nesta campanha eleitoral. São dezenas de ações julgadas diariamente e, como manda a legislação eleitoral, em prazos imediatos, rápidos, principalmente das duas maiores coligações eleitorais.

Nas ações tem de tudo. Desde o conhecido direito de resposta para o Guia Eleitoral e outras publicações, como processos penais, multas e outras coisas mais. Uma coisa de impressionar.

Lamentavelmente os que mais sofrem são os profissionais de imprensa, às vezes impossibilitados de manifestar clara e independentemente seus pontos de vistas, sob pena de pagar na Justiça. É verdade, porém, que muitos já içaram a bandeira de seu candidato, talvez até compreensível, num Estado pequeno e atrasado como Alagoas. 

O melhor, entretanto, é que falta muito pouco tempo, uns quinze dias, para terminar esta angústia, tanto dos candidatos, como dos comunicadores, que se vêem pressionados por todos os lados.Afinal, estamos em Alagoas.

Nova fórmula

Muitos insatisfeitos estão utilizando agora uma nova fórmula de pressionar e amedrontar jornalistas: ameaçar, por tabela, processar o profissional que tem divulgado verdades durante esta campanha política. Parece ser o mesmo caminho trilhado por Franklin Martins, o conhecido jornalista que forçou a criação de um Conselho Nacional com o objetivo, por trás dos panos, de censurar a imprensa brasileira.


Nova fórmula 2

Do jeito que a coisa vai, terminará os jornalistas políticos, nesta campanha eleitoral, publicando apenas poesias, a exemplo dos grandes jornais do Sudeste durante a ditadura militar. Sem advogados, naturalmente porque não podem contratar, alguns profissionais de imprensa estão comendo o pão que o diabo amassou.


Sem consultar

De um admirador do senador Biu de Lira durante caminhadas e carretas realizadas na capital e no interior: ´´o sentimento do povo nas ruas não é o mesmo que dizem por aí em pesquisas eleitorais´´.


Disposição

O senador Biu de Lira, aconselhado a diminuir o ritmo de campanha, disse que só pensará nisso depois das eleições. Até lá é fazer cami-nhada, conversar com lideranças, participar de carreatas e esperar o resultado das urnas. Segundo ele, nunca perdeu uma eleição, apenas uma quando foi candidato a vice-governador que atuou como coadjuvante. O resto, levou todas e espera ganhar esta do próximo dia 5 de outubro.

Segundo turno

Parece que o prognóstico de que a eleição para governador seja decidida no primeiro turno está dando pra trás. Do jeito que vai e com o crescimento mesmo que discreto do candidato do governo, Júlio Cezar, o segundo turno pode acontecer. Dificilmente

Contando os dias

O deputado Fernando Toledo deve estar contando os dias para assumir uma vaga de Conselheiro do Tribunal de Contas de Alagoas. Também pudera. A instituição que vem recebendo críticas constantes e marcação cerrada do Ministério Público é uma, segundo informações em nível nacional, das mais desorganizadas do Brasil. Mesmo assim não é o que pensa o presidente Fernando Toledo, que encerrou sua carreira política, transferindo o bastão para o jovem talentoso Bruno Toledo.

Oposição em alta

A situação de muitos prefeitos do interior é tão ruim, que alguns candidatos preferem mesmo ter o apoio da oposição. Devendo ao funcionalismo público e às empresas que prestam serviços no município, esses prefeitos não têm mesmo o que oferecer aos seus candidatos.


Disputa ferrenha

Enquanto os candidatos ao governo travam uma luta titânica pelo cargo, a briga para deputado federal cresce a cada dia.Ronado Lessa, Marx Beltrão, Givaldo Carimbão, Paulão e Rosinha da Adefal disputam palmo a palmo uma vaga na Câmara. Já o ex-prefeito Cícero Almeida e Nivaldo Albuquerque, filho do deputado Antônio Albuquerque, crescem a cada dia no eleitorado.

Disputa ferrenha 2

Já os deputados Arthur Lira e Maurício Quintella estão com as reeleições praticamente garantidas, enquanto JHC briga forte pela terceira vaga na coligação do senador Biu de Lira.


O mais votado

Cícero Almeida, Arthur Lira, Ronaldo Lessa ou Marx Bel-trão? Esses candidatos são os mais comentados durante a campanha que está chegando ao fim. O ex-prefeito Cícero Almeida não tem medo de dizer que será o deputado fe-deral mais votado na história de Alagoas. E tem trabalhado muito pra isso. Resta saber se ele sairá de Maceió com cerca de 150 mil votos, como projeta o próprio Almeida e seus admiradores.


Compra de votos

Alguns candidatos dizem no Guia Eleitoral que é preciso ter cuidado com a compra de votos, onde desconhecidos aparecem de repente com a mala cheia de dinheiro. Com a mala cheia de dinheiro ninguém duvida, mas duvida de que sejam desconhecidos. Afinal de contas Alagoas toda sabe quem faz cadastro e compra redutos eleitorais, tanto na capital como no interior.

Plano Bresser

Por incrível que pareça a ação do Plano Bresser dos empregados da CEAL completou 25 anos sem solução. Há 12 anos do governo do PT nada foi resolvido e há 01 ano está sem movimentação no TST, por parte do Sindicato dos Urbanitários, que foi autor da ação. Em setembro do ano passado, vendo seus associados morrendo ao longo do tempo, cerca de quatrocentos, a Associação dos Aposentados da CEAL - AAPC resolveu tomar providências em paralelo e procurou o Presidente do Senado Renan Calheiros, que abraçou a causa. Na quarta-feira, o presidente do Senado teve novo encontro com o Ministro das Minas e Energia, Edison Lobão e voltou a cobrar uma posição sobre a pendenga pela área administrativa, enquanto se busca novas alternativas na Justiça. O que mais tem impressionado é a inércia do Sindicato dos Urbanitários, já apelidado de Sindifraco.


Plano Bresser 2

A Associação dos Aposentados da antiga Ceal, que tem como grande interlocutor o advogado Josenal Fragoso e companheiros da diretoria vêm dando show de bola na causa do Plano Bresser. Se não fosse a Associação dificilmente o assunto teria sido levado até o Ministério das Minas e Energia, através do senador Renan Calheiros. Um exemplo que deve ser seguido pelo próprio Sindicato da categoria, que ficou em silêncio durante muitos anos.


Guia perverso

No Guia Eleitoral saiu até que Biu de Lira é fazendeiro, o que nunca negou. O mais curioso é que tem gente que tem quase um terço do Estado de Alagoas de fazendas recheadas de gado.


Clima do já ganhou

Mesmo sem combinar com o povo têm assessores dizendo por aí que a eleição já está ganha. Essa mesma história tem se repetido ao longo das campanhas políticas e nem sempre os resultados são do gosto do freguês.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia