Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 787 / 2014

10/09/2014 - 07:46:00

SURURU

Capitania hereditária

DA REDAÇÃO

Repercutiu negativamente junto à magistratura e comunidade jurídica a indicação do juiz Antônio Bittencourt para juiz auxiliar da Corregedoria Geral da Justiça, feita pelo corregedor Alcides Gusmão. Antônio Bittencourt é velho conhecido dos bares da noite maceioense e da polícia alagoana, tendo sido preso em flagrante por dirigir embriagado, desacato, direção perigosa e atirar em via pública.O que mais causou espanto foi o fato de Alcides Gusmão declarar em plenário que a indicação foi combinada com outros colegas que irão compor a próxima gestão na Corregedoria. Detalhe: na época ainda não se sabia quem seria o próximo corregedor, ou seja, um grande acordo, certamente com o aval do desembargador Fábio Bittencourt, irmão de Antônio, que agora passará a ser fiscal dos demais magistrados. Ambos, aliás, são filhos do desembargador aposentado José Agnaldo. No TJ a insatisfação é geral, pois afora o irmão do juiz reincidente em infrações, os demais desembargadores não reconhecem em Antônio Bittencourt requisitos mínimos para a função.  

CNJ neles!!!

Promotores do GECOC consideram graves as acusações de um presidiário contra membros do Poder Judiciário e do próprio Ministério Público Estadual. As denúncias envolvem um desembargador, um ex-desembargador, um promotor de Justiça e um juiz de direito recentemente promovido para a Capital. Segundo o GECOC as denúncias devem ser encaminhadas ao CNJ e CNMP. 


Primeiro turno

Pesquisas eleitorais realizadas em todo o Brasil e divulgadas nos últimos dias apontam a possibilidade de as eleições terminarem no primeiro turno em pelo menos 15 Estados,.Pelos números, o Ibope apontou possibilidade de vitória no primeiro turno em locais como Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo, Acre, Amazonas, Bahia, Rio Grande do Norte, Alagoas, Ceará, São Paulo, Minas Gerais e Paraíba. O Vox Populi também apontou possibilidade de encerramento da disputa no primeiro turno no Tocantins. No Maranhão e Piauí também existem chances das eleições serem encerradas no dia 5 de outubro, mas os dados foram levantados por institutos locais de pesquisa.

Alagoas 

O futuro governador terá pela frente o desafio de administrar o estado com o maior índice de violência do País, com 64 homicídios para cada 100 mil habitantes, enquanto a média nacional é de 29 por 100 mil habitantes, segundo dados do Mapa da Violência. Terá, ainda, de encarar o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do País, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Eleitorado

Com 102 municípios e uma população estimada em mais de 3,3 milhões, o eleitorado apto a votar este ano soma 1.995.727, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A base da economia está na agropecuária, que tem como principais produtos a cana-de-açúcar e o coco-da-baía. O folclore é um dos mais ricos do país.


Frase da semana “Estado que não gera riqueza não distribui riqueza” Candidato Júlio Cezar, ao reconhecer o legado do governo tucano.  

Agindo nas sombras 

O ex-supersecretário tucano Luiz Otávio Gomes se reuniu no início desta semana, em São Paulo, com o enrolado empresário Germán Efromovich, que quer construir um estaleiro em Alagoas sem participar de concorrência pública. O que é muito estranho.  Como está afastado do governo, também é estranho que Luiz Otávio continue atuando em nome de Alagoas. Ou será que ele continua dando as cartas?  

Pastor e Biu 

O pastor João Luiz, candidato a deputado estadual do DEM, revelou  pelo Twitter que está sendo proibido de falar no horário gratuito de propaganda eleitoral porque não pede votos para o candidato ao governo da sua coligação, Benedito de Lira (PP). A confusão teve início há um mês, quando o pastor publicamente cobrou atitude do candidato pepista com as seguintes palavras: “Senador, se não tivermos uma conversa, não tenho mais como me manter na campanha. Vou cuidar da minha vida. Obrigado”.

Devassa

A pedido da Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara Federal, a CGU fará  tomadas especais de conta em 10 prefeituras de Alagoas. Os fiscais acamparão em Arapiraca, Lagoa da Canoa, Taquarana, Jaramataia, Jundiá, Ouro Branco, São Luiz do Quitunde, Matriz de Camaragibe e Colônia Leopoldina.  É o salve-se quem puder... 


Dogshow

O Kennel Club de Alagoas promove nesse sábado, 6, o Dogshow Pan-americano, no ginásio do Parque da Pecuária no Trapiche da Barra, com entrada gratuita. Haverá   desfile de cães de várias raças válido pelo ranking da Confedera-ção Brasileira de Cinofilia (CBKC). 

Me engana que eu gosto

“O problema [do Brasil] somos nós. Queremos tudo, queremos já e queremos de graça. Em resumo, queremos ser enganados”.Ricardo Amorim, apresentador do programa “Manhattan Connection”, da Globonews, e presidente da Ricam Consultoria.  


Recado para Marina

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Você não pode servir a Deus e ao dinheiro.” (Mateus, capítulo 6, versículo 24.)Luciano Martins Costa em artigo para  Observatório da Imprensa 

Fantoche?

O candidato ao governo pelo PSDB, Júlio Cezar parece estar sendo usado como fantoche na campanha. Nem os próprios candidatos a deputado estadual do partido estão apoiando o vereador de Palmeira dos Índios. Nas ruas, não se vê um único adesivo seu sendo distribuído, apenas do presidenciável Aécio Neves. É gastar dinheiro para nada. 


Estratégia furada 

A estratégia de marketing da campanha do Benedito de Lira (PP) era usar um comediante para ofender de forma sarcástica seu adversário na disputa pelo governo, Renan Filho (PMDB), com a divulgação de informações que não são verídicas. A justiça eleitoral, contudo, vetou uma das propagandas neste estilo e pelo visto deve proibir as outras. A questão que fica é se o comediante deve ou não perder o emprego. E agora, hum, hum? 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia