Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 779 / 2014

16/07/2014 - 08:45:00

JORGE OLIVEIRA

Campanha com aviões da FAB

Rio - Se o Evo Morales, o cocaleiro boliviano, acordasse irritado na madrugada de quinta-feira e, num surto de grandeza, tentasse invadir o Brasil, certamente teria êxito na sua investida, a exemplo do que fez quando encampou a refinaria da Petrobrás. Naquele dia, Dilma ocupou boa parte dos aviões da Força Aérea para distribuir casas em vários locais do país. A presidente cometeu ilegalidades e por elas deve ser punida se a oposição entrar com ação exigindo ressarcimento aos cofres públicos dos gastos pelo uso indevido da frota da FAB em campanha eleitoral.

 Dilma distribuiu as aeronaves da Força Aérea para vários ministros que cruzaram os céus do Brasil para entregar imóveis do programa Minha Casa Minha Vida, enquanto ela coordenava as ações on-line por um telão em Brasília.  O constrangimento entre os auxiliares da presidente ficou evidente nas palavras do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celio Campolina Diniz, que viajou 741 quilômetros de Brasília a Betim para entregar 462 unidades habitacionais: “É a primeira vez que participo de uma solenidade dessas. Sou membro do governo e, portanto, o governo distribui as funções, as tarefas”.

Dilma deve responder por crime eleitoral por ter usado as aeronaves para terceirizar solenidades do seu governo usando a logística e desperdiçando o dinheiro público nesses deslocamentos pelo país. A presidente não usou os auxiliares para distribuir apenas casas nos aviões da FAB. Ela também escalou sua fiel escudeira Ideli Salvati, co-nhecida por usar o patrimônio público em benefício próprio, para  entregar computadores, carros e equipamentos a 124 conselhos tutelares em Três Corações (MG) e Vila Velha (ES) na condição de Secretaria de Direitos Humanos.

De quebra, desviou a rota do avião da FAB para entregar 320 casas em Joinville, em Santa Catarina, seu reduto político.Os aviões da Força Aérea viajaram intensamente de Norte a Sul do Brasil em dois dias. A Ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Política para Mulheres, e o Ministro da Secretaria de Portos, Cesar Borges, também fizeram passeios nas tardes ensolaradas da quinta-feira. Ela foi a Governador Valadares (MG) para entregar 653 casas e ele a Jequiá (BA), sua terra natal, onde inaugurou outras 600 unidades. Outro ministro, Miguel Rosseto, do Desenvolvimento Agrário, cumpriu bonitinho as ordens da chefe.

Entregou 713 habitações do Minha Casa Minha Vida em Juazeiro do Norte (CE). Rosseto passou 12 horas dentro de um avião da FAB, entre segunda e quinta-feira, para cumprir as tarefas da presidente em atividades que nada tem a ver com a sua função no Ministério do Desenvolviemnto Agrário.Até os Ministros da Saúde, Arthur Choro, e da Educação, Henrique Paim, cumpriram pauta fora das suas atividades.

O da Educação  passou quarta e quinta-feira em solenidades. Esteve no Espírito Santo com a Dilma entregando às pressas 496 casas inacabadas. Na quinta, em Curitiba, mais 480 unidades. É assim que o governo do PT age: burlando a lei eleitoral e utilizando o dinheiro público para fazer campanha pelo país. Mais uma vez a FAB é obrigada a desviar suas aeronaves para fins não muito nobres. Essas atitudes constrangem os militares da Força Aérea Brasileira que trabalham fora de suas funções para atender pedidos que contrariam o regulamento do Ministério da Defesa. 

Agora responda: o Brasil é ou não é um país anárquico? O viaduto de Belo Horizonte, que desabou imprensando carros e matando as pessoas, não é um exemplo disso? É, na verdade, um país que faz tudo no improviso passando por cima da lei. 

Depois da Copa

Os abestados dos brasileiros se esgoelam gritando gol e empurram essa seleção medíocre no grito. O presidente da FIFA, Joseph Blatter vira cabo eleitoral da Dilma, a PF desbarata quadrilha da própria fede-ração vendendo ingressos legais na clandestinidade e a Justiça petista libera os mensaleiros para se organizarem novamente fora do presídio. Enquanto isso, a economia vai se desmilinguido, a inflação está incontrolável e os empregos vão desaparecendo do mercado de trabalho. Depois da efervescência ufanista, a conta vai chegar na casa dos milhares de torcedores: alta dos preços,  desemprego, obras superfaturadas e estádios como o de Brasília, Natal e Manaus transformados em elefantes brancos. Vão literalmente para o lixo bilhões e bilhões de reais que deveriam ter sido investidos na educação e na saúde.


Faxina ética?

Os brasileiros que torcem para a seleção – eu me incluo entre esses abestados – ainda não abriram os olhos para o que acorre de verdade com o seu país. Vivem anestesiados pelo som das trombetas do estádios. Talvez não saibam,  por exemplo, que o país parou de cresceu desde que a Dilma assumiu o governo com a proposta de limpar os ministérios dos corruptos, a herança maldita do Lula, e fazer uma faxina ética.Ensaiou no início do governo, mas teve que recuar. Trouxe de volta para o seu staff todos os gatunos enjaulados pela Policia Federal e ainda cedeu para alguns partidos, notadamente fisiológicos, o filé mignon do seu ministério. O do Transporte, hoje, virou cabide do PR, o partido que é administrado pelo ex-deputado Valdemar da Costa Neto dentro do presídio da Papuda.

Orgulho?

E o brasileiro, que vai aos estádios gritar “Eu sou brasileiro, com muito orgulho...”, não teria certamente do que se orgulhar de um país administrado por uma quadrilha que acaba de ser beneficiada pelo STFdoPT, um tribunal recheado de ministros que agora se curvam aos patrões que os nomearam. É o país da anarquia, da esculhambação, dos lobistas, dos deputados larápios envolvidos com a máfia dos doleiros. Mas as hienas, vestidas de verde e amarelo, continuam rasgando a goela aos gritos de “Eu sou brasileiro, como muito orgulho... Orgulho de quê, cara pálida? De assistir passivamente todos os dias o dinheiro do seu imposto ser desviado para o bolso dos políticos oportunistas e aproveitadores?Das licitações fraudulentas e das obras superfaturadas do governo, muitas delas inacabadas? Se é assim, quero também entrar nesses cérebros fraturados. E para não parecer um alienado, vou sair por aí gritando: “Sou brasileiro, com muito orgulho...”

O mágico

A euforia dos gritos da torcida abafa o estado de calamidade da economia brasileira. O Guido Mantega, o mágico, obriga a Petrobrás a fechar contratos para a compra de petróleo do Pré-Sal para criar superávit e maquiar os índices econômicos. Os números mais recentes mostram que o setor industrial encolheu 4,5% desde outubro e a produção de veículos caiu 20,9% no mesmo período, mesmo com os benefícios do IPI reduzido. É um sinal claro que o consumidor, endividado, deixou de comprar e o país encolheu. 


Ressaca

Com a seleção ganhando ou não, a ressaca no bolso dos brasileiros vai ser a maior da história desse país. O Blatter está rindo à toa e tem todo direito de virar cabo eleitoral da Dilma. Afinal de contas, transformou o Brasil em um quintal da FIFA que decretou feriado nos dias dos jogos, interrompeu o trânsito a quilômetros dos estádios nos dias de jogos, vendeu cerveja com exclusividade nas arenas, ganhou bilhões de reais com publicidade e a venda dos jogos para as TVs do mundo todo e vendeu ingressos legais na clandestinidade. Com os bolsos forrados, agora quer levar a Dilma ao último jogo para entregar a taça ao campeão. Viva a FIFA!, com muito orgulho. Mesmo assim, meu amigo e minha amiga, apesar dos pesares, convoco a todos para continuar gritando como uns idiotas, vestidos com a bandeira nacional: “Sou brasileiro, com muito orgulho...”

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia