Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 778 / 2014

08/07/2014 - 08:45:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

Como saldar dívidas

Passada a euforia da Copa do Mundo e dos festejos juninos, é hora de reorganizar o orçamento domés-tico para 2014, que vem sendo cumprido desde janeiro. Já estamos no segundo semestre, portanto com o balancente do primeiro concluído, exigindo novos hábitos de consumo, muita pesquisa e sempre deixando algum di-nheiro para a caderneta de poupança. Tem que haver muita disciplina, anotando tudo que entre e sai de seu salário. Se fechou o semestre no azul, ou seja gastou menos do que o recebido e poupou, parabéns!Para quem exagerou nos gastos, se endividando, pagando juros altos, multas, taxas de protesto em cartório, deve repensar sua vida e procurar sobreviver com o que ganha, para evitar cobranças insistentes, nome na relação da lista negra do SPC/Serasa e procurar acima de tudo, negociar o débito, conversando com o credor, podendo ter até mesmo, dispensa de juros e multas. Mas jurar, nunca mais se endividar. 


Sem agiotas

Se você se encontra endividado e não tem como pagar, jamais recorra aos agiotas, que chegan a cobrar mais de 10% de juros ao mês, quando um banco ou financeira, não chega aos 3%. Mesmo estando com o nome incluído na “lista negra” do SPC/ Serasa, pode recorrer a financeira que não faz consulta e libera o dinheiro com um juro bem menor. Faça esse empréstimo, quite a dívida, inclusive com desconto.

Cartão

O cartão de crédito é o que mais endivida o seu portador. É uma tentação! Você passa numa loja, ver um objeto de desejo que sempre quis, se encontra em promoção e o vendedor faz de tudo para vender, com as vantagens de sempre: preço mais barato, prazo longo para pagar. Você compra e já sai com o produto da loja direto para casa. ´Depois, começa a batalha para pagar num prazo tão longo. No meio do caminho, perde o emprego, recebe o dinheiro da indenização e acha que não deve quitar a dí-vida. Começa o processo para chegar ao “fundo do poço”. 

Disciplina

Saiba sobreviver com disciplina, não fugindo às regras do seu orçamento doméstico. Compre realmente o que está precisando e só compre à vista, com um bom desconto. Reúna a família e reduza o consumo, procurando pesquisar preços, pechinchando e só comprando, quando tiver certeza de que fez alguma economia. 


Pagando

Nada mais correto economicamente do que pagar em dia suas contas. Evita pagamento de juros, multas e taxas diversas, e o indevidamento, que só tem um caminho: o fundo do poço, situação difícil de ser resolvida. Programe sua vida financeira e tenha sempre em mente, gastar menos do que o salário, além de ter uma cader-neta de poupança. 


Propaganda

Muita atenção com as propagandas que o comércio realiza diariamente, exibidas na TV, rádios, jornais, panfletos. Se não cumpre com preço, prazo e entrega da mercadoria, é propaganda enganosa, o que não é permitido no Código de Defesa do Consumidor, que exige multas aos infratores. Denuncie ao Procon. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia