Acompanhe nas redes sociais:

12 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 779 / 2014

16/07/2014 - 08:49:00

Gabriel Mousinho

Os milhões da campanha

O Estado de Alagoas parece não está tanto em dificuldades financeiras. Se for olhar sobre o prisma de gastos dos candidatos durante a campanha eleitoral, se verá que a crise está longe de passar pela área política.Pelas perspectivas dos candidatos, pelo menos 500 milhões de reais irão circular no Estado, de acordo com o prognóstico de cada candidato, seja na eleição majoritária, como na eleição proporcional.

Enquanto os candidatos majoritários prevêem um gasto aproximado de 150 a 200 milhões de reais, com certeza os que tentarão vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal, irão consumir outros 300 milhões. É só fazer uma estimativa de um candidato a deputado estadual que gira em torno de 5 milhões, avaliando por baixo e se quiser disputar com chances um mandato para a Casa de Tavares Bastos.

Pelo número de candidatos dá para se fazer uma previsão de que a dinheirama rolará solta nos próximos três meses.Para deputado federal a coisa muda de figura e as cifras, mesmo para quem tenha reduto eleitoral, vão à estratosfera. Resta saber qual a mágica dos candidatos para comprovar os mirabolantes gastos de campanha junto à Justiça Eleitoral e naturalmente de onde virão os recursos.

Caso de polícia

Na manhã da última sexta-feira, dia do jogo Brasil x Colômbia, alguns taxistas descarados além de fazer lotações na área do Mercado da Produção, cobravam os olhos da cara dos usuários, sob a alegação de que ´´é assim porque é jogo do Brasil´´. Outros, além de não utilizarem a bandeirada, cobravam um valor fixo para a corrida.


Decepções

Depois de fechadas as coligações e consequentemente as candidaturas, líderes políticos terminaram a luta com muitas decepções e com mágoas que dificilmente serão superadas nos próximos anos.


No prejuízo

O governador Téo Vilela foi o que mais teve prejuízo no campo político. Não conseguiu fazer as coligações que pretendia e tem certeza de que seu candidato não alcançará os resultados que têm planejado. Resta saber para onde irá num eventual segundo turno entre Biu de Lira e Renan Filho.


É o cara

Mais uma vez o governador Téo Vilela surpreende. Lançou como candidato ao Senado ninguém menos do que o cientista político Eduardo Magalhães. Ninguém sabe o que ele quis com isso. Magalhães, ao que se sabe, não teria cacife suficiente para encarar uma candidatura deste porte.

De olho no TC

Para deixar de lado uma reeleição garantida para deputado estadual e ser vice de Eduardo Tavares, com certeza Gilvan Barros deve ter sido muito bem recompensado pelo governo. Um dos deputados mais abastados de Alagoas, com uma declaração à Justiça Eleitoral de fazer inveja a muitos outros, Barros está de olho em uma vaga de Conselheiro do Tribunal de Contas.


Perguntar não ofende

E como ficará o compromisso do Palácio do Governo de abrir espaço no TC para a chegada do atual presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Toledo?


Perguntar não ofende 2

O que estava mesmo fazendo o ex-vereador Galba Novaes a semana passada no apartamento do senador Renan Calheiros?

Três mentiras

Um semanário local fez algumas considerações sobre a visita do governador Téo Vilela ao deputado João Lyra e, surpreendentemente, mentiu três. A primeira de que JL teria dado uma ´´bana-na´´ quando o governador saiu. A segunda de que o encontro foi no escritório do Grupo João Lyra e, a terceira, de que Téo chegou de helicóptero. Uma pena.


Entrada poluída

A prefeitura de Maceió deve procurar a Polícia Rodoviária Federal e determinar a troca de cones velhos, sujos e quebrados na entrada da cidade, no Tabuleiro dos Martins. Uma vergonha e uma má impressão para quem chega a Maceió pela BR-101. Um mau exemplo que não deve ser permitido pelos órgãos públicos.

Haja bíblias

Um subsecretário de um órgão federal, em Alagoas, está sendo acusado de distribuir nas portas de igrejas evangélicas, consequentemente em troca de votos, exemplares da Bíblia Sagrada. É o vale tudo da campanha.


No meio da briga

O advogado Omar Coelho de Melo disse que vai entrar na campanha para ganhar a eleição para o Senado. Não é da direita, onde está Fernando Collor, nem da esquerda, onde se posiciona a vereadora Heloísa Helena.


Esperado

Mesmo Lula Resende sendo o mais votado na eleição da OAB para o 5º Constitucional, o advogado Marcelo Vieira foi nomeado para o cargo de desembargador do Tribunal Regional do Trabalho. Bom advogado, Vieira recebeu a proteção do senador Renan Calheiros, a quem sempre foi muito ligado.


É candidato

Uma decisão judicial afastou a boataria de que Pedro Vilela, do PSDB, seria inelegível, ao registrar sua filiação fora do prazo legal. A culpa não foi do Vilela e sim de problemas burocráticos, segundo a justiça eleitoral. 


Mata-mata

A coligação proporcional para deputado estadual do PRTB é uma das mais disputadas e concorridas. Por ali são candidatos Francisco Tenório, Antônio Albuquerque, João Beltrão e Cícero Ferro, afora outros com condições de chegar à Assembleia Legislativa.


Metralhadora

O candidato ao Senado, Elias Barros, já tem a metralhadora verbal apontada para os Calheiros e o senador Fernando Collor tão logo inicie o Guia Eleitoral. Pelo menos é o que dizem pessoas ligadas a Barros.


Baixaria

Ninguém tem dúvidas de que a campanha no rádio e televisão irá ganhar contornos de ataques, até mesmo pessoais. Os marketeiros trabalham com todas as hipóteses, inclusive aquela de que ´´vale até falar na mãe´´. Pela expectativa que existe e pelas pessoas envolvidas, a imprensa nacional deverá fazer um pit stop em Alagoas.

Promessa

Tanto Renan Filho como Biu de Lira prometem fazer uma campanha política propositiva. Naturalmente no início do Guia Eleitoral. Depois, ninguém sabe.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia