Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 774 / 2014

11/06/2014 - 08:27:00

Eu admito ter havido um equívoco

José Arnaldo Lisboa - [email protected]

Não é possível que a gente fique à vida inteira, nas mãos dos salafrários e dos vagabundos deste Brasil. Alguém tem que dar um bastanesses caras que se dizem políticos, gestores, dirigentes ou administradores que infernizam nossas vidas. Assim já está demais! Aqui-acolá inventam uns tais de “recall” para os carros usados e para os carros saídos da fábrica, dizendo que eles saíram com um defeito num simples parafuso, no cinto de segurança, que fica embaixo do assento do motorista.

Assim é demais! Fazendo assim, muitos proprietários babacas, vão para as mãos das Concessionárias e aí, gastarão milhares de reais, para encherem os seus cofres. Como é que eles só descobrem os defeitos, depois de 2 ou 3 anos, com tanta tecnologia, raio-X, etc, etc?  Vocês estão lembrados de outra safadeza? Foi quando obrigaram os pais e mães, a conduzirem suas crianças numa cadeirinha para bebês, no banco traseiro, como se “esses caras” se preocupassem com a vida dos bebês.

E tome dinheiro! No ano passado, obrigaram os carros novos, só saírem das fábricas, com “airbag”, coisa que nunca soube que alguém tivesse sido salvo, por causa desse dispositivo!  Tem muita gente que não sabe nem o que é isso!  E, tome dinheiro para as autoridades amigas dos fabricantes. Outra imoralidade oficial.

As pessoas de idades mais avançadas, devem estar lembradas que o Governo obrigou todo dono de carro, a comprar um estojo ou bolsa, dizendo que era para medicamentos de primeiros socorros. Todo mundo foi obrigado a comprar, enchendo os bolsos dos fabricantes, donos de farmácias e drogarias.

Os Conselhos de Medicina disseram que só quem poderia cuidar de ferimentos, seriam os Médicos ou Enfermeiros. Os sonolentos Senhores do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, inventaram isso, para ganharem muito dinheiro e o Senado e Deputados Federais, ficaram calados, com a grande jogada.

É que o povo do Brasil está sendo vítima de larápios oficiais, tudo “nas barbas” do Governo. Agora, acabaram de inventar uma outra imoralidade, já anunciada nos meios de comunicação e que o povo brasileiro vai aceitar sorrindo. E o pior de tudo, é que os Governos ou Desgovernos deixam acontecer, por causa das eleições que rendem dinheiro. Querem saber o que é que vem por aí?  Primeiro se benzam que, a imoralidade é por demais chocante.

Eu fiz pesquisas simples, em forma de enquete, junto aos meus parentes, amigos, colegas e outras pessoas com quem fiz as minhas indagações. Eu perguntei a essas pessoas, se já tinham visto um carro ser incendiado. É que eu, como motorista de mais de 50 anos “de carteira”, nunca me deparei com um carro incendiado e que tenha sido um extintor de incêndio do carro, que extinguiu as chamas. Já viajei de carro, para São Paulo, paro o Rio de Janeiro, Minas, Ceará, Pernambuco, e outros Estados e nunca vi um só carro sendo incendiado, nas estradas e que o extintor tenha sido “a salvação”.

Dirigi na Europa, entre Lisboa e Madri, porém, nunca ouvi falar que um extintor tenha apagado as chamas de um carro. Ora, até nos edifícios, nem sempre conseguem apagar os incêndios, imaginem com um extintor pequeno, escondido e que poucas pessoas sabem onde eles ficam, no carro. Agora, o Governo vai exigir que todos os carros mudem seus extintores que devem ser do tipo A, B e C. Os outros extintores serão jogados fora e substituídos por outros que custam entre R$ 100,00 e R$ 70,00.  

A frota brasileira, é constituída de automóveis, caminhões, caminhonetas, micro-ônibus, ônibus, carretas e, até de barcos, num total de 82.060.911 milhões de viaturas. Os “meninos do Governo”, os verdadeiros vivaldinos, irão faturar R$ 8.206.091.100 bilhões, com os extintores que serão substituídos pelo Governo da Senhora Dilma. E, os Senadores e Deputados não estão nem aí, pois, já faturam muito com os estádios, chamados de arena, para enganar os bêstas.

O que o Brasil precisa, não é de extintores de incêndios nos carros e sim em extintores da falta de vergonha que vem incendiando esta Nação. Em tempo – Eu tenho uma excelente leitora dos meus artigos que é a Sra. Joana D´Arc Santana, esposa do falecido colega, Eng. Dalmo Santana, filho do Prefeito de Piaçabuçu. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia