Acompanhe nas redes sociais:

13 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 784 / 2014

20/08/2014 - 01:44:00

Gabriel Mousinho

A compra de votos

A compra de votos tem se acentuado nos últimos dias na capital e no interior e logo, logo alguns escândalos deverão explodir com a atuação da Polícia Federal, que tem recebido, assim como a Ordem dos Advogados do Brasil, diversas denúncias consideradas escabrosas.Como a eleição em Alagoas é considerada uma das mais caras do Brasil, com certeza o dinheiro vivo tem circulado com muita frequência nos municípios alagoanos, recheados de ´´lideranças´´ às vezes não muito confiáveis, mas que esperam eleição em dois em dois anos para fazer o pé de meia.O difícil, diga-se de passagem, é identificar quem é o mais puro nesse processo eleitoral.

Se não compram voto com dinheiro, fazem promessas que habitualmente não são cumpridas, tudo em nome do poder político no Estado. Este expediente, corrupto, também, tem aflorado junto às lideranças políticas em Alagoas e parece, não acabará nunca por aqui e por lá, no sul, sudeste, norte e centro-oeste. É, infelizmente, uma questão cultural de um povo acostumado a isso e que se conforma com migalhas que só trazem cada vez mais sofrimento e desesperança.Até quando?

Velho cadastro

A Polícia Federal estaria recebendo denúncias de que o cadastro de eleitores não só é feito na periferia, em ambientes fechados. Há denúncias que ele também está sendo realizado até em gabinetes na Assembleia Legislativa, o que tem preocupado assessores de um certo deputado estadual.


Defesa de Collor

O Diretório Municipal do PTB saiu logo em defesa do senador Fernando Collor, que novamente voltou a ser citado pela revista Veja por ligações com o doleiro Youssef. O Partido diz que isso foi uma grande armação pelo fato de Collor ter recebido indenização por haver sido caluniado pela revista.

 
O Brasil de luto

A morte trágica do candidato Eduardo Campos, deixou uma lacuna irreparável na política brasileira. Homem público dos mais sérios e com uma administração em Pernambuco de fazer inveja aos outros Estados brasileiros, ele deixa um legado de decência, trabalho e honradez.


Disputa

O prefeito Rui Palmeira começou a fazer caminhadas em defesa da candidatura de Biu de Lira. Quer fazer bonito nas eleições, disse um assessor. Não quer perder a parada para o ex-prefeito Cícero Almeida que faz campanha para Renan Filho.


Disputa 2

Outra disputa interessante é saber quem terá mais votos na capital para deputado federal. Cícero Almeida ou Ronaldo Lessa? Ambos foram prefeitos de Maceió e têm ampla intimidade com o eleitorado, principalmente da periferia da capital.


Dificuldades

Algumas coligações já demonstram que dinheiro para a campanha não está tão fácil assim. Muita gente que tem prestado serviços de logística reclama do não cumprimento de alguns compromissos. E ainda faltam 45 dias para as eleições de 5 de outubro.


Assim não dá

Pela falta de compromissos assumidos, algumas lideranças de Maragogi já migraram para outros candidatos. É o toma lá, dá cá. Se a grana não aparecer, adeus votos.


Acordo desfeito

Um candidato pronto para emplacar na Câmara Federal, fechou um acordo de dez mil votos, mas parou no caminho. Desconfiou que não sairia nem a metade dos votos prometidos pelas lideranças.


Reprovação

Mais de 80% dos prefeitos alagoanos estão mal na fita e serão, com certeza, péssimos cabos eleitorais durante toda esta campanha. O índice de rejeição chega à estratosfera. Não pagam salários, não cumprem com os compromissos com fornecedores e pouco aparece na cidade.Quem for na onda perde o dinheiro e os votos.

Sobra de comida

Depois de amargar uma companhia indesejável, mas que lhe apóia em um município do agreste, um candidato ao governo ficou estressado durante a visita à cidade. Para se ter ideia da rejeição do prefeito, sobrou comida no rega-bofe oferecido aos convidados.

O mais votado

O ex-prefeito Cícero Almeida que voltou com a carga toda nesta campanha tem revelado que sua votação ficará na história de Alagoas. Ele acha que será reconhecido por toda a sociedade maceioense pelo trabalho que fez, principalmente na periferia de Maceió. 

Em campanha

Enquanto Cícero Almeida se mexe na periferia da cidade para angariar votos para a Câmara Federal e para Renan Filho, o prefeito Rui Palmeira e o vice Marcelo Palmeira arregaçam as mangas das camisas para eleger Biu de Lira.


Primeiro turno

Mesmo com o trabalho que tem feito em pouco tempo como candidato ao Palácio dos Martírios, Júlio Cézar não chega a preocupar, afirmam pessoas com trânsito livre no governo. Biu e Renan devem decidir a parada no primeiro turno.


Insensibilidade

Mesmo com a confirmação da morte de Eduardo Campos, a Globo não se preocupou com o trágico acidente. Forçou a barra para o PSB definir como iria proceder na substituição do candidato à presidente, numa demonstração de indiferença com o desastre aéreo que matou sete pessoas.


Duvidosas

Muitas pesquisas que estão sendo divulgadas por aí estão longe de serem as que realmente estão corretas. Tem pesquisa para todos os gostos, dizem especialistas no assunto. 


De olho

As coordenações jurídicas das coligações estão de olho na divulgação de pesquisas ´´fabricadas´´ e pedem punições para quem se habilita a contrariar as normas da Justiça Eleitoral.


Contribuições

Fazia tempo que as doações de campanha não se restringiam somente ao poder econômico local. Agora vem de fora, da JBS, proprietária da Friboi e de velhas e conhecidas construtoras nacionais. Uma beleza.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia