Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 780 / 2014

23/07/2014 - 10:20:00

PEDRO OLIVEIRA

Muda Brasil

Está nas mãos dos brasileiros a decisão de mudar o destino do país

Mesmo sem nada entender de futebol tenho certeza que nenhum dos atletas escalados para aquele fatídico jogo contra a Alemanha gostaria de ter vestido aquela camisa, já que fatalmente a história não o esquecerá. Essa derrota será uma perseguição vitalícia, um legado indissolúvel O dia em que o mundo desabou sobre uma seleção pentacampeã.

Mais que perder uma Copa, o Brasil pagará ainda caro por ter perdido a oportunidade de resgatar inúmeras dívidas sociais com os US$ 15 bilhões aplicados no “padrão FIFA”, especialmente em estádios que ficarão aí para lembrar quanto imprevidentes e tresloucados foram os governantes do país.

A Copa serviu para fantasiar um país cheio de absurdos e desfilar num Carnaval como país desenvolvido dentro de estádios, deixando de fora 40 milhões de miseráveis que nunca terão acesso a eles – que sobrevivem de esmolas, pior, se satisfazem com elas.Foi a oportunidade de pautar o Brasil internacionalmente. Foram exibidas  nas redes europeias e americanas reportagens  que entraram nas favelas, nos cortiços e mostraram os “opostos”, as “lendas” do Brasil que ainda fascina o mundo, especialmente quem não o conhece de perto.

Destaque para o gigante, tomado por governantes aloprados e perdulários, que se aproveitam da ignorância funcional de um povo amansado por esmolas, que, ainda, não conta com uma oposição no sentido correto e democrático da palavra. Pois é, o gigante não conseguiu se levantar nem desta vez. A sensação é que voltará a roncar, que a democracia tão almejada continua uma ingênua “criança” engatinhando em volta de seu “berço esplêndido”. 

Temos pela frente uma eleição que poderia significar o rompimento do elo podre que suja de lama o país há quase doze anos com a ascensão do petismo ao poder. Está nas mãos dos brasileiros a mudança de rumo de nossa ingênua democracia ou optar pelo conformismo e ver a Nação se desmoronar a cada dia. Não será uma luta fácil diante do aparelhamento corrupto instalado em todos os setores da sociedade em busca de não perder o poder. Mas nada é impossível quando se pensa e se luta juntos e por uma causa nobre. Que Deus nos proteja e nos ajude a mudar o futuro do Brasil. Nós merecemos!  

As previsões do vidente

O vidente Carlinhos de Apucarana, principal atração do Fantástico, na TV Globo, previu tudo sobre a Copa, e acertou em cheio. Depois da vitória contra a Croácia, no início da Copa, quando havia muita empolgação com o Brasil. Ele desfez qualquer esperança no Brasil, apontou os quatro semifinalistas, previu a contusão de Neymar e a derrocada do Brasil, nos vexames diante da Alemanha e da Holanda (“Um gol atrás do outro”, foi a previsão dele ). Por fim, previu a derrota da Argentina. Depois de tudo isso, é claro que perguntaram a ele quem será o próximo presidente do Brasil. Ele respondeu: “Aécio Neves”. 

Benildo Martins

Esta semana a vida nos prega mais uma peça deixando tristes nós jornalistas e políticos alagoanos com a brusca partida do amigo e companheiro Benildo Martins. Dedicado profissional, solidário e competente, atuava na Coordenação de Comunicação Social da Assembleia Legislativa. O conheci ainda na década de 70 e por ele sempre guardei muito respeito. O seu coração grande e generoso não suportou o tranco e ele não resistiu. Fica sua lição de humildade e uma saudade grande em todos os que o conheceram.


A podridão na vitrine

A Copa possibilitou ao mundo refletir e não encontrar explicação pelos 50 mil homicídios que se contabilizam no país em apenas 12 meses. Ou em mortes violentas comparando-se com os números do Afeganistão e do Iraque, que vivem a guerra civil. Não bastasse, pareceu que aqui se desenvolveu um dos maiores mercados de consumo de drogas, invadido pelo pó da Bolívia, do “aliado” Evo Morales, a quem Lula e Dilma cobrem de atenção e afagos. E o patético ministro dos Esportes, o paulista/alagoano Aldo Rebelo, ainda vem irresponsavelmente dizer que “foi tudo bem”. 


A caminho da santidade

A Arquidiocese de Olinda e Recife depois de consulta feita aos bispos da região Nordeste, através de Dom Antônio Fernando Saburido, deu inicio ao processo de Beatificação e Canonização do grande pastor da paz, Dom Helder Câmara. A carta que foi enviada à Congregação para Causa dos Santos, em Roma foi lida em todas as igrejas da capital pernambucana. Muita alegria para todos que puderam partilhar da vida de Dom Hélder, o pai dos pobres e pastor da paz. Para mim já é santo


A PALAVRA DOS CANDIDATOS

Benedito de Lira

O plano de Governo de Benedito de Lira prevê a melhoria da gestão dos serviços públicos como saúde, educação e segurança com mais investimento nos três setores por meio da contratação de mais servidores e flexibilização. Cada unidade regional terá total autonomia. “Cuidar da saúde, educação e segurança é o dever de casa”, afirma ele.A meta mais consistente do programa de governo de Benedito de Lira é o desenvolvimento econômico e social. O senador tem afirmado que Alagoas está muito atrasada. É preciso investir na infraestrutura para que aconteçam as necessárias transformações.Os dois maiores investimentos são a ampliação do canal do sertão de forma a abranger os 16 municípios do agreste e a construção do ramal do VLT até o Aeroporto dos Palmares (o projeto alcança bairros importantes como o Poço, Jacintinho, Benedito Bentes).Se for eleito governador, Benedito vai lutar pela federalização da AL-101 norte, que trará benefícios para cerca de 10 municípios do litoral norte.

Eduardo Tavares

As propostas eleitorais dos políticos se repetem: melhorar a educação, saúde e segurança. Este é o tripé básico para oferecer bem-estar aos cidadãos. Mas bater nas mesmas teclas de quatro em quatro anos não faz com que os problemas sejam resolvidos.O problema em si não é de proposta, mas de princípio. É preciso que os homens públicos tenham respeito pelas pessoas, honestidade ao gerir o dinheiro do povo e coragem para combater, muitas vezes, pessoas que estão ao seu redor.Os eleitores precisam saber que a ideia do político-rouba-mas-faz está fora de moda. É o jeito velho de fazer política.

O que se quer agora, no novo jeito de fazer política, é que a transformação da sociedade tenha início no gestor: aquele que respeita para ser respeitado é honesto para pedir honestidade e mostra quem é muito mais por ações do que por palavras.Precisamos de uma política séria, uma política nova, que puna todo delinquente do colarinho branco que se aproveita do dinheiro público. Eu sempre tive esse olhar voltado para combater o crime. Tenho orgulho de dizer que, quando estive no Ministério Público, puni quem tinha de ser punido. Devemos pôr na cadeia todos que contribuem para o atraso de Alagoas. Minhas propostas de governo foram feitas a partir desse princípio. Este é o novo jeito de fazer política. 


Renan Filho

“Além de investirmos na Capital, por sua alta concentração populacional e por abrigar um grande número de moradores vindos de todos os municípios do Estado em busca de emprego, o governo precisa planejar e implantar uma estratégia de desenvolvimento municipal, centrada em polos econômicos segundo a vocação de cada área.

O grande exemplo da pujança municipal alagoana é Arapiraca, avaliada pela conceituada revista Exame como sendo uma das cidades que mais cresce em todo Brasil. É um caso de sucesso a ser compreendido e copiado.Na terça-feira passada, acompanhado por Luciano Barbosa, estive novamente em Arapiraca e fui recebido por empresários locais que me mostraram os avanços conquistados em vários segmentos. Estimular o desenvolvimento municipal, privilegiando os potenciais próprios de cada microrregião é uma das metas que orientam nosso programa de governo”

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia