Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 788 / 2014

16/09/2014 - 17:38:00

Ali babá e os 40 ladrões

José Arnaldo Lisboa - [email protected]

Na minha infância, eu tive uma maravilhosa mãe que, pacientemente, contava muitas estórias, para que eu dormisse e sonhasse, embalado no meu mundo infantil. Lembro-me da bonita estória de “Alice no País das Maravilhas”, da “Cinderela-A Gata Borralheira”, da famosa ficção de “Ali Babá e os 40 Ladrões” e, de outras estorinhas, daquelas que as crianças de hoje já não querem nem saber. O mundo mudou e com ele a inocência das crianças, já que os adultos passaram a se preocupar muito com o sexo, ensinado por sexólogas frustradas, quando explicitando em aulas seus modernismos bestiais.

Tudo mudou e, foi para pior. Mudou a vergonha dos homens, a decência, a moral a ética e os comportamentos políticos. Em meio a esse modernismo dos costumes, eu lembrei-me da estória que veio das bandas das Arábias, através de um famoso romance, com o título de “As 1001 Noites”, no qual um lenhador, com o nome de Ali Babá descobriu um tesouro quando cortava lenha numa gruta da floresta, a qual servia de esconderijo para 40 ladrões. Eu reli parte da estória, para ver se ela se parecia com estórias que vêm acontecendo no Brasil, principalmente, na Petrobras, envolvida em escândalos.

Ao compará-las, eu vi que elas são semelhantes, porém, com o envolvimento de muito dinheiro em forma de tesouro, como o dos 40 ladrões. Com Ali Babá, aconteceu de ele usar parte do tesouro encontrado na gruta, em plena floresta. Com a Petrobras, o tesouro encontrado está no mar, na camada do pré-sal, o que vem fazendo o Brasil se tornar o maior produtor de petróleo do mundo, segundo dizem o ex-presidente Lula e a senhora Dilma.

 Às vezes, a estória do “Ali Babá e os 40 Ladrões” se confunde com a estória que vem sendo denunciada na imprensa, envolvendo autoridades tidas como importantes, mesmo que moralmente não o sejam perante nós, brasileiros.  

A estória do Ali Babá só é diferente da estória da Petrobrás porque a de Ali Babá só envolve 40 ladrões, enquanto que a nossa estória poderá envolver muitas outras pessoas, ladrões ou ladras, algumas já denunciadas. Poderão, inclusive, serem inocentadas, num julgamento sério, criterioso e imparcial.

Eu quero acreditar que o dr. Paulo Roberto Costa não “está caluniando, difamando ou injuriando” as nossas autoridades que, por sinal, “nem gostam de dinheiro”, quá, quá, quá........!!!!  Caso seja verdade o que está contido nas palavras desse dr. Paulo, tudo será porque no Brasil, sempre imperou ou impera a impunidade.

Enquanto neste País, não forem punidos os políticos, os administradores e os executivos “fichas-sujas” que estão por aí e que ainda irão ser julgados, mui brevemente iremos conhecer, também, muitos julgadores “ficha-suja” que estão “na moita”. Ali Babá, deveria, até perguntar: “E OS OUTROS.......... ?”


Em tempo – A senhora Gizelda Maia sempre lê meus artigos, o que me deixa satisfeito por tê-la como leitora. Que bom!!!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia