Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 776 / 2014

25/06/2014 - 08:17:00

SURURU

Golpe petista

DA REDAÇÃO

A revista Veja desta semana destaca o trabalho do presidente do Senado contra o decreto golpista, do PT, que pretende transformar o Brasil numa ditadura à moda soviética. Renan Calheiros considera “insano” o decreto 8.242, de inspiração bolivariana. “Quem representa o povo é o Congresso Nacional e, por este motivo, o ideal é que a proposta seja enviada ao Congresso através de projeto de lei”, disse Renan, ao condenar a iniciativa petista.  “Renan Calheiros foi à tribuna reafirmar seu compromisso com a liberdade de expressão e a democracia, e disse; “Quem representa o povo é o Congresso”, escreve Veja em seu editorial “Carta ao Leitor”. A revista também destacou a posição do presidente da Câmara dos Deputados na luta para barrar o decreto golpista do PT: “Henrique Alves exigiu do Executivo a imediata revogação da medida, e, se isso não ocorrer, prometeu colocar em votação a proposta de anulação do decreto”. Veja, que sempre nutriu certo preconceito com os políticos nordestinos, destacou que a vida política pregressa de Renan e Henrique Alves “não macula os gestos de resistência de ambos - e, como disse o escritor inglês Graham Greene, “nada a temer dos políticos cujos pecados pertençam apenas ao passado”. 

Agressor é demitido

O prefeito Rui Palmeira exonerou o servidor Rafael Paranhos Catunda, da PGM, que se envolveu na covarde agressão ao músico Kako Almeida, filho do advogado Cláudio Vieira.  Espera-se que a Defensoria Pública de Alagoas também demita o estagiário de Direito André Paranhos, outro integrante do bando que agrediu o músico. Afinal, o serviço público não é lugar para pessoas violentas.  


Tributo a Garrincha

 “Um tributo ao anjo das pernas tortas, meu grande ídolo”. É assim que o jornalista alagoano Mário Lima descreve seu livro “Garrincha, a flecha fulniô das Alagoas”, lançado quarta à noite no Museu da Imagem e do Som. 


Origem alagoana  

Segundo Mário Lima, a obra versa, principalmente, sobre a origem de Garrincha. O grande ídolo do Botafogo nasceu em Pau Grande, no Rio de Janeiro, mas é filho de pai alagoano. 


Aldeia fulniô

Seu Amaro dos Santos é natural de Quebrangulo, interior do Estado, e foi criado na aldeia dos fulniôs, índios de origem pernambucana, mas que por conta de perseguições, vieram para Alagoas em 1860. Somente aos 26 anos, em 1914, Amaro e sua esposa, foram ao Rio de Janeiro, terra aonde o “Mané” veio ao mundo, 19 anos depois.

Rui x Almeida 1

Sempre que pode  o prefeito de Maceió, Rui Palmeira do PSDB  alfineta o ex-prefeito Cícero Almeida. Na inauguração da nova avenida, o prefeito disse que a obra que deveria antes ter sido no valor de R$ 10 milhões, passou a ser de R$ 15 milhões. Palmeira responsabiliza Almeida pelos erros no projeto que não previa sequer um novo viaduto. 


Rui x Almeida 2

Cícero Almeida nos bastidores já disse que Rui Palmeira passou da hora de começar a administrar e de querer responsabilizá-lo por toda a incompetência  da sua gestão. 


Rui x Almeida 3

Por falar em herança maldita, a avenida que o ex-prefeito inaugurou que liga Jacarecica a Serraria está cheia de buracos e vai ter que ser reformada, a obra em questão vai ser o principal cavalo de batalha da oposição para derrotar o projeto de Almeida que pretende se eleger a deputado federal. 


Complicado

Em entrevista a um programa de rádio, no laboratório do curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Alagoas(UFAL), Ronaldo Lessa teve dificuldade para explicar como no passado era amigo de Teotonio Vilela Filho e inimigo de Fernando Collor e hoje é inimigo de Téo e amigo de Collor. “Foi o Téo que me traiu e o Collor que me ajudou”. 


Disputa de suplência 

Marx Beltrão e GG Sampaio disputam cabeça por cabeça quem vai ser o suplente do PMDB  de deputado federal do partido. Os dois buscam apoio desesperado do pai e do filho Renan. Leia se apoio financeiro.

MP em férias

O Ministério Público Estadual de Alagoas entrará em recesso a partir dessa sexta-feira (20) e seguirá até o dia 30. Retornará às atividades na terça-feira 1 de julho


ERRATA 1

Na matéria publicada na edição nº 775 (13 a 19 de junho de 2014) “Empresários suspeitos de dar golpe na Defensoria Pública”, di-ferentemente do que foi publicado na página 8, o nome correto do advogado que defende a VC Construções Serviços e Tecnologia Ltda. é Felipe Sarmento e não Fernando Sarmento.


ERRATA 2

Ainda sobre a mesma matéria e de acordo com Sarmento, Rodrigo Timóteo Bastos nunca foi sócio da VC Construções. Na realidade, ele firmou com a empresa de Vitor Cansanção, em dezembro de 2008,um contrato de três anos para arrendamento de equipamentos para provedor de internet, no valor de R$ 40.750,80.

ERRATA 3

Também diferentemente do que foi informado pelo avogado da VC Construções, André Rodrigues Bastos, pai de Rorigo Timóteo, não possui qualquer vínculo com a Hidrotécnica Engenharia Ltda. empresa vencedora de várias licitações em Alagoas e no Rio de Janeiro. De acordo com o Departamento Jurídico da empresa, que tem sede no RJ, André Bastos apenas atuou como representante comercial da mesma em 2013. Atualmente, contudo, não existe qualquer vínculo profissional de pai e filho com a Hidrotécnica, assinala o advogado Kiev Santos Domingues.


DIREITO DE RESPOSTA1
Amparado no direito de resposta e respaldado pelas informações da própria Hidrotécnica, Rodrigo Timóteo afirma, sobre a matéria do EXTRA, “que foi informado maliciosamente condição econômica diversa do Sr. André Bastos e que após comprovado que o Sr. André Bastos não faz parte do quadro societário da empresa Hidrotécnica, entende-se, pelas informações contidas em seu contracheque que o mesmo se enquadra na Lei 1060 concernente à justiça gratuita”. E destaca que “a própria Defensoria tem meios de identificar e atuar contra quem tente se beneficiar irregularmente de sua assistência”.


DIREITO DE RESPOSTA 2
Pai e filho, aliás, afirmam que o título da matéria deveria ser “Empresário dá golpe em advogado e idoso”, pois, ao contrário do que afirmam Vitor Jatobá e Felipe Sarmento, “Rodrigo nada deve a empresa de Vitor ou ao próprio Vitor como alegou o escritório Sarmento e Albuquerque, o qual nunca apresentou nenhum documento de tal dívida. Já Rodrigo comprovou que entrou em insolvência por conta de valores a ele devidos por Vitor no montante de R$ 300.000,00 mais um imóvel avaliado em R$ 700.000,00 como consta na ação de obrigação de fazer impetrada contra Vitor por Rodrigo. Processo tombado sob o nº 0703743-89.2013.8.02.0001 no Fórum da comarca de Maceió-AL”. 
 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia