Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 782 / 2014

05/08/2014 - 20:23:00

POR DENTRO DO ESPORTE

João de deus [email protected]

Uma lição

O futebol exige talento, mas o brasileiro não cai na real para entender que sua prática no Brasil merece ser repensada. Achar – e podem até estar certos -  ser aqui um celeiro de craques, mas peca insistindo em debitar como o melhor do mundo quando na Copa que sediou foi quarto. 

Fala torcedores

Jogadores da época do futebol talento concordam: o mundo hoje se encanta com o futebol da  Alemanha. É preciso entender a fragilidade do Brasil hoje e buscar saber onde está o erro para correção. Um deles: a mídia dosando exagero para fazer craques e reforçar patrocínios.


Cabeça quente?

No ASA, na semana passada o tempo foi de tempestade, mas parece que “em copo d´água”. Um desacerto na harmonia pela má fase na Série C, a ponto de Didira, prata da casa, profissional exemplar e ídolo da torcida, ter achado haver chegado a hora de deixar o clube.     

Para cobrar 

De Renan Filho, proposta para lembrar, dita no início de junho, ainda pré-candidato ao governo e divulgada no site Alagoas 24 Horas: “É dever do Estado fomentar as práticas desportivas formais e informais como direito de cada um”. É proposta citada no artigo 21 da Constituição Federal.  

Bola em campo

A Série D  do futebol brasileiro começou no dia 16 último com calendário de jogos estendido até 16 de novembro. O Coruripe, campeão alagoano, é quem representa o Estado e deu largada na tabela em casa com o pé esquerdo. Não soma ponto. Perdeu para o Jacuípense (PE) por 2x0.


Participantes

O Coruripe, além do Jacuípense,  tem no grupo da Série D o Campinense (PB); Central (PE) e o Baraúnas do Rio Grande do Norte. O Hulk alagoano, por estar na Copa Brasil como campeão de Alagoas, não soma ponto e não está na terceira rodada que começa neste fim de semana. 


Recuperação

Alan Rossi, 46 anos, craque com passagem por clubes importantes,  começa a  vencer uma luta fora de campo. É contra o crack e desde fevereiro se trata na Nona Comunidade Terapêutica de Ivorá (Fazenda Senhor Jesus). Ídolo do Internacional, onde encerrou carreira, jogou ainda no Corinthians, Avaí, Cerro Portenho e Rosário Central.  

Sem novidade

A saída de Ronaldinho Gaúcho do Atlético Mineiro foi amigável, mas era esperada diante da falta de harmonia entre ele e Levir Culpi. Foi incluído com aval da diretoria em um projeto do técnico, solicitado pela diretoria, para reorganizar o futebol no clube. O dia a dia do craque fora de campo também foi levado em conta na decisão.


Depredação

Hoje é prática comum torcedores formarem gangues pós jogo para depredar estádios e fazer arruaças na rua e nos coletivos. Um desses atos degradantes foi filmado no domingo (27), após o jogo no Arena Corinthians. Câmaras filmaram o vandalismo e os identificados devem pagar o prejuízo.


De Alex Rossi

“Estou na faculdade da vida como nunca tinha passado antes. É uma partida de futebol longa, não são só 90 minutos, são nove meses. É uma vida inteira. Os monitores me colocaram num celular como minha esposa, Márcia que também me deu força. Não está sendo fácil. Mas é aí que temos de ter força” .


Mais faltosa

No futebol o uso do “carrinho” é comum. Um ato consciente, mas de risco para o adversário e até também para quem aplica. A intenção pode ser só de desarme, mas no ato de se proteger quem o aplica se excede em defesa própria levantando a perna. Portanto é ato irresponsável. “É como dirigir embriagado”, observam torcedores.  

É o campeão

O Murici, campeão alagoano Sub-20 de 2014, garantiu vaga na Copa São Paulo de Futebol Junior 2015. A segunda é do CSA, mas pendente de um julgamento pelo TJD/Al. É acusado de escalar jogador irregular no campeonato da categoria. O Sete de Setembro é a segunda opção.

Classificação

A Federação Alagoana de Futebol divulgou também no site os clubes melhores classificados no campeonato alagoano Sub-20: 1º Murici, 13 pontos; 2° CSA, 11 pontos, mas ainda sob risco de perder 6 no julgamento por escalar jogador irregular; 3º Sete de Setembro, 8 pontos; e 4º São Domingos,  1 ponto.


Haja nervos

O CRB neste domingo pega parada indigesta mas não impossível de digerir. É o Cuiabá, jogo no Mato Grosso, e também com chances excelente de classificação. Ideia do tempero das emoções: o Galo tem 12 pontos, é segundo na tabela e o time da casa terceiro, com 11 pontos.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia