Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 786 / 2014

03/09/2014 - 08:59:00

Já escolhi meus maravilhosos candidatos

José Arnaldo Lisboa - [email protected]

Eu esperei, ansiosamente, o Horário Gratuito da Propaganda Eleitoral, para que tivesse início os desfiles dos nossos fabulosos, competentes e preparados candidatos, de modo que eu pudesse escolher os melhores nas próximas eleições. Antes, eu queria saber, quais seriam os que iriam mentir, prometer, enrolar e enganar ao povo, para me sentir com mais segurança nas escolhas.

Os sistemas democráticos nos dão liberdade para escolhermos os nossos representantes, sejam eles católicos, protestantes, pretos, brancos, mulatos, ladrões, assaltantes, merendeiros, mensaleiros, assassinos, doleiros ou outras escórias da sociedade, pois, a nossa Constituição não permite que haja preconceito contra qualquer dos candidatos.

Qualquer candidato, seja ele pretendente à Presidência da República, a senador, a deputado, a governador, prefeito ou vereador, pode se candidatar a qualquer cargo político, bastando que seja brasileiro ou naturalizado, pois, pelas regras atuais, só existe “ficha suja”, para quem já responde por 10 ou 20 processos, mesmo assim, podendo “recursar, recursar e recursar”, com grandes possibilidades de ser inocentado e poder se candidatar, até no caso de uma reeleição. Alguns candidatos, por exemplo, estão sendo processados por terem roubado 150 milhões de reais e, mesmo assim, ainda vão ser julgados, ninguém sabe, se antes ou depois das eleições.

Ora, o nosso Código Eleitoral é flexível e fácil de ser desrespeitado. Por sua vez, a nossa Constituição, tida como moderna e avançada, permite que um indivíduo que assassina com instinto de crueldade, seja condenado, apenas, a 30 anos, podendo ser solto depois de cumprir 1/6 (um sexto) da pena, pagar uma fiança de uns mil reais ou, ainda, ficar em casa bebendo whisky com os amigos, em prisão domiciliar. 

O nosso Guia Eleitoral é ridículo, cansativo e mentiroso, principalmente quando os candidatos dizem que estão empenhados no bem estar do povo, quando prometendo acabar com os problemas existentes na Saúde, na Educação, na Segurança Pública e em todos os demais setores. Os tempos no rádio e na televisão são muito curtos, mas, aqui-acolá, não faltam oportunidades para eles dizerem que as escolas serão em tempo integral, que não faltarão leitos nos hospitais e nas maternidades e que, jamais irão faltar medicamentos para o povo.

Todos os candidatos deveriam frequentar um curso, pelo menos durante 15 dias, para que soubessem o que vão fazer, se eleitos, quais as suas atribuições e o que podem e não podem fazer. Estamos às vésperas das eleições, com muitas pessoas ainda não sabendo em quem votar.

Os 15  segundos disponíveis para uma mensagem de um candidato bem intencionado não são suficientes para dar respeito e seriedade a um pleito. Por causa disso, alguns candidatos levam na bagunça o tal do “programa eleitoral gratuito”, sem saberem que aqueles momentos dos votos deveriam ser de seriedade.

Por causa da falta de orientações para a importância do voto, é que já aconteceram eleições no Brasil em que foram eleitos um tal de “cacareco” e um “bode cheiroso”. Eu já escolhi meus candidatos. Dentre eles, estão os que prometeram “salvar a pátria”, os novos  “cacarecos” e  novos “bodes cheirosos”. Que democracia, meu Deus !!!!!......   

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia