Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 780 / 2014

23/07/2014 - 10:07:00

MEIO AMBIENTE

‘Descarbonizar’ o mundo

Algo de concreto na mesa de negociações sobre as mudanças climáticas: um relatório, entregue no último dia 8 ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, mostra pela primeira vez como 15 dos países mais poluidores, entre eles a China e os Estados Unidos, podem se “descarbonizar”, ou seja, reduzir a concentração de carbono de suas atividades, até 2050.A comunidade internacional estabeleceu como meta limitar o aquecimento a 2°C para evitar os efeitos catastróficos das mudanças no clima, mas “muito poucos países levaram a sério o que isto implica”, destacou o Projeto de Diretrizes de Descarbonização Profunda (DDPP) em seu primeiro informe.

Dentro de motor 

Quando o carro de uma mulher pifou em uma rua da cidade de Santa Fé, no estado do Novo México, nos Estados Unidos, no dia 10, o chef de cozinha Jackson Ault parou para ajudá-la. Ault e a motorista tiveram uma grande surpresa quando ele abriu o capô do carro e encontrou uma píton marrom e amarela rastejando pelo motor.Um policial resgatou a cobra, de quase 10 quilos, e a levou ao abrigo para animais de Santa Fé. O porta-voz da instituição, Ben Swan, diz que o réptil tinha pequenos ferimentos, mas que seu estado de saúde era bom.

Emissão de carbono

A emissão de gases causadores de efeito estufa e a redução da camada de ozônio estão deixando o sul da Austrália mais seco, alertaram cientistas em um estudo publicado nesta semana. Cientistas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês) informaram que o sul australiano sofreu um declínio nas chuvas que começou por volta de 1970 e se intensificou nas últimas quatro décadas.


Negociações do clima

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nomeou na semana passada a irlandesa Mary Robinson como enviada especial para as mudanças climáticas.Robinson será encarregada de “mobilizar a energia e a vontade política” durante os preparativos da Cúpula do Clima da ONU, prevista para 23 de setembro em Nova York, e será assessora de Ban na questão.


Elefante marinho

A Copa do Mundo acabou e o elefante marinho, que parou próximo ao Farol de Santa Luzia, em uma praia de Vila Velha, na Grande Vitória, voltou ao mar na madrugada no último dia 13.  O animal foi apelidado de Fred, em homenagem ao jogador brasileiro marcado pela torcida por ficar “parado” em campo. O nome foi dado por moradores do município, durante uma ida à praia onde o animal marinho estava.


’Sucessores’ de Paul 

Ao contrário de 2010, quando o polvo Paul acertou todos os palpites do Mundial disputado na África do Sul, outros ‘gurus animais’ têm errado em suas previsões.Não faltaram tentativas em ocupar o posto de Paul. Houve uma leoa holandesa, porco-espinho tailandês, porquinho-da-índia suíço, papagaio espanhol, dentre outros. Embora tenham acertado alguns palpites, erraram muito mais.


67 caracóis 
Sessenta e sete caracóis africanos gigantes vivos foram confiscados por agentes da alfândega dos Estados Unidos na maior apreensão do molusco já realizada por autoridades.Os caracóis, proibidos nos EUA, foram encontrados por inspetores de proteção de fronteiras e da alfândega (CBP, na sigla em inglês) no Aeroporto Internacional de Los Angeles.Eles tinham sido enviados da Nigéria para uma pessoa na Califórnia, disse Lee Harty, uma porta-voz da agência alfandegária.


Mudança climática

As mudanças climáticas vão trazer mais dias de calor, provocando uma maior sudorese e desidratação nas pessoas, um fator chave para aumentar o risco dos cálculos renais, destacaram cientistas na última semana em estudo publicado na revista “Environmental Health Perspectives”.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia