Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 774 / 2014

11/06/2014 - 07:55:00

SURURU

DA REDAÇÃO

Aventura socialista

Um dos maiores gargalos de Alagoas é a sua dívida pública, que já passa de R$ 8 bilhões, e pode chegar a R$ 10 bilhões em 2015 com os empréstimos externos contraídos pelo governo tucano. Só de juros o Estado paga R$ 50 milhões por mês, o equivalente a 15% da receita corrente líquida. Essa dívida teve seu gatilho disparado no Governo Lessa, que recebeu do Governo GB um débito de R$ 2 bilhões e encerrou sua aventura socialista com uma dívida impagável de R$ 6 bilhões. Com a palavra o candidato!

Biu delira...

O senador Biu de Lira deve estar delirando. Em seu primeiro debate como candidato ao governo disse que “a educação tem resultados positivos em Alagoas”. Nunca é demais lembrar que o ensino estadual – comandado politicamente pelo senador – nunca esteve tão ruim. Os índices da Educação são uma vergonha!


Todos contra

O aumento de até 700% na taxa de iluminação pública de Maceió é até agora o feito de maior impacto da administração Rui Palmeira. A medida, aprovada pela Câmara, conseguiu a unanimidade contra. 


Está na Constituição

“Mangues, estuários, restingas, dunas, recifes, falésias, praias e cordões litorâneos são áreas de preservação permanente”. 


Simples assim

O Simples Nacional – que passa a vigorar em janeiro de 2015 - vai contemplar empresas jornalísticas, consultórios médicos e odontológicos e escritórios de advocacia, entre outros. Só não poderão participar do regime de tributação empresas produtoras de bebidas alcoólicas e de tabaco.


Indústrias de papel 

E a “refinaria de papel” que LOG contratou para Alagoas? O jornal Extra tentou falar com o todo-poderoso, mas até agora não obteve resposta. LOG precisa explicar se outras “indústrias” que ele trouxe para Alagoas também são de papel. 


Bar da Pata

O premiado “Bar da Pata” (Farol) está comemorando 43 anos de atividade ininterrupta. A tradicional patinha de uca - que lhe deu nome e fama nacional – se junta agora ao “camarão da vovó”, herança do Bar das Ostras, que virou patrimônio público.  


Advocacia administrativa

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai investigar se o juiz Francisco de Assis Galindo de Oliveira, vinculado ao Tribunal de Justiça de Pernambuco, cometeu ou não infração disciplinar ao julgar antecipadamente ações complexas e milionárias enquanto substituía magistrados titulares, em razão de férias ou afastamentos.Deve ser terrível viver em uma terra onde magistrados não honram a toga....

PT vacilante 1

Paulão impôs a Judson Cabral ser vice de Renan Filho, Judson com medo de que se repita o mesmo episódio que ocorreu com Ronaldo Lessa, quando o chapão virou chapinha, não cedeu às pressões de Paulão, que tenta se reeleger a todo custo a deputado federal. 


PT vacilante 2

A direção nacional do PT cobrou postura politica dos petistas alagoanos, que insistem em indicar o vice de Renan Filho. Lula quer uma mulher, e a disputa estaria entre Rosiane Beltrão e Patricia Sampaio. Diante de tantos vacilos, o PMDB aproveita para emplacar Luciano Barbosa. Homem de confiança de Renan pai. 


Recursos 1

O Ministério das Cidades autorizou a liberação de R$ 546,8 milhões para obras de infraestrutura na parte alta de Maceió. Os recursos serão aplicados em ações de pavimentação e drenagem para melhorar as condições de transporte público.


Recursos 2 

O Ministério também liberou R$ 581,4 milhões para obras pontuais nas bacias do sistema hídrico do rio Jacarecica. Os recursos são originários de emenda parlamentar, de iniciativa do senador Renan Calheiros


Traição explícita

Deu no Jornal de Brasília, coluna do Mino Pedrosa: “O malabarismo político do senador Benedito Lira (PP) é inacreditável. Em Brasília, é um ardoroso aliado do presidente nacional do seu partido, senador Ciro Nogueira, na defesa do apoio à reeleição da presidente Dilma. Tem sido o algoz dos que querem romper com o Planalto para apoiar as candidaturas de Aécio Neves ou Eduardo Campos. Só que, estranhamente, em Alagoas, sua terra natal, onde Benedito concorre ao Governo, ele é aliado do PSB e fala nos palanques que pedirá votos para Eduardo Campos. Afinal, quem está sendo enganado, a presidente Dilma ou Eduardo Campos? Crave sem medo de errar: os dois são traídos”. 

Pela Janela 

50 alunos do Campus da UFAL de Santana do Ipanema invadiram na semana passada a reitoria, especificamente a sala do reitor Eurico Lobo, para cobrarem promessas não cumpridas. Ao perceber a invasão, Eurico fugiu pela janela


Almeida no lixo

Cabisbaixo, macambúzio, rejeitado. Esta é a atual situação política do presidente do PRTB e ex-prefeito de Maceió, Cícero Almeida. Nos bastidores das eleições, ele é citado no refrão de uma música. “Ninguém me ama, ninguém me quer”.   


Téo e o ET

O candidato Eduardo Tavares do PSDB, adotou a mesma roupa usada por Teotonio Vilela Filho  na campanha eleitoral que o reelegeu go-vernador de Alagoas. ET aparece nos encontros públicos de calça jeans, camisa azul marinho e gravata preta. Cara de um, focinho do outro. 


Delegado herói 

E no Facebook você vai encontrar o delegado Cícero Torres, o primeiro que investigou a morte de PC Farias e sua namorada Suzana Marcolino, com a roupa do herói dos quadrinhos, o Capitão Marvel. Isto é passional, se não fosse cômico. 


PSOL na chuva

A chapa majoritária do PSOL tem como pré-candidato ao Governo o sempre candidato Mário Agra e para o Senado, Heloisa Helena. Agora o partido já sabe, vai fazer campanhas individuais e de sobrevivência própria. Detalhe, Heloisa Helena quer multiplicar por 100 os 15 mil votos que a elegeram vereadora, e Mário quer lotar pelo menos duas Kombis. 


Mais díficil? 

A hereditariedade na política deverá se tornar mais difícil  de acontecer nas urnas? A pergunta faz ligação com as novas medidas tomadas pelo Tribunal Superior Eleitoral sobre a diminuição de cadeiras nos Legislativo federal e estaduais. Já em Alagoas candidatos com posse antiga de mandatos repensam como se organizarem em família para outubro.


Calçadão

Qualquer ligação da presença hoje, às vésperas das eleições, dos ambulantes no calçadão e ou-tras áreas do centro teria a ver com a campanha de Eduardo Tavares ao governo de Alagoas? Essa questão lembra as eleições anteriores (municipais) quando o MP determinou a retirada deles dos mesmos locais. Na época quem era o procurador-geral?

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia