Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 775 / 2014

17/06/2014 - 09:42:00

Assessor de Rui Palmeira e estagiário da Defensoria Pública agridem músico na Gruta

Kako Almeida é filho do advogado Cláudio Vieira e foi espancado em posto de combustíveis por cinco jovens embriagados

DA REDAÇÂO

O músico Cláudio Francisco Mello de Almeida Vieira, conhecido no meio artístico como Kako Almeida, foi agredido na manhã de domingo (08) por cinco jovens, quando se encontrava em uma loja de conveniência de um posto de combustíveis na Gruta de Lourdes. 

O músico, que vinha de uma festa no bairro de Jaraguá, parou no Posto Soriano para tomar um refrigerante, quando cinco jovens, que já se encontravam no local e apresentavam sinais de embriaguês, passaram a destratá-lo, ofendendo-o moralmente, para em seguida atacá-lo fisicamente, sendo contidos por funcionários do Posto.Kako Almeida prestou queixa na Central de Flagrantes que fica bem em frente ao local da ocorrência, no lado oposto da Fernandes Lima.

A vítima entregou ao delegado o vídeo que registra a agressão por várias câmeras do Posto Soriano. O advogado e procurador de Estado Cláudio Vieira, pai do jovem agredido, informou ao EXTRA que os agressores foram identificados como sendo os irmãos Rafael, André e Joaquim Paranhos, além de Emanoel e Vitor, este último conhecido pelo apelido de “Sibito”.

 “Tivemos informações de que esse Rafael é assessor do gabinete do prefeito Rui Palmeira e que seu irmão André é estudante de Direito e estagiário da Defensoria Pública. Eles e os demais são habituais na prática de desordens e arruaças, conforme conseguimos apurar”, disse Vieira.

Por ter acontecido em um final de semana, a ocorrência foi registrada na Central de Flagrantes, mas deverá ser encaminhada à delegacia do bairro. “É necessário que a polícia e os órgãos da justiça adotem rápidas providências para evitar males maiores praticados por arruaceiros dessa estirpe se continuarem impunes”, afirmou o advogado e procurador aposentado.

ENTREVISTA

Em entrevista ao jornal Gazeta de Alagoas, o músico contou que chegou à lanchonete do posto de combustíveis pouco depois das seis horas da manhã do último domingo – vindo de uma festa de formatura em Jaraguá. Segundo ele, os agressores já estavam no local e logo começaram a provocá-lo, chamando-o de bicha e viado. “Em seguida, começaram a puxar meu cabelo e tentei reagir, mas eles me empurraram e me arrastaram pelo chão da lanchonete; aí começaram a me agredir com tapas e chutes e a agressão só parou após a interferência de funcionários do posto. Foi horrível”, relatou o músico, que também é psicólogo.

A agressão foi registrada pelas câmaras de vídeo do estabelecimento, que também identificaram os baderneiros. O vídeo serviu de prova para o Boletim de Ocorrência que o músico fez na Central de Polícia contra os acusados. Kako Almeida informou que aguardará a ação da Polícia Civil e, assim que os acusados forem indiciados, ingressará com uma ação judicial por agressão física e danos morais contra os agressores.   

 

Confira matéria retificando a participação de Rafael Paranhos no caso  http://www.extralagoas.com.br/noticia/13779/extra-online/2014/06/16/assessor-de-prefeito-nega-envolvimento-em-agresso-ao-musico-kako-almeida.html

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia