Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 778 / 2014

10/07/2014 - 11:50:00

POR DENTRO DO ESPORTE

João de deus [email protected]

Na reta final

Nesta sexta o brasileiro vai estar com os nervos à flor da pele. É  tensão gerada pela abertura das quartas de final e clássico sul-americano na abertura: Brasil x Colômbia e França x Alemanha. No sábado jogam Bélgica x Argentina e Holanda x Costa Rica.

Cala-te boca

Júlio César, no Brasil 1x 1 Chile, foi o “cara”.Pegou até pênalti e salvou o Brasil de uma possível decepção. Motivou a torcida a tirar o chapéu e a aplaudir também  Felipão, que não deu atenção às opiniões  dos “entendidos” convocando-o para goleiro titular da seleção. 


Brasil 1 x 1 Chile

A classificação do Brasil para esta nova etapa da Copa foi suada mais esperada pelo torcedor. Foi jogo tenso nos 120 minutos de bola rolando (tempo normal e mais a prorrogação) e ainda assim com decisão nos pênaltis. Foi mexida de nervos que afastou muita gente da televisão.  


Ave Júlio César...

De Júlio César falar o quê? Contra o Chile, clássico sul-americano dos mais difíceis, ele saiu do campo consagrado como o “Craque do Jogo”. Até a imprensa se rendeu ao momento que ele atravessa na seleção, sendo barreira até nas cobranças de pênalti para decidir classificação.

 
Mais que sorte     

 O chute do chileno Pinilla, desferido de fora da área, que bateu na trave de Júlio César depois de 120 minutos de jogo (incluso a prorrogação), causou na torcida brasileira a sensação de que ele, além de bem preparado, teve algo que todo goleiro precisa: sorte.

Ainda do jogo 

“O Brasil, ao eliminar o Chile, levou torcedores azulinos a lembrar de Luís Felipe Scollari, época dele no CSA. Zagueiro, festejado pela torcida como “xerife”. Aposentado como jogador ainda no clube, começou no Mutange a sua carreira como técnico. Foi, inclusive campeão alagoano.      


Zebra na Copa

Neste mundial do futebol, já na reta final, é difícil identificar uma “zebra” no placar dos jogos. Dentre os que acham futebol caixa de surpresa constam as saídas prematuras  da Espanha e da Inglaterra. No positivo, ponto para a Argélia que alcançou a segunda fase dos jogos.  

  
Rivalidad

e“O futebol é paixão só de brasileiro?”. A dúvida é sustentada no público lotando os estádios e de torcedores das mais diferentes línguas nas ruas das cidades-sedes dos jogos sem falar e nem entender o português. Autor da observação foi o bancário Oswaldo Santos.    

Haja nervos 

Ponto para Júlio Cesar na reação alegre pelo Brasil seguir em frente na Copa. Soltou um grito que disse ter preso na garganta desde 2010. Disse: “Quatro anos atrás eu dei uma entrevista muito triste, chateado e emocionado. Estou repetindo hoje, mas desta vez é por felicidade e sei que a minha história na seleção não acabou”. 


Jogo difícil

A Colômbia até pode ter frequência disputando Copa do Mundo. Mas no Brasil a sua seleção já transfere orgulho para os colombianos e tem motivo: é a primeira vez que se classifica para os jogos das quartas de final. E quis o destino botá-la no caminho do Brasil nesta sexta-feira.


Efeito Copa

Só no Rio de Janeiro, até o domingo passado(29), a arrecadação com o movimento do comércio, nos vários segmentos, superou R$ 1 bilhão. Também como motivação nas Arenas dos estados-sede dos jogos a média de público divulgada está acima de 50 mil torcedores. Os jogos se estendem até domingo (dia13).  

Volta aos treinos

No CRB as atividades no futebol estão reiniciadas. Preparação é para jogos pela Série C que recomeçam imediatamente após a Copa do Mundo, de jogo final no domingo,13. O Galo  joga fora de Alagoas contra o Águia de Marabá. Ademir Fonseca monta o time ofensivo. 


Carta branca

Marcos Barbosa não mede esforços para o Galo estar na Série B em 2015. Dá forte suporte à diretoria de futebol, acompanha o trabalho da equipe técnica e os jogadores não têm nada do que reclamar. Do lado da torcida, a opinião é de satisfação pelo trabalho que é feito na Pajuçara.  


Arrumação da casa

Jotinha, presidente do ASA,  reorganiza o departamento de futebol. Aconteceram dispensas no plantel e em contrapartida reforços começaram a chegar em Arapiraca. Em paralelo, ele inclui dentro das prioridades fortalecer o diálogo com patrocinadores e acerto para ter patrocínio da Caixa.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia