Acompanhe nas redes sociais:

13 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 781 / 2014

29/07/2014 - 07:22:00

Gabriel Mousinho

Campanha da baixaria

O que já circula nas redes sociais já dá o tom de como será a campanha majoritária este ano. Vídeos com denúncias as mais variadas, agressões verbais, chacotas de candidatos, enfim, peças que incitam os adversários e que, segundo alguns deles, não perdem por esperar.Parece mesmo que embora o Tribunal Regional Eleitoral tenha alertado os candidatos e pedido que não haja baixaria durante o Guia Eleitoral e consequentemente nas redes sociais, vai ter que em determinado momento intervir. E já tem motivos suficientes para isso.O que se entende até agora, é que os candidatos majoritários ficam reféns de alguns assessores mal intencionados os quais, nas escondidas, pintam e bordam sobre os candidatos, abrindo brechas para ataques de todos os lados.Renan Filho e Biu de Lira, os candidatos com maiores chances de vitória, devem ficar alertas ao que está acontecendo no mundo político e recomendar às suas equipes que nem sempre tripudiar sobre a vida dos outros trará resultados positivos nas eleições. A continuar assim, a roupa suja será lavada publicamente e aí todos sairão perdendo.Mas como as agressões já começaram nas redes sociais, cada candidato deve se preparar para a defesa e naturalmente o ataque. O TRE sabe que os excessos irão permitir uma chuva de ações eleitorais, transformando uma festa democrática num caso de polícia.

Sujeira, já

Um fato curioso tem chamado a atenção nos últimos dias, ou seja, a presença em Alagoas, do marketeiro Adriano Gheres, que fez a campanha de Marconi Perilo, em Goiás. Contratado pelo Chapão para a campanha majoritária, Gheres já esteve enrolado com o bicheiro Carlinhos Cachoeira e tem outro atributo que deixou perplexos outros profissionais na área; é radicalmente contra a presidente Dilma Rousseff.


Sujeira, já 2

Durante a última campanha de José Serra, quando tentou a presidência da República, vídeos comparando os petistas a Hotiwaleis foram colocados à disposição do candidato na época, que foram rejeitados e denunciados à polícia. 


Sujeira, já 3

Pelo visto a campanha majoritária em Alagoas vai pegar fogo e o expediente utilizado por alguns marketeiros vai proporcionar aos adversários também de usar uma artilharia para responder aos ataques. Ou seja, baixaria à vista.


Outro alvo

Os ´´terroristas´´ de plantão estão escolhendo outros alvos para atingir candidatos majoritários. Como se alguns deles não tivessem telhado de vidro.

Visão de Apratto

Do vice-reitor do Cesmac, professor Douglas Apratto sobre o ensino médio no país e particularmente em Alagoas: ´´ a situação somente será resolvida se o ensino médio for conduzido pelo governo federal´´. Sobre a Educação no Estado Apratto defendeu um secretário que esteja sintonizado com a realidade de Alagoas e que passe pelo menos quatro anos à frente da Educação. Ou seja, trocar secretários para atender situações políticas é um erro dos governantes. 

Collor a cavalo

Ao contrário de campanhas anteriores, Collor não utilizou mais a estratégia de disputar eleições faltando apenas um mês para a contenda política. Agora, mais maduro, seguro e menos explosivo, o ex-presidente tem apertado fundo o pé no acelerador no interior. Na semana passada o senador percorreu pelo menos oito quilômetros numa cavalgada em Lagoa da Canoa, demonstrando que quer mais votos e que está em plena forma.


Disposição

Depois de dar a partida na campanha com um evento de grande porte no Iate Clube Pajuçara, o senador Biu de Lira, no mesmo dia, fez uma caminhada pela orla marítima e à noite já estava em busca de votos no interior. Biu tem arrastado, além do vice Alexandre Toledo, o candidato ao Senado Omar Coelho.


Renan na área

O deputado Renan Filho tem agradado onde passa com seu jeito simpático de fazer política. Tenta fazer uma campanha longe da presença do pai, senador Renan, buscando espaço próprio na capital e no interior.


O vice

Ao contrário de Renan Filho, o vice Luciano Barbosa não é lá muito simpático entre os candidatos do Chapão. Muitos acham Luciano retraído, de pouca conversa, distante dos problemas eleitorais.


Homem forte

O médico Fábio Farias é hoje a pessoa mais importante na campanha de Renan Filho. De absoluta confiança do senador Renan Calheiros, Farias é um misto de apaziguador, conselheiro e articulador.


Eleição cara

Candidatos estão reclamando do preço do voto em todas as regiões, principalmente depois que a imprensa nacional noticiou que Alagoas terá a terceira eleição mais cara do país. Só que ela não avaliou que isso são números oficiais. Os extra-oficiais naturalmente ninguém divulga.AssaltosMesmo sem comprovação corre à boca miúda que os assaltos a caixas eletrônicos em todo o interior do Estado tem tudo a ver com as eleições de 5 de outubro. Será?


Infidelidade

Se as coligações exigirem na forma da lei a fidelidade partidária, muitos políticos com mandatos serão punidos pela justiça eleitoral. Tem prefeito de partidos que apóiam outros candidatos e vice-versa. A região norte está cheia deles.


De fora

Pelo comportamento, o prefeito de Maceió Rui Palmeira não vai nem tomar conhecimento das eleições deste ano. Está se mantendo distante, ausente, indiferente ao que está acontecendo na política alagoana. Tem se preocupado com as obras da prefeitura que estão em andamento.

Fidelidade

Enquanto o prefeito de Maceió se mantém afastado da efervescência política, o vice, Marcelo Palmeira, tem dado a carga toda para eleger Biu de Lira      governador. Palmeira participa de reuniões, faz contatos com lideranças políticas, tem participação ativa nas negociações políticas e na organização de eventos e agendas e já entrou no clima de corpo a corpo para buscar votos. 


Definidos

Os deputados Antônio Albuquerque e Francisco Tenório participaram do evento realizado por Biu de Lira no Iate Pajuçara. Os dois vão participar ativamente da campanha majoritária. Cícero Ferro e João Beltrão ficaram do lado do Chapão, embora tenham sido defenestrados por decisão da coligação.


Otimismo

Até o início da semana, o governador Téo Vilela continuava declarando otimismo com a candidatura de Eduardo Tavares ao governo, embora o PSDB tenha ficado somente com o PRB de Galba Novaes. Téo dizia estar apostando no novo na política, mesmo tendo desprezado seu então homem de confiança no Governo, Marco Fireman. Tavares, como se sabe, renunciou à candidatura.


Devastador

Foi o discurso do deputado João Caldas contra o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Cícero Amélio, na Câmara Federal. Caldas convocou até a Polícia Federal para denunciar Amélia, que revidou dizendo que o ´´deputado é um irresponsável e que vou processá-lo´´. Parece que o episódio não ficará somente no disse-me-disse.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia