Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 776 / 2014

25/06/2014 - 10:06:00

Aplicativos facilitam vida da população

Ferramentas de interação por meio do colelular ganham cada vez mais adeptos em Alagoas

Redação

Cada vez mais a conexão entre o mundo virtual e vida real é visível, graças a aplicativos  que têm facilitado a vida da população.  Um deles, lançado em Maceió foi  o “Acolhedor”, que oferece informações sobre grupos de autoajuda, clínicas de reabilitação e comunidades acolhedoras para dependentes químicos.

Mas há aplicativos para parar de fumar, a fugir das dívidas, a chamar taxi e até para dormir. Válido para todo o Brasil, o “Acolhedor” pode ser acessado em www.acolhedor.com.br. Segundo o idealizador da ferramenta, o administrador de empresa e estudante de jornalismo,  Bispo Filho, “onde houver possibilidade de levar informação e conhecimento sobre ajuda, sobre prevenção às drogas e sobre oportunidade de tratamento, vamos atuar, vamos estar  presentes”, garantiu. 

O  aplicativo Acolhedor conta com a parceria de 16 estados brasileiros, mas a meta do idealizador  é atingir  todo o País. Já são mais de 2 600 comunidades terapêuticas filiadas no Brasil. Incluisve, na próxima semana a equipe terá uma reunião, em Brasília, com representantes da  Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) do Ministério da Justiça.

 “A ideia surgiu porque muitas pessoas com problemas de dependência química em casa não sabiam onde encontrar ajuda. Com o aplicativo, muitas têm acesso, mas pedem para não divulgar o nome por medo de ter o parente identificado como dependente”, disse Bispo Filho que comemora o sucesso da ferramenta.

E o que dizer do módulo do Aplicativo  Sinesp Cidadão que permite consulta a mandados de prisão? É que depois do sucesso do módulo CheckPlaca - com mais de 1,2 milhão de downloads e 33 mil veículos recuperados em quatro meses por meio de consultas feitas pela população - o Ministério da Justiça lançou, na quinta-feira (24), esse novo módulo. A expectativa é que o serviço ajude a dar mais segurança à população e evitar a impunidade. Por meio do aplicativo, qualquer pessoa pode saber se um cidadão está sendo procurado pela justiça e pela polícia.

Trata-se de um cadastro com 352 mil mandados de prisão, pelos mais variados delitos, que aguardam cumprimento. Para consultar, é só baixar o aplicativo Sinesp Cidadão, escolher o módulo Consulta a Mandados, e digitar dados de alguém. Pode ser o nome da pessoa, o nome da mãe dela (ou genitora, como o software sugere) e os números de algum dos seus documentos: RG, CPF, título de eleitor, passaporte, certidão de nascimento ou casamento, carteira profissional, PIS PASEP, entre outros. No caso de nomes iguais ou semelhantes, é possível refinar a busca, com detalhes como órgão expedidor do documento consultado, ou o número do processo ou mandado referente àquela pessoa.

Quando o nome  é localizado entre a relação de mandados de prisão em aberto, o aplicativo informa mais detalhes, como apelido do cidadão procurado, sua nacionalidade ou data de nascimento. Ao identificar um mandado referente a alguém, é só acionar a polícia através do 190 para que ela localize a pessoa e cumpra o mandado de prisão.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia